A relação entre depressão e Sexo

Imagine o seguinte cenário: você sempre foi um sujeito ativo com muitos sonhos e vontades, então de repente começa a perder o interesse pelas atividades que sentia prazer, passa a não render como antes no trabalho, sente-se triste e incapaz de tomar decisões, passa a ficar a maior parte do tempo isolado longe da família e dos amigos e de quebra ocorre a diminuição do seu desejo pelo sexo.

Se você arriscou pensar que trata-se de um quadro depressivo, acertou!

No Brasil a depressão acomete duas mulheres para cada homem, e com ela, a falta da libido sexual é uma das principais queixas nos consultórios dos especialistas.

O paradoxo é que muitos antidepressivos melhoram os sintomas de tristeza, melancolia, falta de apetite, de energia, porém afetam diretamente o sexo, agravando a falta de interesse sexual.

Este efeito colateral é um dos mais comuns neste tipo de medicamento e se isto ocorrer com você não interrompa o tratamento tentando lidar sozinho com as consequências da depressão, isto pode ser muito perigoso. Peça sempre ajuda profissional.

Efeitos Colaterais

Se você fizer uso de antidepressivos, saiba também que alguns medicamentos interferem dificultando a ejaculação e outros dificultam à mulher alcançar orgasmos.

Outros antidepressivos podem alterar a ereção e o relaxamento normal do pênis e a lubrificação vaginal na mulher.

Alguns medicamentos, sobretudo quando não receitados adequadamente, aumentam o peso devido a retenção e ao acúmulo de água no organismo, onde principalmente a mulher tem um impacto sobre a imagem do próprio corpo.

Sentindo-se mais pesada, aumentando suas medidas, a grande maioria tem interferência direta sobre a autoestima, o que novamente interfere na diminuição do desejo se a mulher se achar menos atraente, podendo ser consequência dos efeitos colaterais de um antidepressivo.

Se você, ou quem estiver com você sentir alterações como anestesia no pênis ou no clitóris, dor após o orgasmo, ereção durante vários minutos sem baixar o pênis e diminuição da ejaculação, busque uma nova avaliação do seu caso, porque pode ser consequência de medicamentos.

O que se deve fazer então?
A principal sugestão é você conversar sobre isto abertamente com um psicólogo ou médico.

Hoje existem muitos antidepressivos no mercado e alguns deles interferem menos na libido.

Converse também com seu parceiro(a) sobre o que está acontecendo para que não sejam gerados mais problemas que possam colocar em risco a relação de vocês.

Juntos, vocês podem lidar com o problema, encontrando formas de superá-lo.

Não deixe de procurar um profissional especialista no assunto, sabemos que quando estamos envolvidos afetivamente no problema fica mais difícil superá-lo e a ajuda de um profissional, sem o mesmo grau de envolvimento que você, com certeza pode ajudá-lo a pensar soluções que antes não estavam visíveis.

Se após o uso de um antidepressivo você perceber que o sexo piorou na qualidade, busque imediatamente o médico que lhe receitou e não deixe de fazer uma avaliação com um psicólogo que conheça de sexualidade.

Tudo isto tem solução.

(524Publicações)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>