18/10/2010 às 20h0 - Atualizado em 19/10/2010 às 16h45

Uso de pulseiras eletrônicas em recém-nascidos em maternidades pode se tornar lei em Vitória

TV Vitória
Redação Folha Vitória

Foto: Reprodução TV Vitória
Para evitar casos de sequestro e troca de bebês em maternidades, entrou em discussão por todo o Brasil a possibilidade do uso de pulseiras eletrônicas hospitalares. O equipamento é menor que os já utilizados em alguns estados em presos do regime semiaberto.
 
Em todo o mundo, já são mais de 200 mil bebês monitorados pela pulseira. O empresário capixaba Mauro Quintão é o representante dos equipamentos em todo o país. Segundo ele, para que a nova medida entre em vigor no Estado, é necessária a regulamentação de uma nova lei. Em Vitória, um projeto já tramita na Câmara.
 
"Em São Paulo, já foi aprovado pela Câmara de Vereadores. Essa lei será sancionada a nível federal, como aconteceu no caso das tornozeleiras eletrônicas. Aqui no Estado já foi protocolado na Assembleia e apresentado na Câmara de Vereadores", explicou.

O uso da pulseirinha eletrônica em bebês é obrigatório em dez países da Europa. "Pode ser usado em pessoas juridicamente incapazes, como as que têm mal de Alzheimer ou algum tipo de demência. No Brasil, ainda é preciso fazer um estudo jurídico disso", acrescentou.

A Rede Vitória faz parte do
4Ps Todos os direitos reservados © 2007-2014