A dor da mudança corporativa

Wallace Vieira é Presidente da Wattz Consultoria e do Portal Mentores SA

Muitos empresários e empreendedores vivem hoje uma dor e uma angústia profundas na gestão de seus negócios. Sentem que o controle está indo embora como água escorrendo pelos dedos, que o consumidor já não é o mesmo, e a consequência deste cenário é um sentimento de medo cada vez maior, que os impede de sair da posição de inércia.

Por que será que tudo isso está acontecendo? E como fazer retomar aquele “brilho nos olhos” do empreendedor de tempos atrás?

Para começar é preciso entender que o mundo corporativo, atualmente, vive um paradoxo entre o velho mundo físico ou analógico e o novo mundo virtual ou digital. Foi esse antagonismo que abriu este enorme abismo no mundo corporativo.

De um lado do abismo estão empresas hipermodernas, usando alta tecnologia e ferramentas como big data, inteligência artificial, internet das coisas e marketing de relacionamento, além da priorização em treinamentos, suporte e premiação compartilhada de seu time de colaboradores e parceiros.

Do outro lado vemos, infelizmente, a grande maioria das empresas, de segmento diversos, ainda trabalhando de forma totalmente analógica, com controles financeiros, comerciais e vendas manuais, marketing tradicional, sem inteligência de mercado, sem inovação, sem diferencial competitivo e com pouco apetite para buscar informações vitais para a manutenção e sobrevivência do seu negócio. Soou familiar?

Mas, o que fazer para transpor este abismo rumo ao novo? Em primeiro lugar é importante saber que o consumidor do passado já não existe mais e, mais relevante ainda, que o mundo tem muito mais produtos para vender do que sua capacidade de consumo.

Também é importante observar como as empresas estão se portando. São muitas as mudanças profundas que estão sendo desencadeados neste momento. Confira algumas delas: em breve as montadoras de automóveis não venderão mais carros e sim serviços ligados à mobilidade ou desaparecerão (Uber é só o começo); os carros autônomos vão acabar com a necessidade de tirarmos carteira de motorista e as auto escolas se tornarão desnecessárias; com isso os acidentes vão diminuir drasticamente e as seguradoras irão perder bilhões de faturamento; as vagas de garagem em  prédios e casas serão supérfluas, pois ninguém terá carro próprio, abrindo outras oportunidades nesses novos espaços, e por aí vai.

Imagine quantos negócios e empregos serão extintos e quantos outros irão aparecer a partir dessas mudanças? E você, como estará o seu negócio com essas e outras transformações que estão chegando na velocidade da luz?

Como todo bom empreendedor tem um faro fantástico e extinto de sobrevivência, sugiro que você comece a dar os primeiros passos imediatamente. Repense seu negócio (um mentor pode te ajudar nessa tarefa): crie uma estratégia comercial e de marketing consistente e, por favor, abandone os panfletinhos; mescle colaboradores antigos com os jovens nativos digitais e dê voz a eles, pois eles são seus atuais e futuros consumidores; seja mais estratégico e menos executor, sua hora é muito preciosa; e, por último, trabalhe parcerias poderosas, elas vão alavancar seus números.

Boas estratégias, trabalho e sorte!

(165Publicações)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *