27/12/2010 às 7h13 - Atualizado em 27/12/2010 às 7h13

Antes de gravar, Mel Lisboa leva duas horas para virar Dalila

R7
Redação Folha Vitória

Foto: R7
Pode tirar o cavalinho da chuva quem acha que a vida de protagonista de minissérie é fácil. Mel Lisboa que o diga. A atriz gasta, em média, duas horas todo santo dia antes de começar a gravar só para fazer a caracterização da cortesã Dalila, seu trabalho de estreia na Record, no ar a partir do dia 4 de janeiro, às 23h.

O R7 acompanhou a preparação de Mel para dar vida à personagem, que habitou o Vale do Soreque, atual Palestina, há 3.000 anos, e conquistou o coração do herói Sansão (Fernando Pavão) graças à sua beleza estonteante.

A atriz chegou pontualmente às 11h ao complexo RecNov, em Vargem Grande, zona oeste do Rio, e foi direto para os camarins do estúdio G, onde é gravada a trama bíblica adaptada por Gustavo Reiz. A maquiagem e o cabelo são prioridade.

Imediatamente, dois profissionais cercam Mel. A cabeleireira Andreia Jovito Santana cuida das madeixas, que foram alongadas e têm agora quase um metro. Enquanto isso, o maquiador Jadilson Cruz começa a apagar as inúmeras tatuagens que a protagonistas tem pelo corpo. A atriz faz as contas:

- Dependendo do figurino que vou usar em determinada cena, preciso que sejam tapadas de quatro a seis tatuagens. Todos os dias antes de gravar. A que dá mais trabalho são as flores que tenho no braço direito.

O desenho com o nome do filho, Bernardo, na perna esquerda, às vezes não precisa ser apagado com o aerógrafo. Desta vez, ele não escapou. A atriz precisou subir numa cadeira para Jadilson concluir o trabalho, e comentar:

- Usamos uma maquiagem à prova d'água. Nada remove.

Para dar volume aos cabelos, Andreia faz tranças no longo cabelo de Mel, que contou ao R7 que não se adaptou muito bem ao aplique.

- Bem, mesmo, não me adaptei, não. Confesso que tenho preguiça. Tento não lavar todos os dias porque demora a secar e pode ficar úmido. O que é péssimo para a cola entre os fios verdadeiros e os aplicados.

A cabeleireira é só elogios à atriz.

- Mel não dá trabalho nenhum. Nunca reclama de nada.

A intérprete de Dalila se mete.

- Dou muito trabalho para a maquiagem por conta das tatuagens. Adoro tatoos.

Durante a preparação, Mel Lisboa dá uma última passada - em voz alta - no texto das quatro cenas que gravará a seguir, no estúdio G, onde está montado o cenário do palácio do príncipe Inárus (Marcello Escorel). Ela, que dançará para os nobres, aproveita para comentar sobre a personagem.

- É uma personagem maravilhosa, mas ao mesmo tempo muito difícil. A Dalila tem uma trajetória completa. Ela passa por muitas dificuldades e se transforma numa mulher poderosa. Admiro ela, uma guerreira. Queria ser como ela, mas às vezes sou mais boba.

Tapadas as tatuagens, a maratona continua. Mel agora é maquiada no rosto por Jadilson. Rímel nos olhos e um tom mais bronzeado nas maçãs por conta do sol forte que atingia a região do Oriente Médio onde se passa a trama. A atriz tem, naturalmente, a pele muito alva.

Em seguida, ela parte para o camarim feminino, onde colocará o figurino de sua primeira cena do dia. Cerca de 15 minutos depois, ela está de volta, mas por conta do vestido muito aberto nas laterais, rola um imprevisto. Ela precisa retornar à maquiagem para tapar com aerógrafo um pequeno desenho no torso esquerdo. Nada pode ficar à vista.

Somente duas horas e 15 minutos depois, começa, ufa!, a primeira gravação do dia. E vai assim até a primeira semana de janeiro, quando terminam os trabalhos dos 16 capítulos da superprodução da Record.

A Rede Vitória faz parte do
4Ps Todos os direitos reservados © 2007-2014