O genro que eu quero

O genro que eu quero é companheiro, leve e bom.

O genro que eu quero espeita a natureza e os animais. Não joga lixo no chão, economiza água, luz e o tempo alheio.

Gosta de crianças e idosos. É afetuoso e sabe a importância de demonstrar os seus sentimentos.

O genro dos meus sonhos tem amor ao próximo, gosta de ajudar e é caridoso.

É responsável, honesto e valoriza o trabalho. Entende a importância do dinheiro e também que dinheiro é só dinheiro.

Esse futuro genro cresceu participando dos trabalhos domésticos e, por isso, compreenderá, na prática, que as tarefas são inerentes a todos que moram na casa, sem distinção de gênero ou idade.

O mesmo vale para a criação dos filhos que ele terá. Ele viveu e percebeu como é difícil e prazeroso cuidar de um bebê. Saberá que ser pai é muita responsabilidade e que é fundamental dividir as responsabilidades com a mãe para o bom equilíbrio familiar.

Sobre família, ele saberá a importância de valorizar suas origens, mas também que é seu papel proteger e preservar a individualidade da nova família que está formando.

Ah, esse genro… Não terá (nem admitirá) preconceitos, nunca será opressor – aprendeu a pedir desculpas desde muito cedo.

O genro dos meus sonhos, na idade certa, soube que o corpo das pessoas é inviolável e que jamais deve ser tocado sem consentimento.

Ele gostará de novidades, de pessoas e sabores – dará chance ao que não conhece. Comerá o que for à mesa, sem distinção. Também gostará de música, de esporte e de conhecer novos lugares. Talvez ele toque algum instrumento.

Esse rapaz que eu tanto sonho é uma pessoa normal e, como tal, terá seus dilemas e adversidades, eu sei. Por tudo isso, ele ouve desde sempre que é importante saber baixar a guarda e pedir ajuda.

Um genro que acreditará em uma força maior e que somos temporários. E que isso não tem nada a ver com religião.

Talvez, em algumas fases da vida, esse genro questione todos os ensinamentos, mas sua essência é boa, as bases são sólidas e sua bondade há de prevalecer.

Sonho com esse rapaz, no futuro. Divago tanto. Acredito que será um ótimo, embora não faça a menor ideia de quem ele será genro, na verdade. Meu, certamente, não será.

Ele é meu filho e o estou criando para ser o melhor genro que alguém possa ter, assim como marido, pai… ser humano. Se eu terei um genro, aí já é outra história…

Priscila Moura

(318Publicações)

Priscila Moura é mãe de um casal e tenta equilibrar as aventuras da maternidade, vida pessoal e carreira. Atualmente, é sócia em uma empresa focada no público mãe e coordena a FanPage Francisquice.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *