Brasileiro quer reciclar, mas não sabe como, aponta pesquisa IBOPE

Saber da importância de dar um destino correto ao lixo que produz, o brasileiro sabe. Mas de apenas boas intenções, não se faz um país sustentável. De acordo com uma pesquisa do IBOPE Inteligência, que traçou um panorama sobre a percepção da população sobre a reciclagem, o problema é a falta de informação – ou de interesse mesmo.

Ainda não se inscreveu para concorrer ao Prêmio Ecologia 2018? Clique aqui!

Acompanhe o resultado do levantamento: para 98% das pessoas, a reciclagem é importante para o futuro do planeta. O dado sinaliza uma mudança de consciência nos hábitos de consumo, descarte e reciclagem do brasileiro. Dos entrevistados, 68% dizem prestar atenção na hora de comprar produtos com embalagens recicláveis. No entanto, a mesma pesquisa mostra que 39% não separam sequer o lixo orgânico do inorgânico.

Um dos motivos é a falta de informação. 66% dos brasileiros sabem pouco ou nada a respeito de coleta seletiva e apenas 40% afirmam saber que garrafas PET podem ser recicladas. Além disso, somente 28% dizem saber bastante sobre o vasilhame retornável de vidro.

O destino do lixo reciclável e como ele é transformado em novos produtos também parece ser um mistério para a maior parte da população, já que 81% afirmam saber pouco ou nada sobre cooperativas de reciclagem. Além disso, 43% dos entrevistados declaram que não há ou não sabem se há coleta seletiva em seus municípios, e 45% responderam que não é fácil encontrar informações sobre o tema onde moram.

Se os dados mostram que a falta de informação é um problema, também demonstram que há interesse da população em descartar corretamente. Assim, mais do que esperar por soluções complexas e que venham de fora, podemos fazer pequenas mudanças no dia-a-dia e que ajudam a resolver boa parte do problema. Descartar os resíduos de forma separada e conforme as cores, por exemplo, é uma medida simples e que teria um impacto positivo sobre esse quadro caso se tornasse parte do cotidiano das pessoas.

Medidas que podem ser tomadas em um único apartamento, ou em grandes empresas. A Cervejaria Ambev, por exemplo, estabeleceu que, até 2025, 100% dos produtos estejam em embalagens retornáveis ou que sejam majoritariamente feitas de material reciclado. “Hoje, cerca de 33% da nossa produção de PET é feita de material reciclado; com isso, mais de 94 mil toneladas de material virgem deixaram de entrar em circulação, o que equivale ao lixo gerado por 245 mil pessoas em um ano”, explica Filipe Barolo, gerente de sustentabilidade da cervejaria.

A Coca-Cola também anunciou a meta global de tornar 100% de suas embalagens recicláveis até 2030. A companhia informou que já tem feito garrafas melhores, seja com uso de conteúdo reciclado, seja desenvolvendo resinas à base de plantas – ou mesmo reduzindo a quantidade de plástico dos recipientes. Até 2030, o grupo também pretende fazer garrafas com uma média de 50% de conteúdo reciclado.

Da mesma forma que as empresas divulgam sua busca pela sustentabilidade, os cidadãos comuns também precisam despertar para o tema. É obrigação de todos. Não dá mais para esperar a informação cair do céu. Cabe a cada um vencer o desafio e começar a enxergar um caminho, para trilhar o rumo de uma casa, um apartamento, um quintal ou uma empresa minimamente mais sustentável.

(38Publicações)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *