11/7/2013 às 10h54 - Atualizado em 11/7/2013 às 15h46

Trabalhador não pode ter o ponto cortado por causa de Greve Geral no ES

TV Vitória
Redação Folha Vitória

Reprodução TV VitóriaOs trabalhadores que foram impedidos de chegar aos seus trabalhos na manhã desta quinta-feira (11), por causa da Greve Geral que acontece em todo país e também no Espírito Santo, pode ficar despreocupado com relação a ter o dia de trabalho cortado.

O advogado trabalhista Bruno Marques explica com o trabalhador deverá repor as horas de trabalho perdidas. “O trabalhador não corre o risco de ter o ponto cortado. O que pode acontecer é que podem eventualmente serem solicitados a cumprir essas horas de hoje. A regra é que essas horas sejam repostas ao final do expediente de outros dias normais de trabalho, conforme a regra do Artigo 68 da CLT. Na verdade é como se fosse uma hora extra não remunerada”, explica Bruno.

Leia Mais:
O dia que a Grande Vitória parou: Pontes fechadas, protestos pacíficos e mais de 1 milhão de trabalhadores em Greve Geral
Greve Geral no ES: Sem ônibus, lojas e supermercados fecham as portas na Grande Vitória
 Greve Geral no ES: Grupo de manifestantes chega à Assembleia e prepara ato 
 Greve Geral no ES: Grupo de moradores interdita pedágio em Guarapari e motoristas enfrentam congestionamento  
Greve Geral no ES: Grupo de manifestantes faz abraço simbólico na praça do pedágio da Terceira Ponte 
 Greve Geral no ES: Governador do ES e presidente do TJ recebem reivindicações de sindicatos no Palácio Anchieta
Greve Geral no ES: Trabalhadores seguem em passeatas rumo à Assembleia e Terceira Ponte é totalmente interditada  
Greve Geral no ES: Acessos aos portos da Serra são fechados por trabalhadores  
Greve que nada! Vendedor de pão de queijo aproveita protestos para faturar  
Greve Geral no ES: Cidades do interior também amanhecem sem ônibus e com manifestações  
Greve geral no ES: Bancos estão fechados, mas acesso a caixas eletrônicos é liberado  
Greve Geral no ES: Trânsito congestiona na 3ª Ponte com apenas duas cabines de pedágio 
Greve Geral no ES: Segunda Ponte é bloqueada e cabines de pedágio são liberadas na Terceira Ponte
Greve Geral no ES: 100% da frota de ônibus não circula na Grande Vitória e faltam táxis nas ruas  
Greve Geral começa com vias interditadas, manifestações e policiamento reforçado no ES  

O advogado salienta que quem não conseguiu ir trabalhar pode ficar tranquilo. “Não vai ter desconto no salário, esse desconto não seria razoável, até por que a manifestação tomou conta das ruas de Vitória e não teria por que ter descontos".

Se algum trabalhador for descontado, deve procurar o advogado do sindicato da classe. “Esse desconto provavelmente não vai acontecer, até por que é uma manifestação programada por toda a classe trabalhadora e, se houver, tem que procurar um advogado e preferencialmente um sindicato de classe”, orienta.

A empresa que fornecer o transporte para os empregados deverá se preocupar com a segurança do trabalhador durante o percurso de ida e volta e também no ambiente de trabalho. “O trabalhador precisa ficar a disposição do seu empregador, essa é a regra, mas é claro que tem que ter uma condição de segurança para chegar, trabalhar e para retornar ao seu lar”, ressalta.

A Rede Vitória faz parte do
4Ps Todos os direitos reservados © 2007-2014