Cesan busca parceiro para tratar água para reuso em larga escala

Cada litro de água de reuso utilizado representa um litro de água conservada em nos mananciais e disponibilizada para o consumo, o que representa benefício na crise hídrica

 Versão para impressão  
O objetivo é fornecer suprimento de água para a indústria proveniente de sistema de produção de água de reuso
O objetivo é fornecer suprimento de água para a indústria proveniente de sistema de produção de água de reuso
Foto: Reprodução

A Cesan lançou, na tarde desta segunda-feira (20), edital de chamamento público para a realização de estudos de viabilidade técnica, econômico-financeira e arranjo institucional para um novo sistema de tratamento de esgotos em substituição ao da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Camburi, onde o efluente tratado tenha as características para reuso na indústria.

A solução deverá disponibilizar 500 litros por segundo e poderá contratar em parceria com grandes consumidores de água industrial, um sistema de tratamento para reuso de esgotos sanitários.

O objetivo é fornecer suprimento de água para a indústria proveniente de sistema de produção de água de reuso, tratado numa nova estação de tratamento de esgoto que substituirá a ETE Camburi, ocupando menor do que aquela hoje ocupada no sítio aeroportuário. 

O governador Paulo Hartung explicou que a agenda está conectada com um conjunto de ações e medidas desenvolvidas pelo Poder Executivo Estadual na busca por soluções para otimização, preservação e aumento da produção dos recursos hídricos no Estado. 

"A ideia deste projeto é dobrar a capacidade de tratamento, em uma área um terço menor da atual e produzir efluente de melhor qualidade. Neste momento estamos atuando na unidade de Camburi e, mais à frente, vamos desenvolver esse procedimento em outras estações de tratamento".

Para Pablo Andreão, diretor-presidente da Cesan, o uso do efluente das ETEs, além de  também representar um avanço no aproveitamento do recurso hídrico, contribui para a gestão da crise hídrica, economia financeira para quem compra, pois o valor é mais baixo do que o da água potável. 

“A crise hídrica que atingiu o Espírito Santo nos últimos dois anos impõe à sociedade e ao Governo a necessidade de fortalecer ações de sustentabilidade ambiental, sejam elas individuais ou coletivas. Este projeto se torna sustentável, pois reduz na mesma proporção a captação de água em corpos hídricos cuja capacidade de fornecimento de água bruta é limitada”, afirma.

O edital será publicado no Diário Oficial, desta terça-feira (21), e estará disponível no site www.cesan.com.br. Os interessados terão até 30 dias para manifestar interesse em realizar os estudos. Apresentada a manifestação terão até 120 dias para entrega dos estudos. 

Após a conclusão dos estudos os mesmos serão avaliados para verificar o atendimento aos requisitos exigidos e sua viabilidade econômica financeira. Sendo o custo de tratamento compatível com a realidade do mercado, começa a fase seguinte, que é a licitação de uma concessão para implantar as obras e operar o sistema por prazo superior a 20 anos.

TAGs

  • água
  • cesan
  • crise hídrica
  • ete
  • indústria
  • reuso
 Versão para impressão  

MAIS LIDAS

Jornal Folha Vitória
Todos os direitos reservados © 2007-2016