Daniel Dias fatura o tetra nos 50m livre e Glock leva seu 1º ouro em Mundial

 Versão para impressão  

Cidade do México - Daniel Dias escreveu mais um capítulo do seu livro de glórias na noite desta terça-feira, na Piscina Olímpica Francisco Marquez, na Cidade do México, onde conquistou a sua quarta medalha de ouro no Mundial Paralímpico de Natação de 2017. O maior astro brasileiro dos esportes adaptados desta vez venceu a final dos 50 metros livre da categoria S5.

Ele se sagrou tetracampeão desta prova, que venceu nos três Mundiais anteriores que disputou em Eindhoven-2010, na Holanda, em Montreal-2013, no Canadá, e em Glasgow-2015, na Escócia. Assim, ele também passou a ostentar incríveis 28 ouros ao longo de cinco participações em Mundiais.

Para coroar o seu domínio no México, Daniel Dias voltou a ser superior como já havia sido pela manhã, nas eliminatórias dos 50 metros livre. Mais uma vez, ele disparou na largada e depois começou a abrir vantagem até bater na borda em primeiro lugar com o tempo de 32s66.

O nadador que tem má formação congênita nos membros superiores e também da perna direita foi quase dois segundos mais rápido do que o segundo colocado, Tung Thanh, do Vietnã, que fechou a prova em 34s59 para assegurar a prata, enquanto que a medalha de bronze ficou com o espanhol Sebastian Rodriguez, com 34s66.

Antes deste novo triunfo, o nadador brasileiro já havia faturado em solo mexicano as medalhas douradas dos 50 metros costas e dos 100 metros livre em sua categoria, assim como ajudado a equipe nacional do revezamento 4x100 metros livre a se garantir no topo no pódio.

Na última segunda-feira, por sua vez, Daniel Dias havia ampliado uma outra hegemonia em Mundiais Paralímpicos. Ele também conquistou o tetracampeonato dos 50 metros costas, na qual também foi ouro em Eindhoven, Montreal e Glasgow.

TALISSON GLOCK TAMBÉM É OURO - Se Daniel Dias ampliou a sua hegemonia em mais uma prova, o brasileiro Talisson Glock conquistou na noite desta terça-feira o seu primeiro ouro em um Mundial Paralímpico. Ele triunfou na final dos 100 metros costas classe S6. Esta está sendo a terceira participação do nadador na competição, na qual ele havia ficado com a prata nesta mesma prova em Glasgow-2015 e ficado em quarto lugar em Montreal-2013, então com apenas 18 anos de idade.

Para ele, este ouro também tem um sabor especial pelo fato de que deixou escapar nesta mesma prova o bronze nos Jogos Paralímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, por causa de apenas 56 décimos de segundo em relação ao terceiro colocado. Desta vez, porém, Talisson Glock impôs um ritmo forte desde a largada e fechou a final em 1min18s10, quase dois segundos antes do espanhol Antoni Bertran, medalhista de prata com o tempo de 1min20s03. O bronze ficou com o italiano Antonio Fantin, com 1min22s18.

"É minha principal prova, fiz uma temporada forte em Joinville, fui campeão da última etapa do Circuito Loterias Caixa, em outubro, em São Paulo, vinha fazendo os melhores tempos do ano, sabia que entraria nessa prova para brigar, apesar de não ser os melhores tempos da vida. Tenho certeza que me preparei no lugar certo, com as pessoas certas, para voltar ao meu auge, que foi em Glasgow-2015", ressaltou o nadador, que foi atropelado por um trem aos 9 anos de idade, no interior de Santa Catarina, e perdeu parte do braço e perna esquerdas no acidente.

 Versão para impressão  

MAIS LIDAS

Jornal Folha Vitória
Todos os direitos reservados © 2007-2016