Desafio 12 Horas das Capitais: chance de correr com ultra Carlos Dias em Vitória

Já pensou correr ao lado do ultramaratonista Carlos Dias, considerado “Super Humano”? Isso será possível no Desafio 12 Horas das Capitais 2019 – Etapa Vitória, no dia 1º de dezembro, com largada no píer de Iemanjá, na praia de Camburi.

Os participantes poderão correr a distância e o tempo que quiserem ao lado dele, que correrá durante 12 horas. O objetivo da prova é levantar fundos para o Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (Graacc), transformando quilômetros em sorrisos.

As inscrições já estão abertas e devem ser feitas no site www.ticketagora.com.br, no valor de R$ 70 (mais taxa de serviços). O atleta recebe uma camisa, uma medalha especial e um certificado de participação. 

O evento não tem caráter competitivo. O Desafio 12 Horas é uma prova com liberdade total de ritmo. Vale a pena ajudar e participar!

Logística

A corrida tem distâncias livres, incentivando  cada atleta a correr quantos quilômetros quiser, entre 5 km e 100 km. O tempo mínino é de 30 minutos e o máximo, de 12 horas. A chegada do desafio será  no mesmo local da largada, ou seja, o píer de Iemanjá, na praia de Camburi. O limite é de 400 atletas participantes.
Perfil

Carlos Dias é o único corredor sul-americano a percorrer os quatro desertos – o mais quente, Deserto do Saara, debaixo de um calor de 54º graus; da Antártica, o mais frio, com 60º graus negativos, de Gobi, o mais úmido, e, o último, o deserto do Atacama, 100% seco, formado por sal.

Em 2015, para celebrar os seus 42 anos de idade, ele correu 42 maratonas em 42 dias. Foram quase 1.8 mil quilômetros em uma velocidade que não ultrapassava 8,5 km. O desafio das maratonas diárias passou por esteiras e ruas de Porto Seguro, na Bahia, Goiânia, Brasília e acabou em São Paulo.

Além disso, o ultramaratonista foi eleito “Super Humano” pelo programa de TV americano History Channel e tem dois recordes homologados no Livro dos Recordes Brasileiro, o RankBrasil. O primeiro foi conquistado em 2008, após cruzar todo o Brasil, do Oiapoque ao Chuí, correndo 9 mil quilômetros em 100 dias, uma média diária de 90 km, ao longo de 14 horas por dia. Em 2009, tornou-se o primeiro sul-americano a correr os desertos mais extremos do planeta e novamente teve o nome incluso no livro dos recordes.

 

Matheus Thebaldi

(56Publicações)

Acompanhava as pessoas nas corridas e ficava impressionado com tamanho fôlego e com tanta disposição até a chegada. Mal corria na esteira. Foi quando fiz uma prova para concurso em 2009 e a mesma exigia o famoso TAF, tendo que correr 2,4km em 12 minutos. Comecei a treinar e não parei mais. Não passei na prova, mas me tornei um viciado em corrida de rua, tendo já feito, inclusive, três maratonas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *