Libertadores: será que devemos levar a sério?

Mais uma vez, vem a discussão sobre a principal competição da América: a Libertadores.

Depois da partida entre Boca Juniors e Cruzeiro, os torcedores e clubes mostram sua indignação com a Conmebol.

No lance que houve a expulsão do zagueiro Dedé, o homem de amarelo consultou o VAR e, para descrédito total da tecnologia, resolveu dar o vermelho ao brasileiro.

Ao final da partida, o técnico Mano Menezes fez um alerta aos clubes brasileiros que estão em competições organizadas pela entidade sulamericana.

Bom, explicado o caso, vem uma análise.

Não adianta nada os clubes chorarem, reclamarem depois, tem que bater o pé antes.

A CBF é incompetente, desorganizada, uma entidade que não tem respeito e nem dá proteção aos clubes brasileiros.

Durante a Copa do Mundo, o presidente Antônio Carlos Nunes, o Coronel Nunes, mudou o voto para a escolha da sede do mundial de 2026.

Ele havia acordado que apoiaria a escolha da América do Norte, mas quando revelou o voto, escolheu Marrocos.

Isso criou uma enorme crise entre CBF e Conmebol, que se sentiu traída.

Daí, podemos imaginar o quanto as duas entidades se merecem.

Exemplos não faltam. Santos foi punido por escalar jogador irregular, Boca e River, não.

Os erros de arbitragem contra clubes brasileiros é cada vez mais comum, e o que faz a senhora CBF? Vai ao Paraguai e faz uma representação.

Infelizmente os clubes são coniventes com essa situação.

Eles escolhem o presidente, eles assinam os regulamentos, e depois, como se fossem coitadinhos, se fazem de vítimas.

A verdade é que todos, todos os clubes brasileiros não se ajudam.

Estão mais preocupados com a rivalidade local do que com uma união para brigar com a Conmebol.

E tem outra, essa Libertadores da América é um torneio horroroso, de baixa técnica e que vale tudo.

Garrafada, porrada, cusparada, enfim, tem gente que acha que é “espírito de libertadores”, eu acho que é uma porcaria mesmo.

Hoje tem Dividia Futebol Clube às 16hs no Facebook do Folha Vitória.

Abraços

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *