SÃO MATEUS – roteiro histórico

[VIDEO]http://www.youtube.com/watch?v=Qulh5_TWiRA,center[/VIDEO]

São Mateus – município litorâneo do norte, foi uma das primeiras regiões a ser colonizada no Estado. Por volta de 1544 os primeiros colonizadores portugueses chegaram na região. A Vila tinha o nome de Povoado de Cricaré. Em 1566 em uma visita do Padre José de Anchieta na data em que  se comemorava o dia do evangelhista Mateus (21 de setembro), o nome foi alterado para São Mateus.

É considerado o município com a maior população negra do estado. Tal fato se dá pois até a segunda metade do século XIX, o Porto de São Mateus era uma das principais portas de entrada de negros no Brasil. Também há forte presença de italianos, que são responsáveis pela colonização de grande parte dos sertões mateenses.

O município se destaca no turismo. As praias de São Mateus – Guriri e Barra Nova – atraem muitos turistas especialmente na temporada de verão. Historicamente a cidade me surpreendeu muito. Conheci diversos pontos turísticos que fazem parte do roteiro histórico. Igrejas, museus, o Porto, a Catedral, o Mercado Municipal, onde encontramos partes que montam a história deste pedaço do Espírito Santo.

A sede fica distante 11km do litoral. No município, além do roteiro Sol e Mar e além do roteiro Histórico e Cultural (localizado principalmente na sede do município), há também as áreas rurais e algumas comunidades quilombolas.

Nesta viagem eu não estava sozinha não. Saí daqui de Vitória na companhia de uma amiga e parceira de redação, Thainá Lopez que me acompanhou em São Mateus (cidade que ela muito frequentou na infância) e depois me levou para conhecer a cidade dela, Boa Esperança. Em   São Mateus descobri uma cidade que possui casarões e igrejas seculares, uma rica gastronomia, um artesanato riquíssimo voltado para as tradições indígenas e africanas e manifestações folclóricas ligadas à religiosidade. Eu e Thainá também não estávamos sozinhas. Tivemos a verdadeira sorte de conhecer uma pessoa incrível que nos recebeu com muito carinho. Andréa Salazar que, além de conhecer muito bem São Mateus e morar em Guriri, é coordenadora do curso de turismo da UNIVC – Faculdade São Mateus.

SÍTIO HISTÓRICO PORTO DE SÃO MATEUS

[VIDEO]http://www.youtube.com/watch?v=uy9Oj2WjavI&feature=related,center[/VIDEO]

O Porto fica bem próximo ao centro, na parte ”baixa”. É o principal atrativo do Sítio Histórico somado as dezenas de construções do século XVIII tombadas como Patrimônio Cultural do Estado. Muitas destas construções estão no entorno no largo que servia como terreno para carga e descarga dos navios que aportavam em São Mateus.

O movimento no Porto de São Mateus era intenso com os trapiches cheios de mercadorias para exportação. Os armazéns vendiam mercadorias aos moradores locais e aos das vila do interior como Barra de São Francisco, Nova Venécia, Boa Esperança, Jaguaré e outras, todas ainda pertencentes ao território de São Mateus.

O Porto de São Mateus tornou-se um dos mais importantes da costa brasileira por causa da produção de farinha de mandioca, café e exportação de madeira.

Nele também desembarcaram grande parte dos negros escravizados que vieram para o Brasil e foi nele que foi apreendido o último carregamento clandestino na costa brasileira em 1856, quando foi aprisionado por uma escuna norte-americana na barra de São Mateus com 350 africanos.

Hoje em um dos casarios funciona a Casa do Artesão, onde eu conheci a Hosana. Ela é ceramista e começou a mexer com o barro aos 12 anos de idade. Quem chegar ao Porto poderá levar um dos trabalhos feitos por ela. Souvenirs, panelas, utensílios, itens de decoração, feitos um por um neste trabalho manual maravilhoso. Hosana é neta de uma senhora famosa em São Mateus, a Dona Antônia Paneleira.

[VIDEO]http://www.youtube.com/watch?v=JxB5W-DrNlM,center[/VIDEO]

Hosana: [email protected] / (27) 9937-6837

MUSEU MUNICIPAL

O Museu, localizado na praça municipal, tem uma história interessante. Ele foi construído em 1764 para abrigar a Câmara Municipal e cadeia da cidade. No térreo onde funcionava a cadeia, hoje estão expostas peças da época da escravidão, resquícios da presença de indígenas na região, ferramentas e utensílios antigos. No andar de cima, onde funcionava a Câmara Municipal, ficam móveis, louças e quadros que contam a história da cidade, de seus costumes e sua gente.

IGREJA VELHA

A Igreja Velha é um cartão-postal conhecido em São Mateus. Hoje as ruínas estão ali, no centro da cidade (parte alta) para lembrar a história desta construção do século XIX que foi projetada, a mando dos jesuítas, para ser a maior Igreja da cidade. A obra, que começou a ser construída por escravos negros, nunca foi concluída.


[VIDEO]http://www.youtube.com/watch?v=YsXpNm4tOwM,center[/VIDEO]

IGREJA MATRIZ

Localizada na praça municipal, no centro, é o templo mais antigo da cidade. Sabe-se que foi construída por jesuítas no ano anterior a 1764. A presença de características de diferentes estilos (colonial, neoclássico, rococó) provam quem a Igreja passou por várias reformas ao longo dos anos. Depois de um incêndio no altar-mor , em 1949, um novo altar foi construído nos moldes do anterior e foi resgatada a pintura da obra ”Os anjos da Matriz”, pintada pelo artista mateense Ciro Sodré.

[VIDEO]http://www.youtube.com/watch?v=PVPJGBHChdQ,center[/VIDEO]

IGREJA SÃO BENEDITO

Igreja que representa a cultura afro do município. A Igreja, localizada na praça São Benedito, foi construída pela irmandade dos Homens Pretos e até hoje é referência da cultura negra e onde acontecem celebrações afros durante o ano.

Outros atrativos que completam o roteiro histórico, todos eles de fácil acesso pois estão centralizados na sede do município:

Catedral de São Mateus – situada no bairro Boa Vista, foi inaugurada em 1989. Em forma de tenda, esse templo de linhas modernas, foi projetado pela arquiteta especializada em arquitetura religiosa, Regina Céli de Albuquerque Machado. Têm em seu interior pinturas bizantinas de autoria de artista plástico Cláudio Pastro. Atrás da Catedral, existe uma pequena capela de Nossa Senhora.

Museu Diocesano da Arte Sacra – situado ao lado da Catedral, nele encontram-se expostas imagens sacras dos séculos XVII, XVIII, XIX E XX, além de vários outros objetos sacros, vestes sacerdotais e fotografias dos vários aspectos da história da Igreja Católica em São Mateus e no norte capixaba.

Mercado Municipal – construído na década de 60, passou por algumas reformas e hoje está totalmente remodelado com mosaicos que retratam a cultura e a economia mateense. Apresenta-se como um ótimo atrativo gastronômico e cultural.

elogoali

(845Publicações)

Leticia Vieira é jornalista, radialista, formada também em marketing e Pós Graduada em Gestão em Assessoria de Comunicação. No mercado há mais de 10 anos, está na Rede Vitória desde 2013.

Comentários (9)

  1. Marcia

    Lindo! Me emocionei ao ver esse lugar tão lindo, retratado de forma tão
    singela.
    Parabén as pessoas envolvidas nesse projeto tão importante para a nossa cultura, nós Capixabas temos a obrigação de reconhecer!
    Bjs, Marcia

    Responder
  2. gustavo

    O porto de são mateus é pura história e esta na hora de aproveitarem aquele espaço…é uma pena porque o lugar esta um pouco abandonado mesmo com a casa de artesanato lá. aquelas casas tem que ser abertas, restauradas, aproveitadas. obrigada pelo espaço para falar um pouco da história de são mateus. abraço gustavo mello

    Responder
  3. Thainá

    Lú! Adorei o texto, os videos, as fotos e o mais importante : ter feito parte dessa viagem com você! Obrigada por dividir um pouco dessa pessoa maravilhosa que você é e me permitir conhecer junto contigo outras pessoas nota mil como a Andréa, Seu Jesus e todas as pessoas que nos ajudaram! Super beijo da fã aqui!

    Responder
  4. Baby Bonomo

    Garotas, parabéns pelo trabalho!! Luiza, Obrigada por ter escolhido o nosso rico município e mostrar ao mundo as belezas da região. Você é simplesmente fantástica. Abraços e boa sorte nas próximas viagens.
    Baby

    Responder
  5. Mário Mendes

    Pessoas! Maravilhoso o trabaho de vocês! Deu até vontade de voltar à São Mateus mais cedo. Andréa, valeu pela lembrança! Já está divulgado!

    Responder

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *