Garoto: atleta de Colatina estreia na prova sem treinar e toma gosto pelas corridas

Preparação e treinamento são essenciais para mandar bem nos 16km da Dez Milhas Garoto, principalmente, para quem vai disputar a prova pela primeira vez. No entanto, o estudante de Sistemas de Informação Rodney Schultz Küster, de 26 anos, resolveu encarar o desafio sem seguir essa recomendação. Foi na 24ª edição da corrida, em 2014. Ele conta como foi a experiência:

Rodney participou da Dez Milhas Garoto pela primeira vez em 2014

“Meu amigo me chamava sempre para correr e decidi que nessa eu iria. Como não tinha o costume de treinar, achei o percurso bem tenso, pensava em parar toda hora, mas ele me puxava e, quando tinha gente, ele falava pro pessoal que eu queria desistir. Daí a galera começava a bater palmas e mandava eu continuar. Foi bem legal essa parte (risos). Decidi fazer a Garoto porque eu acho uma prova bem legal, bonita e desafiadora. Além disso, foi a primeira vez que atravessei a Terceira Ponte, ainda por cima correndo (risos). Na época, eu trabalhava na Fábrica de Chocolates Garoto, então no final ganhei toalhinha e chocolate. Acabou que tomei gosto e nunca mais parei”, lembrou.

Apesar da primeira corrida dele ter sido há seis anos, foi só em 2018 que Rodney levou a corrida mais a sério. “Eu treinava kickboxing e queria melhorar meu condicionamento físico. Então comecei a correr uma vez por semana. No ano passado, teve uma corrida da OAB aqui na cidade (Colatina) e fui na pipoca. Conheci o pessoal da equipe Colatina Runners e fui incluído no grupo do Whatsapp. A partir de então, eu tomei um gosto enorme, pois a equipe é super animada. Sempre marcamos treinos juntos e alugamos van ou micro-ônibus para participar das corridas”, disse o corredor.

Preparação

Para mandar bem na 30ª edição da Dez Milhas Garoto, em 29 de setembro, a preparação segue a todo vapor. “Baixei uma planilha on-line e estou seguindo ela direitinho. Não é o 100% ideal, mas já ajuda. Treino de 3 a 4 vezes por semana, um dia sim e um dia não. São variados em treinos longos, curtos, alguns com diferentes cadências nas corridas. Também treino correndo em morros e escadarias”, contou Rodney.

Corrida

Ele ainda declara o que a corrida representa para ele: “A corrida para mim representa viver, representa qualidade de vida. É onde você desestressa, se sente livre, quebra desafios, ajuda a ter foco, fazer novas amizades e por aí vai…”.

A corrida ainda trouxe bons resultados e pódios para Rodney em 2019:

  • Troféu de 2º lugar por faixa etária no 1º Circuito de Rua Calango Verde;
  • Troféu de 1º lugar por faixa etária no Circuito Capixaba de Montanhas etapa Santa Teresa;
  • Troféu de 1º Lugar por faixa etária no Circuito Capixaba de Montanhas etapa Pedra Azul.

Referência

Rodney tem uma referência nas corridas: o amigo Jadir Milaneze. “Ele é um cara que eu admiro muito! Já é aposentado e é o mais animado do grupo, e estou me espelhando muito nele. Já correu diversas maratonas e tudo mais. É muito humilde. Estou tentando sempre seguir ele nas corridas. A que mais me marcou foi a de Pedra Azul, onde largamos e chegamos juntos”.

Rodney correndo ao lado do amigo Jadir

Parabéns por sua história, Rodney, e boa sorte na Dez Milhas Garoto!  Se você quiser contar também sua história e sua experiência na Dez Milhas Garoto, mande um e-mail para [email protected] .

Serviço

30ª Dez Milhas Garoto

Data: 29 de setembro de 2019

Horário da largada por categoria:
– Atleta cadeirante: 7h10
– Elite feminino: 7h15
– Elite masculino/Pelotão Premium e geral: 7h30
Local de largada: Avenida Dante Michelini x Avenida Luiz Manoel Vellozo, Praia do Camburi (Vitória-ES)

Inscrições pelo site: www.dezmilhasgaroto.com.br

Valores da inscrição:
Individual: R$ 90,00
Pacotes familiares: R$ 115,00 (1 adulto e 1 criança); R$ 140,00 (1 adulto e 2 crianças); R$ 165,00 (1 adulto e 3 crianças)
Pelotão Premium: R$ 250,00 (150 vagas)
Entrega do kit: 27 e 28 de setembro

 

Matheus Thebaldi

(118Publicações)

Acompanhava as pessoas nas corridas e ficava impressionado com tamanho fôlego e com tanta disposição até a chegada. Mal corria na esteira. Foi quando fiz uma prova para concurso em 2009 e a mesma exigia o famoso TAF, tendo que correr 2,4km em 12 minutos. Comecei a treinar e não parei mais. Não passei na prova, mas me tornei um viciado em corrida de rua, tendo já feito, inclusive, três maratonas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *