18/6/2013 às 10h44 - Atualizado em 18/6/2013 às 12h29

Após levar 20 mil às ruas, manifestantes marcam novo protesto em Vitória e no interior do ES

Folha Vitória
Redação Folha Vitória

ReproduçãoUm novo protesto está marcado para a próxima quinta-feira (20), em Vitória e também no interior do Espírito Santo.

Como aconteceu na manifestação desta segunda-feira (17), os horários para o início da caminhada e o ponto de partida são divulgados pelas redes sociais.

Na Capital, mais de 20 mil pessoas confirmaram presença no evento com o título “Não é por 20 centavos - Ato nacional a favor da democracia”. Já em Colatina, no interior do Estado, o evento com o título “Acorda Brasil, Acorda Colatina”, segue o modelo da manifestação nas capitais do país, e promete reunir mais de mil nas ruas do município na próxima quinta-feira (20).

Caminhada leva 20 mil pessoas para as ruas

Mais de 20 mil manifestantes saíram às ruas na noite desta segunda-feira (17), em uma caminhada pacífica em Vitória. Veja as fotos da manifestação em Vitória

A manifestação, que aconteceu simultaneamente em 12 capitais brasileiras, teve como principal alvo a luta contra a corrupção. Cartazes, rostos pintados e bandeiras ilustraram o motivo dos protestos.

Ás 18 horas teve início a caminhada em direção à praça do pedágio da Terceira Ponte. A Ponte da Passagem chegou a ser interditada nos dois sentidos por alguns minutos. Alguns chegaram a sentar no asfalto. Viaturas do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar e da Guarda Municipal de Vitória orientavam os motoristas e seguiam à frente dos manifestantes.

Leia Mais:

Protesto em Vitória termina em quebra-quebra na porta do governador
Confira como foi o protesto em várias partes do Brasil
Manifestantes começam a se concentrar em frente à Ufes para protesto
Cerca de cinco mil pessoas participam de protesto em Vitória
Manifestação no Rio toma toda a extensão de avenida
Manifestantes ocupam espelho d'água diante do Congresso
Protesto fecha dois sentidos da Fernando Ferrari e Rodosol libera pedágio
Manifestantes devem sair às ruas de Vitória em dia de protesto nacional
Mais de 37 mil participarão de protestos fora do Brasil
Artistas postam fotos como protesto contra agressão a jornalistas em São Paulo
Você participou da mobilização que aconteceu nesta segunda em Vitória? Mande suas fotos!
Caminhada em apoio a SP reúne 5 mil em Salvador
Manifestantes invadem o Congresso
Dez mil se dirigem ao Mineirão no protesto em Belo Horizonte
Manifestantes fecham dois sentidos da Terceira Ponte
Em Curitiba, movimento contra corrupção reúne 5 mil

Em alguns pontos da Reta da Penha, os manifestantes soltaram bombas, mas não houve confronto com a polícia. Durante todo o percurso os manifestantes chamavam a população para ir à rua. Pedidos de “justiça” e “abaixo a corrupção” foram entoados em um grande coro durante toda a passeata. Muitos acompanhavam das janelas e varandas de prédios e aplaudiam a manifestação.

Por volta das 20 horas, os manifestantes chegaram à Praça do Pedágio. A Rodosol liberou as cancelas do pedágio para evitar conflito com as pessoas que estiveram no encontro. Alguns chegaram a subir a Terceira Ponte a ponte a pé, e seguiram em direção à Residência Oficial do governador Renato Casagrande. Na região o policiamento foi reforçado pelo Batalhão de Missões Especiais.

A passeata contou com a presença de representantes políticos, entidades sindicais, movimentos estudantis e sociedade civil organizada. Para Vinícius Machado, um dos representantes do movimento estudantil, a tendência é o número de participantes aumente cada vez mais.

“Esse tipo de manifestação representa a insatisfação popular. Foram realizadas grandes obras para a Copa, mas a população não possui saúde, educação, moradia e transporte. Essa é uma onda, que tende a crescer cada vez mais até a Copa no ano que vem”, disse.

Protesto termina em quebra-quebra na porta do governador

A manifestação realizada em Vitória, que durante o início da noite foi pacífica, acabou se transformando em quebra-quebra e atos de vandalismo em frente à residência oficial do governador Renato Casagrande (PSB), localizada na Praia da Costa, em Vila Velha.
 
A confusão aconteceu depois que um dos estudantes atirou uma garrafa de água contra um policial do Batalhão de Missões Especiais (BME) que fazia a segurança do local.
 
Após a agresão, os homens do BME reagiram atirando bombas de efeito moral, tiros com bala de borrachas e gás de pimenta para dispersar os manifestantes. Algumas portarias de edifícios e carros que estavam próximo à residência oficial do governador foram danificadas.
 
Carros de equipes de reportagem que cobriam a manifestação também foram atacados pelos estudantes. A bolsa de uma repórter foi furtada durante o protesto. Um manifestante foi preso no momento que tentava depredar a portaria de um edifício.
 
De acordo com a polícia, ele tem passagem pela Justiça por tentativa de homicídio e agressão à mulher.

A Rede Vitória faz parte do
4Ps Todos os direitos reservados © 2007-2014