Seleção de taekwondo faz preparação especial e se mostra confiante para o Mundial

 Versão para impressão  

Rio - Em preparação para o Mundial de Muju, na Coreia do Sul, que será realizado entre os dias 22 e 30 de junho, a seleção brasileira de taekwondo encerrou nesta quarta-feira um período especial de treinamento realizado no Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (Cefan), no Rio de Janeiro.

O evento teve início no último dia 17 e reuniu os 16 atletas brasileiros classificados para o Mundial de Taekwondo. Durante a semana, considerada importante para unir e dar energia à equipe, eles ficaram alojados no Cefan e aperfeiçoaram golpes, melhoraram o condicionamento físico e ajustaram a estratégia para a competição.

E a iniciativa foi aprovada pelos atletas. "O Mundial é fundamental porque rende muitos pontos no ranking mundial, que é classificatório para os Jogos Olímpicos. É importante chegar em 2020 já com a vaga adiantada para poder chegar mais descansado aos Jogos. O Mundial é o primeiro passo nessa jornada", avaliou Maicon Andrade, bronze nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016.

Assim, conforme acrescentou Maicon Andrade, o período de treinos fortaleceu a sintonia da equipe para o novo ciclo olímpico. "Esse período de treinamento em conjunto foi muito importante. Isso faz com que a gente se una, se torne um time entrosado", destacou. "Não defendemos mais a nossa equipe, somos uma seleção. Todos se cobram para treinar no limite e isso só faz bem. A energia que estamos passando aqui será a energia que vamos levar para o Mundial. Todo mundo alegre e feliz, todo mundo curtindo".

O período de treinamento, realizado em parceria pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) e pela Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD), ocorreu depois do COB anunciar que bancaria os custos de preparação e da viagem, entre outros, devido à grave crise financeira enfrentada pelo órgão responsável pela modalidade.

Uma das apostas do COB para esse processo foi trazer Natália Falavigna para coordenar o período de treinos. Medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, ela tem atuado no alinhamento entre comitê, atletas e treinadores.

"Eu sou a pessoa que cuida da estrutura do atleta, de toda a logística para ele só se preocupar em treinar e competir. Fico com a parte de papelada, do local de treino, de entender tudo o que o atleta precisa. A minha função entender tudo o que eu precisei um dia e que posso antecipar para que eles tenham o melhor rendimento", explicou Natália Falavigna.

A experiência foi ainda mais importante porque, dos 16 integrantes da seleção, 10 irão estrear em Mundiais. É o caso de Edival Marques, medalhista de ouro dos Jogos Olímpicos da Juventude de Nanquim-2014. "Treinar com eles inspira a todos nós. Qualquer dúvida que eu tenho, procuro a Natália e ela está sempre disposta a ajudar", garantiu o atleta.

Assim como Maicon Andrade, ele também apostou que o entrosamento pode fazer a diferença no Mundial. "Adorei esse período de treinamento em conjunto, que é uma coisa que não acontecia muito. Nós chegávamos em uma competição sem conhecer direito o restante da equipe. Trabalhar em equipe e se unir como um time, ajudará a conquistar os nossos objetivos", completou Edival Marques.

Encerrado o período de treinamento nesta quarta-feira, os atletas voltam a se reunir no dia 11 de junho, quando embarcam para fazer a aclimatação em Tóquio, no Japão.

 Versão para impressão  

MAIS LIDAS

Jornal Folha Vitória
Todos os direitos reservados © 2007-2016