8/10/2013 às 10h49 - Atualizado em 8/10/2013 às 14h40

Gripe, resfriado e alergia nas crianças: diferenças e cuidados

Fabrícia Kirmse
Redação Folha Vitória

DivulgaçãoMuito comuns nos períodos mais frios e também quando acontecem variações climáticas intensas, resfriados, gripes e bronquite nos pequenos são sempre motivo de preocupação e exigem alguns cuidados especiais.

Para esclarecer algumas das principais dúvidas das mamães a respeito do assunto, conversamos com a pediatra Mariângela Alóchio Avellar, do Hospital Metropolitano, que  explicou, entre outras coisas, que quanto mais novinha a criança, mais grave pode ficar o quadro infeccioso, ou seja, a atenção deve ser redobrada com os mais pequeninos quando eles ficam gripados.
 
Uma dificuldade de muitas das mães é saber diferenciar resfriado, gripe e alergia. Quais são as principais diferenças?

Mariângela Avellar - Gripes e resfriados são causados por vírus e a diferença é a intensidade dos sintomas. Geralmente, a gripe vem com febre, tosse e obstrução nasal, e causa mais prostração que o resfriado. A alergia é causada por outro mecanismo, mas as crises alérgicas podem ser desencadeadas por vários fatores, inclusive a infecção viral.
 
Como deve ser o tratamento de gripes e resfriados? E o da alergia?

Mariângela - Os resfriados geralmente duram, no máximo, cinco dias. Para tratá-los, é necessário lavar as narinas com soro fisiológico e aumentar a ingestão de líquido. Para a gripe, é indicado o mesmo tratamento do resfriado, aliado ao uso de analgésicos e antitérmicos. Evite dar outros medicamentos sem prescrição médica. Já a alergia depende do sintoma e de como ele se manifesta. Pode ser usado antialérgico oral, medicamentos tópicos nasais ou via inalatória em caso de asma. Mas sempre com indicação médica.
 
Também é muito comum o aparecimento de bronquites nesta época de variações climáticas. Como diferenciá-la de uma gripe forte, por exemplo?

Mariângela - A bronquite pode ser desencadeada por alergia, alterações climáticas ou também por infecções virais e bacterianas. Geralmente, se diferencia da gripe porque a criança apresenta sibilos (ruído característico da bronquite asmática) e maior esforço respiratório. Em crianças menores de 2 anos, esse diagnóstico diferencial pode ser mais complicado, mas o tratamento é feito da mesma forma.
 
Quando a gripe merece um tratamento mais sério?

Mariângela - Quanto menor a criança, mais grave tende a ser o quadro. Os pais precisam ficar atentos aos sinais de alerta: prostração, dificuldade para respirar (respiração rápida e com esforço) e febre alta persistente.
 
É possível prevenir as gripes e resfriados, e mesmo as crises de alergia e bronquite? Que medidas a mãe pode adotar para tentar evitar?

Mariângela - A prevenção pode ser feita com medidas simples, como manter ambientes arejados, evitar acumulo de pó em casa, oferecer à criança uma alimentação saudável e aplicar as vacinas de gripe na época adequada. Nos casos de asma e rinite, existem medicações específicas que devem ser usadas preventivamente nas crises alérgicas muito frequentes.

A Rede Vitória faz parte do
4Ps Todos os direitos reservados © 2007-2014