Adaptação escolar e as histórias infantis

“Eu não aguento mais comer o que eu não gosto!”

Falou chorando o menino de 6 anos, privilegiadíssimo, um dos 6 alunos da única escola montessoriana particular de Fortaleza – CE. Isso porque o arroz da escola é integral, porque não conhecia cuscuz e tapioca já que veio de outro estado e porque seu cardápio pessoal é muito restrito.

Fiquei meio indignada de perceber o tamanho que ele estava transformando aquela situação-problema. Pensando em quanta gente que daria tudo para estar no lugar dele… Mas também sabendo que não poderia cobrar essa noção dele, já que ele não teve experiências suficientes para saber isso…

Resolvi trabalhar a história com uma metáfora: “Hoje, antes de dormir, vou te contar a história do João.”

Contei sobre um João dos inúmeros que existem no Brasil e no mundo. Que teve uma vida muito difícil e pobre. Que acabou sendo retirado da sua família pelo conselho tutelar e que foi colocado para adoção. Contei do sofrimento. Contei da nova família que o adotou e da nova escola com arroz integral que João achava maravilhoso já que havia passado muitos dias de fome. Contei sem dar lição de moral… Contei apenas contando mesmo… Ele perguntou se era uma história real… e quem havia me contado… e eu, pensando nos inúmeros Joões que existem por aí respondi que sim (e não é?)… que eu havia lido (na vida!).

Perguntei a ele o que podia aprender com essa história e ele respondeu que deveria agradecer por qualquer comida que tivesse para comer. E me perguntou o que eu tinha aprendido… Respondi que aprendi que essa história me mostrava como meus problemas eram pequenos… Que, às vezes, a gente aumenta coisas pequenas demais e quando vê uma vida como a do João percebe que os problemas dele é que são problemas grandes de verdade…

Abraço, beijo, 5 coisas para agradecer, Santo Anjo e cama!

Hoje voltou da escola feliz. Não reclamou de nada. E a gente segue buscando forjar um caráter decente e com pés na realidade.

(474Publicações)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *