Livre Agir

(Por Robson Melo)

E-mail enviado à Ministra Carmen Lúcia do STF

[email protected]

Sra. Ministra, a confiança em sua atuação como magistrada no imperioso dever de defender a Constituição e a Justiça me fazem trazer-lhe o apelo que fazemos eu e muitos milhões de brasileiros(as): RESISTIR ÀS MANOBRAS, que envergonham a Magistratura e revoltam os brasileiros, de alguns ministros do STF em querer revisar, MUITO OPORTUNÍSTICA E CASUISTICAMENTE, a decisão de que a Justiça Penal se faça presente já em 2a instância do Judiciário.

OPORTUNÍSTICA , por querer bloquear o combate à corrupção que, no momento, se faz de fato. É MUITO ESTRANHO TAL INVESTIDA de alguns de seus colegas ministros do STF.

CASUÍSTICA porque Chefes de Governo estariam incriminados na Operação Lava Jato e nunca antes se teria pensado nisso em favor dos necessitados, pobres, encarcerados sem qualquer assistência de advogados. É revoltante ver o Ministro Gilmar Mendes se valer da estatística da Defensoria Pública, dedicada aos que não podem custear advogados, para argumentar a favor dos crimes de colarinho branco.

Sra. Ministra Carmen Lúcia, APELAMOS À SUA PESSOA E ÀS SUAS PRERROGATIVAS DE PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL para que sequer paute este tema sombrio, oportunístico e casuístico até que uma normalidade politico-institucional, com o devido estágio mais avançado de combate à corrupção, se faça presente.

Saiba, Ministra, que o povo brasileiro não demanda tal revisão, manobrada por interesses que não os da população, a quem a senhora se dirigiu muito respeitosa e prioritariamente em seu discurso de posse no cargo de Presidente do STF.

Renovando a confiança em Vossa Senhoria, respeitosamente

Robson Melo é Consultor para a Sustentabilidade

(72Publicações)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>