Capixaba vende chup chup para salvar namorado de doença rara misteriosa

Para tentar salvar a vida do namorado, Lissa começou a vender chup chup gourmet com o objetivo de bancar um tratamento com células tronco, na Tailândia

 Versão para impressão  
Para Vinicius, coisas simples, como andar de ônibus, por exemplo, pode se tornar uma grande tortura
Foto: Arquivo Pessoal

A jovem capixaba Lissa Fernandes, de 23 anos, vive um drama diário com uma doença misteriosa enfrentada por seu namorado, Vinicius Pinto, de 26. Um médico diagnosticou o rapaz com Distrofia Muscular de Duchenne, uma doença hereditária degenerativa, que causa perda rápida dos movimentos e, consequentemente, a falência dos órgãos e, por fim, a morte.

Para tentar salvar a vida do namorado, há cerca de quatro meses, Lissa começou a vender chup chup gourmet com o objetivo de bancar um tratamento com células tronco na Tailândia.

Chup chup gourmet feito pela capixaba Lissa Fernandes
Foto: Arquivo Pessoal

Segundo Lissa, não existem casos de crianças que chegaram a idade adulta com a doença, e nem casos de desenvolvimento da doença na idade adulta. O jovem já passou pelos hospitais Pedro Ernesto, no Rio de Janeiro, e Sarah Kubitschek, em Minas Gerais, dentre outras instituições, mas nenhum médico conseguiu fechar um laudo. Foram feitos testes genéticos, eletromiografia e biopsia muscular, porém, nenhum exame acusa nada.

"Para a ciência, o organismo de Vinicius é normal e ainda que as características das limitações e deformidades sejam idênticas a de Duchenne, nenhum médico consegue explicar o que ele tem, que faz com que ele perca a força das pernas e agora dos braços. Ou seja, ele tem uma doença misteriosa que está fazendo ele perder os movimentos. Meu amor convive com uma bomba relógio dentro dele, pois sem um diagnóstico exato, qualquer atitude é apenas tentativa e tiros no escuro", revela Lissa.

Com o passar do tempo, as limitações de Vinicius têm piorado. Ele já não se levanta sozinho de cadeiras, cama ou chão, caso ele caia, que segundo a namorada quedas são frequentes. "Ter limitações em um país onde não existe estrutura nas ruas e locais públicos faz com que Vinicius fique mais distante de ter 'uma vida normal', como qualquer outro jovem. Agora, a fraqueza dele está indo para os braços. Ele já não pega peso, não segura uma garrafa de café por muito tempo, não consegue manter o braço erguido, dentre outras limitações", afirma Lissa.

Vinicius Pinto e Lissa Fernandes Foto: Arquivo Pessoal

Para Vinicius, coisas simples, como andar de ônibus, por exemplo, podem se tornar uma grande tortura. Isso porque em pé, o jovem corre riscos de cair e sentado, não consegue levantar, já que não tem força muscular suficiente nos membros inferiores. Foi pensando na melhor locomoção do namorado para fisioterapias e consultas que Lissa resolveu criar o D'Lissa Gourmet, com o objetivo inicial de comprar um carro.

"A princípio a intenção era comprar um carro com o lucro das vendas dos chup chups gourmet. Porém, como a doença tem se agravado, achamos melhor correr contra o tempo e procurar algo que realmente proporcione uma real qualidade de vida para o Vinicius, que é a cura ou tratamento para ao menos estabilizar a doença. Sendo assim, pesquisamos respeito do tratamento com células tronco e o local de referência é o hospital Beike Biotech, na Tailândia", diz.

De acordo com a capixaba, as vendas aumentaram e eles decidiram juntar o dinheiro para custear o tratamento com a injeção de células tronco, hidroterapia e outros necessários, que dura em torno de 6 meses a 1 ano. Porém, segundo Lissa, os valores de custeio total são muito altos para a realidade do casal e variam entre R$ 150 mil e R$ 180 mil.

Foi pensando nisso que o amigo do casal, Arthur Amorim criou uma página para arrecadação de fundos para bancar o tratamento de Vinicius. Além disso, uma conta bancária foi aberta e aguarda doações. "Como no início das vendas nós não expusemos o real motivo, muitas pessoas, ao comprar os produtos nos ajudaram sem perceber e sou grata por isso. Mas peço que continuem comprando nossos produtos, que por sinal são muitos gostosos e feitos com muito amor!", garante Lissa.

O estudante Rickson Hermes disse que acompanha a história do casal desde o início e aprova a produção dos doces da Lissa. "Já provei várias delícias que ela faz e uma coisa eu garanto: quem experimenta não se arrepende. É muito bom. E pelo motivo, que descobrimos agora, vale mais a pena ainda", comenta o estudante.

Se interessou e quer ajudar? Veja os links abaixo:

Página dos produtos D'Lissa Gourmet
Página de arrecadação de fundos para tratamento do Vinicius
Conta bancária para doações:
Banco: Itaú
Agência: 1404
Conta: 28205-3/500

TAGs

  • amor
  • capixabas
  • casal
  • chup chup gourmet
  • doença misteriosa
  • duchenne
  • espírito santo
  • lissa fernandes
  • tailândia
  • tratamento
  • vinicius pinto
 Versão para impressão  

MAIS LIDAS

Jornal Folha Vitória
Todos os direitos reservados © 2007-2016