Dez Milhas Garoto: “Correr é vida”, declara psicóloga corredora

Entre os milhares de viciados em corrida de rua que participarão da 30ª Dez Milhas Garoto, em 29 de setembro, estará a psicóloga Gilza da Silva Araújo Porto, de 44 anos.

Gilza exibe a medalha da 28ª edição da Garoto

Será a quinta vez que ela vai disputar a corrida mais gostosa e tradicional do Estado, mas a corredora garante que cada edição tem uma história e uma emoção diferentes.

“Desde quando comecei a correr, a Garoto sempre foi meu xodó.  É um sonho para qualquer corredor disputar essa prova. Cada corrida tem uma mística própria. A de 2018 (29ª Dez Milhas) foi a mais sofrida por causa do calor. Mas em todas cheguei bem fisicamente e já pensando na próxima. Este ano fiz minha inscrição logo que abriu – será minha 5ª Garoto – e ainda vou levar meu sobrinho de 8 anos para sua primeira Corrida Garotada. Então este ano será mais que especial”, relatou Gilza.

Segundo ela mesma diz, “correr é vida”.  A paixão de Gilza pela corrida pode ser observada nos trechos abaixo.

“A corrida para mim é ‘o meu momento’. Posso estar cansada, chateada, que depois de correr volto muito bem. Corrida para mim é felicidade, é superação, é amizade, é diversão. Mais do que tudo, corrida é vida. Alguns me acham louca por acordar no fim de semana cedinho – às vezes de madrugada -, mas é uma sensação tão boa correr com o nascer do sol que vale a pena. Aprendi na corrida muitas coisas, mas, principalmente, que a superação é diária , além de aprender a respeitar meu corpo e meu limite. E isso levo para o meu cotidiano. Gratidão a todas as pessoas que diretamente ou indiretamente contribuíram para eu me apaixonar cada dia mais pela corrida. Me perguntam o que eu ganho correndo. E eu respondo com um belo sorriso: ganho vida!”

Primeiras passadas

“Nunca imaginei correr na minha vida. Sempre pratiquei esportes, fazia caminhada, mas pensava que não tinha condições de correr e jamais conseguiria porque não tinha condições físicas. Caminhava próximo à minha casa e sempre via várias pessoas correndo e sempre imaginando: ‘eu não daria conta’. Até que em dezembro/2014 uma amiga me chamou para correr com ela. Ela já corria um pouquinho e o marido dela já praticava a corrida há algum tempo com bons resultados. Comecei a correr de poste em poste, depois corria dois e andava mais dois, até quando me dei conta e já fazia 1 km sem parar. Lembro da primeira vez que fiz 4 km sem parar. Senti uma alegria tão grande! Foi muito emocionante, quase chorei”.

Primeira corrida

“A minha primeira corrida foi em fevereiro de 2015, em Camburi, próximo ao Carnaval. Eram apenas 4 km e era meu presente de aniversário de 40 anos. Não fui muito bem. Andei no final, mas passar pela linha de chegada me impulsionou e eu sabia o que eu queria: terminar uma corrida sem andar. Continuei a treinar por conta própria e junto com pessoas que já corriam. Coloquei como meta que correria a Garoto. Um sonho para qualquer corredor. Mesmo iniciando no mundo das corridas, todo mundo perguntava: ‘vai fazer a Garoto?’ Eu sempre respondia ‘sim’. Em 2015 (mesmo sem estar totalmente preparada), fiz a tão sonhada Garoto (26ª Dez Milhas) ao lado de pessoas maravilhosas que me incentivaram a continuar. Terminei a corrida sem andar e num tempo melhor que eu imaginava”.

Gilza vai disputar a Dez Milhas Garoto pela quinta vez

Desempenho

“Um ano depois da minha primeira prova e para melhorar o meu desempenho, entrei numa assessoria, onde treino até hoje. Na equipe Running4Life, encontrei uma nova família e amigos maravilhosos. Melhorei meu tempo e, em 2017, diminuí em quase 10 minutos meu tempo na 28ª Dez Milhas. Também em 2017, fiz minha primeira Meia Maratona, no Rio de Janeiro. Outro momento emocionante: já corri em Minas Gerais, na Bahia, no Rio de Janeiro e no interior do Espírito Santo”.

Apoio

“Sempre contei com o apoio do meu esposo, que “me leva e me busca nas corridas”. Também tenho o apoio dos meus amigos que não correm, mas acham o máximo eu correr, faça chuva, faça sol ou frio. Atualmente, treino 3 a 4 vezes na semana. Depende da semana. Minha meta na corrida é fazer a minha melhor Garoto e chegar bem. Mesmo naqueles dias que o sofá nos atrai, não abro mão da corrida, A estratégia é chegar, trocar de roupa e sair, sem pensar muito”.

É isso aí, Gilza!!! Parabéns por sua história e por mostrar e provar às pessoas que correr é “ganhar vida”. 

Serviço

30ª Dez Milhas Garoto

Data: 29 de setembro de 2019

Horário da largada por categoria:
– Atleta cadeirante: 7h10
– Elite feminino: 7h15
– Elite masculino/Pelotão Premium e geral: 7h30
Local de largada: Avenida Dante Michelini x Avenida Luiz Manoel Vellozo, Praia do Camburi (Vitória-ES)

Inscrições pelo site: www.dezmilhasgaroto.com.br

Valores da inscrição:
Individual: R$ 90,00
Pacotes familiares: R$ 115,00 (1 adulto e 1 criança); R$ 140,00 (1 adulto e 2 crianças); R$ 165,00 (1 adulto e 3 crianças)
Pelotão Premium: R$ 250,00 (150 vagas)
Entrega do kit: 27 e 28 de setembro

 

Matheus Thebaldi

(118Publicações)

Acompanhava as pessoas nas corridas e ficava impressionado com tamanho fôlego e com tanta disposição até a chegada. Mal corria na esteira. Foi quando fiz uma prova para concurso em 2009 e a mesma exigia o famoso TAF, tendo que correr 2,4km em 12 minutos. Comecei a treinar e não parei mais. Não passei na prova, mas me tornei um viciado em corrida de rua, tendo já feito, inclusive, três maratonas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *