Camburi resiste!

Aqueles que me conhecem sabem que há tempos tenho defendido e lutado pela revitalização da Praia de Camburi. Um dos maiores cartões postais de Vitória, com uma orla tão grande e bonita não podia ter o seu uso restrito a atividades físicas durante o período noturno.

Sempre defendi que o potencial da praia podia (e devia) ser melhor explorado, sobretudo atraindo os usuários durante o dia, através do esporte, lazer, do incremento da parte gastronômica dos quiosques, e também da permissão de vendas na própria areia da praia. Isto além, evidentemente, da necessidade de combater o despejo de esgoto e poluentes na água, garantindo a balneabilidade da praia.

Nestes últimos meses, entre o final de 2017 e agora o início de 2018, tivemos nossa esperança renovada. Algumas ações, dentre as quais destaco: o convênio da Prefeitura com a União, que permitiu à prefeitura regular o uso da praia; a brilhante ideia do Sindibares e da Secretaria de Trabalho Turismo e Renda de implementar nos quiosques (até então abandonados, e com aluguéis insustentáveis) o projeto do Roda de Boteco, com a participação de 07 bares premiados no festival; e a instalação da Arena de Verão pela Secretaria de Esportes, com o estímulo das atividades esportivas e aeróbicas, tem, de fato, dado uma grande contribuição no sentido da revitalização de nossa praia.

Há tempos não via a Praia de Camburi com tantos frequentadores durante o dia como neste último sábado. Algo que não acontecia desde o fim dos Quiosques do Batman e Loiola. Frequentadores na areia, famílias almoçando nos quiosques, outros se exercitando na Arena de Verão. Enfim, um dia nostálgico e que nos mostra que estávamos certos: Camburi ainda tem muito a render no turno diurno!

É claro que ainda são muitos os desafios! Sobretudo no que tange ao combate à emissão de poluentes e esgoto “in natura”, em grande parte oriundos do Rio Camburi, na parte norte da Praia (próximo ao Viaduto Araceli Cabreira Crespo), e do canal de Camburi (próximo ao Píer de Iemanjá).  Dos 10 pontos de análise de balneabilidade de Camburi, estão nestes locais os 03 pontos ainda impróprios e interditados para banho.

Inclusive, com relação à poluição na parte norte da praia, oriunda dos esgotos trazidos pelo Rio Camburi, é importante lembrar que em 16 de março de 2017 foi assinado o Termo de Compromisso Ambiental para adoção de medidas de recuperação e compensação ambiental da parte norte da praia de Camburi, onde, dentre os compromissos celebrados encontra-se o item 2.1:

“2.1. CESSAR AS FONTES DE POLUENTES PARA O RIO CAMBURI: Através da celebração de Acordo de Cooperação Técnica a ser proposto pelos órgãos públicos competentes, com participação, além da SEAMA, dos Ministérios Públicos, IEMA, Agência Estadual de Recursos Hídricos (AGERH), Companhia Espírito Santense de Saneamento (CESAN), Secretarias Municipais de Meio Ambiente de Vitória e Serra, com o objetivo de despoluir e revitalizar o Rio Camburi.
Prazo: 06 (seis) meses a partir da data de assinatura do presente”.

Fiquemos atentos a este compromisso, cujo prazo para celebração do Acordo de Cooperação Técnica venceu no mês passado. Somente unidos e vigilantes conseguiremos avançar neste quesito, para conseguir que os compromissos avençados aconteçam de fato, e não fiquem, mais uma vez, apenas no papel.

É evidente, portanto, que os desafios persistem, são muitos. Mas com o mesmo ímpeto que cobramos, também devemos reconhecer as boas ações, e saber ser gratos quando observamos a voz da comunidade sendo ouvida. Por isso digo, sem sombra de dúvidas, que o bairro Mata da Praia amanheceu mais feliz neste último sábado (06/01/2018). E que esperamos que sábados como este se repitam por muitos e muitos anos.

Paulo Vitor Aquino Dal´Col é presidente da Associação dos Moradores da Mata da Praia

(165Publicações)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *