Especial Dia dos Pais

“Eu acredito que um pai presente muda tudo”

 

Com essa frase, Marcos Piangers, escritor e palestrante, começa seu manifesto pela paternidade em seu site. Ali, ele defende que “pais não são treinados para serem pais” e chama para a importância dos mesmos quando destaca que “podem melhorar a vida da mãe, do filho e dele mesmo”.

Um discurso muito diferente da forma como a paternidade foi abordada por anos: um fardo, uma função terceirizada ou tipicamente feminina.

O papel de provedor não satisfaz mais os homens (uma salva de palmas)! Eles estão ocupando seu espaço e os, antes, exclusivamente destinados às mães, como fazer os penteados das filhas, escolher roupas, preparar refeições e merendas.

Não apenas os afazeres diários, os sentimentos também mudaram. O envolvimento aumentou. Fatos que o EntreMães pode presenciar em um breve encontro realizado com pais na última semana.

Médicos, empresários ou autônomos. Jovens ou mais experientes. Pais de primeira viagem, de gêmeos ou de muitos. Os pais que ouvimos foram unânimes quando elegeram a generosidade como a característica inerente ao convívio com os filhos.

Claúdio Rezende, oficial de justiça, é pai há mais de duas décadas. São duas meninas e dois meninos entre 4 e 21 anos e muita experiência. Seus pilares são proximidade e disciplina.

“Converso sobre tudo com meus filhos, sem distinção. Posso afirmar que sou a primeira fonte de informação deles. Conversamos sobre escola, viagens, sexo, drogas, internet…”

Cláudio revelou que, muito antes dos celulares e grupos de mensagens, ele mantinha uma relação com o nome de todos os amigos das suas filhas, seus pais e telefones. O tempo passou e ele continua conhecendo todos eles, recebendo-os em casa e acompanhando de perto.

Toda essa amizade não afasta a disciplina “Temos regras e horários, faço cardápio para que eles comam todos os tipos de carnes e vegetais. A família não pode ser uma democracia.”

Claudio com os filhos Marília, Mila, Felipe e Arthur | Foto: Acervo Pessoal.

Claudio com os filhos Marília, Mila, Felipe e Arthur | Foto: Acervo Pessoal.

Na mesma estratégia de proximidade, segue o cirurgião Thanguy Friço, pai de duas meninas. “Eu me envolvo no universo delas. Sou personal stylist, maquiador e cabelereiro. Sei o nome das princesas, as músicas que elas ouvem.”

Na casa dos Friço, muitas vezes o pai é preferência em ajudá-las a se arrumar para sair, por exemplo. “Sou muito prático e objetivo. Talvez seja uma característica que as complete na resolução de uma tarefa.”

Thanguy, Luma e Maitê| Foto: Acervo Pessoal.

Thanguy, Luma e Maitê| Foto: Acervo Pessoal.

Diante dos relatos mais experientes, Theo Valadares, engenheiro, era só atenção. Pai de primeira viagem, ele é ávido por conhecimento. Acompanha blogs, lê, faz muitas perguntas e comemora seu sucesso.

“Catharine e eu somos muito ligados. Dei o primeiro banho, sei todas as vacinas feitas e futuras. Desenvolvi técnicas para que ela faça as refeições e durma nos horários certos. Muito trabalho, muitos erros e acertos, mas está tão bom, tão bom.”.  Ele se emociona ao mostrar os álbuns de fotos no celular e relembrar o parto, a saída da maternidade, os primeiros meses. “Eu sou um cara muito melhor depois que ela chegou. Eu preciso ser, né?”

Theo e Catharine

Theo e Catharine

 

Inspirados nos ditos de Theo e Piangers, EntreMães pediu a alguns leitores, pais atuantes, que falassem sobre a mudança que os filhos trouxeram às suas vidas e compartilhassem um aprendizado. O resultado foi emocionante e valioso. Acompanhem!

 


 

 

Gustavo Lellis, pai da Laura (2 meses).

 

Gustavo e Laura: conquistas diárias.

Gustavo e Laura: conquistas diárias.

Ser pai é uma experiência e, se cultivada com amor e responsabilidade, transforma a vida de um homem. Viver e conviver com a criança é um presente. Cada olhar, cada sorriso, até as fraldas recheadas e o choro interminável… participar do desenvolvimento deste “serzinho” humano, me fez (re)descobrir minha capacidade física e mental.”

Aprendizado

Não espere os mesmos resultados fazendo o que a mãe faz!  A relação mãe e filho é muito forte e madura. Eles criaram isso durante toda a gravidez. Você é pai e acompanhou o crescimento da barriga, mas sua relação será criada e amadurecida na convivência diária com o bebê. Investir neste laço é gostoso e vale a pena!!

Quando se tem um bebê, tudo pode ficar para amanhã, para a semana seguinte, mês que vem. Amigos, futebol, aquele happy hour…vale a pena dizer não a toda sua “velha” rotina para doar a última gotinha de energia em seu corpo para cuidar do filho.

 

 


 

Thiago Lamarque, pai da Carolina (2) e dos gêmeos Betina e Francisco (2 meses).

Thiago, Francisco, Caroline e Betina: muita dedicação.

Thiago, Francisco, Caroline e Betina: muita dedicação.

 

Depois que somos pais, fica fácil compreender um homem que se atira na frente de uma bala para proteger o filho. Parece óbvio.

Eu sempre quis ser pai e hoje comemoro pequenas conquistas, como o sorriso do recém-nascido ou a cumplicidade dos filhos ficarem comigo sem as mães. Carolina pode ficar dias comigo que vai sentir saudade da mãe, mas se sentirá completamente protegida, feliz e bem cuidada. E posso afirmar que com os bebês isso só não é possível porque eu não os peitos da mãe… insuperáveis!!

Aprendizado

Não é fácil.

Muitas vezes estamos esgotados física e psicologicamente. Dá vontade de desaparecer, mas do amor por aquele pequeno ser, vem a superação. Estressado, com a cabeça doendo, a gente resolve fazer melhor que o dia anterior e limpa bem a criança, conta uma história, dá o banho com calma…

Ouvir, buscar paciência pra não gritar. Ficar 12 horas fora, chegar e viver meus filhos intensamente torna tudo maior e mais irado que eu imaginava.


Frederico Neves, pai da Fernanda (7) e Thiago (2)

Frederico e Maria Fernanda: crédito aos filhos. | Fotos: Karla e Kristina Gonçalves.

Frederico e Fernanda: crédito aos filhos. | Fotos: Karla e Kristina Gonçalves.

Aprendi a enxergar o próximo de verdade, a querer contribuir com o outro. Parece que o coração aumenta com a paternidade. Sou muito mais compreensivo, hoje. Guardo grandes lições, como quando, diante de um conflito, acreditei na versão de um adulto à da minha filha. Foi muito doído perceber após tê-la advertido que, entre as versões, a dela era a verdadeira. Momentos que não há como esquecer.

 

Aprendizado

Não me importar com regras sociais impostas ou teorias “faça isso que dá certo”. Seguir o coração, mas dando limites.

Com Thiago: amor e limites.

Com Thiago: amor e limites.


Gabriel Duarte, pai da Laís e Isabela (3 meses)

Gabriel e as filha Lais e Isabel: vivência.

Gabriel e as filha Lais e Isabela: vivência.

A paternidade traz mais responsabilidade e maturidade. A gente valoriza ainda mais as coisas simples, o viver a vida com prazer. Passa a não dar importância aos pequenos problemas e às coisas materiais.

Aprendizado

Ir além do “ajudar a mãe”. Entender e participar de todas as fases do desenvolvimento do bebê, compartilhar toda essa experiência e estar cercado de pessoas que querem seu bem.


Evandro Pessotti, pai do Vicente (4)  e Ivie (1).

Evandro, Vicente e Ivie: atenção ao que os filhos dizem.

Evandro, Vicente e Ivie: atenção ao que os filhos dizem.

A paternidade é um exercício diário de amor e paciência.

Aprendi a diferença entre escutar e ouvir de verdade as pessoas, tentando compreendê-las. Valorizamos os momentos mais simples e a importância dos detalhes nos relacionamentos.

Lembro quando meu filho, então com 3 anos, foi fazer exame de sangue e não conversamos previamente sobre o assunto. Ele ficou muito assustado na hora e percebi que aquele procedimento não teria sido tão dolorido se eu tivesse explicado sinceramente como iria acontecer.

Aprendizado

Todos têm coisas importantes a falar, mesmo os mais pequenos.


A todos os pais, pais de coração e de consideração, pais-avôs, pais-tios, pais-mães, pai-dratos, pais solteiros, conquistados e emprestados, nosso sincero desejo de um feliz dia e muitas experiências.

Priscila Moura

(318Publicações)

Priscila Moura é mãe de um casal e tenta equilibrar as aventuras da maternidade, vida pessoal e carreira. Atualmente, é sócia em uma empresa focada no público mãe e coordena a FanPage Francisquice.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *