22 dez 2014

Três presos e um foragido acusados de atirar em jovens na saída de boate em Vila Velha

Publicado às 6:00 | Postado por Folha Vitória

Júlio César

Starley Ferreira

Venancio Rodrigues

A Polícia Civil elucidou o duplo assassinato das primas Gabriele de Oliveira, 15, e Thaís Ribeiro, 16 anos, ocorrido na madrugada do dia 23 de novembro, após saírem de uma boate onde era realizado um baile funk, na orla de Itaparica, em Vila Velha. Três suspeitos do crime estão presos há mais de duas semanas, mas para não atrapalhar as investigações, a equipe da Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM) manteve o caso sob segredo. Isso porque, o quarto suspeito do crime está foragido.

Rulian Avancini

Rulian Avancini está sendo procurado pela polícia

De acordo com o delegado Adroaldo Lopes Rodrigues, já estão atrás das grades: Starley Ferreira, Venâncio Rodrigues da Silva e Júlio César Castelo de Souza. Rulian Avancini dos Santos, que teria efetuado mais de 20 tiros contra o táxi onde estavam as vítimas, ainda não foi encontrado. “Nós já temos todas as provas juntadas ao inquérito. Ao contrário do que os famíliares das meninas falaram na imprensa, nós não estávamos parados. Investigamos, juntamos provas e pedidos a decretação da prisão dos envolvidos. Depois, a equipe correu atrás para prendê-los, mas um não foi encontrado”, afirma o delegado.

De acordo com as investigações da polícia, as meninas foram mortas porque pegaram carona com o alvo dos criminosos, Rodrigo da Silva, 23 anos, que teria brigado com Rulian dentro da boate. “Essa é a motivação. Os dois teriam brigado dentro da boate. Rodrigo tentou sair do local às pressas. As meninas, ao que parece, não sabiam de nada e pegaram carona com ele. No caminho, os suspeitos interceptaram o carro onde as meninas e Rodrigo estavam e efetuaram vários tiros. Tenho informações de que Rulian descarregou a pistola nas vítimas, foram 21 tiros, mas nove acertaram a lataria do veículo”, disse Adroaldo.

O táxi usado pelas vítimas é clandestino, segundo a polícia. A boate onde ocorreu a confusão que resultou na morte das primas Gabriele e Thaís foi interditada pela Prefeitura de Vila Velha dias após a tragédia. Na época do duplo assassinato, o delegado Adroaldo Lopes Rodrigues enviou um ofício ao Juizado da Infância e Juventude e à Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente (DPCA) informando sobre a entrada ilegal de menores no estabelecimento.

Compartilhe com seus amigos: Permalink:
9 dez 2014

Folha de caderno é ponto de partida para delegado investigar assassinato de jovem

Publicado às 0:32 | Postado por eduardo.santos

Um Boletim de Ocorrência (BO) e uma folha de caderno rabiscado com alguns nomes e telefones são os “documentos” enviados por uma equipe da Polícia Civil ao delegado Adroaldo Lopes Rodrigues, chefe da Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), para dar prosseguimento às investigações para identificar os suspeitos de envolvimento no assassinato da atendente de lanchonete Jéssica de Oliveira, que estava desaparecida desde o dia 29 de novembro, depois de sair de festa no Bairro Flexal, em Cariacica, com duas amigas, sendo uma adolescente de 15 anos. A menina foi a última pessoa a ter contato com Jéssica, antes da vítima pegar carona com um motociclista ainda não identificado.

Durante os dias em que a jovem estava desaparecida, a Polícia Civil não fez praticamente nada, a não ser ouvir informalmente as duas mulheres que tiveram contato com Jéssica antes do desaparecimento. Foi a família da vítima que localizou e levou as testemunhas à delegacia. O caso estava sob “investigação” da Delegacia de Pessoas Desaparecidas (DPD). “Eles (Polícia Civil) não fizeram nada. As duas mulheres que estiveram na delegacia foram levadas por nós. Uma delas está mentindo”, diz um familiar revoltado com a inércia da polícia.

Somente no sábado (06), o chefe de Polícia, delegado Joel Lyrio Júnior, designou um delegado para acompanhar o caso e tentar agilizar as investigações. “Uma semana depois, uma equipe esteve na casa dos parentes da menina desaparecida”, disse uma pessoa próxima à família. O delegado Adroaldo Lopes Rodrigues, que acaba de assumir às apurações, vai partir praticamente do zero para tentar identificar os suspeitos de envolvimento no crime. “Já orientei uma equipe para buscar informações sobre câmeras de segurança de comércios e de locais por onde a menina passou. Vamos nos empenhar para elucidar este caso, como tantos outros que temos trabalhado aqui na DHPM”, garante o delegado.

O corpo de Jéssica de Oliveira foi encontrado em adiantado estado de decomposião em uma mata no Bairro Cangaíba, em Cariacica, após denúncias anônimas. Não havia sinais de perfurações, segundo a perícia. Uma tia da vítima fez o reconhecimento através de uma tatuagem. O corpo da jovem permanece no Departamento Médico Legal (DML) de Vitória. A liberação só será feita após o resultado do exame de DNA, necessário devido ao estado avançado de decomposição. Nesta segunda-feira (08), foi coletado material da mãe da vítima para dar prosseguimento ao exame.

Compartilhe com seus amigos: Permalink:
3 dez 2014

Desaparecimento de médico: polícia vai analisar imagens de câmeras instaladas em avenida

Publicado às 11:36 | Postado por eduardo.santos

A Polícia Civil de São Paulo está concentrando as investigações do desaparecimento do oncologista capixaba, Roberto Gomes, na análise de imagens de câmeras de segurança instaladas na Avenida Paulista, no Centro da capital. A informação é da repórter da Rede Record, Márcia Dantas, que conversou com policiais da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que estão apurando o caso. A análise das imagens é importante para saber se o médico entrou em algum veículo ou passou mal.

Um filho do médico está em São Paulo e chegou a ir a um hospital onde uma pessoa com as características do pai deu entrada, mas para aumentar a aflição da família, não era o dr.Roberto. O médico foi visto pela última vez deixando o hotel onde estava hospedado. Os policiais trabalham com a hipótese de sequestro, mas para a família, o oncologista sofreu um mal súbito.

Um médico, amigo de Roberto, afirma que ele estava estranho, com a fala pouco articulada, durante o lançamento do livro que ajudou a escrever, na Assembleia Legislativa de São Paulo. Roberto está desaparecido desde sexta-feira (28), quando fez o último contato com a família avisando que estava de retorno para o Espírito Santo. Ele viajou na quarta-feira (26) para participar do lançamento do livro.

Compartilhe com seus amigos: Permalink:
26 nov 2014

Preso suspeito do assassinato de soldado da PM na Serra

Publicado às 0:53 | Postado por eduardo.santos

Um suspeito do assassinato do soldado da Polícia Militar, Daniel Santos Viana, 20 anos, foi preso na noite desta terça-feira (25), cerca de 24 horas após o crime ocorrido perto de um posto de combustíveis desativado, na BR-101 Norte, em Carapina, na Serra. O delegado Josemar Sperandio, da Delegacia Patrimonial, confirmou que um outro suspeito está foragido e sendo procurado. “Ainda não posso passar detalhes. Temos um suspeito preso e o outro está sendo procurado”, afirmou o delegado. A polícia trabalha com a hipótese latrocínio, roubo com morte.

O soldado Daniel era filho de um sargento da Polícia Militar. Ele tinha acabado de sair da sede do 6º Batalhão da Polícia Militar (6º BPM), na noite de segunda-feira (24). O PM iria para um ponto de ônibus a pé quando foi abordado pelos criminosos. Uma testemunha garante ter ouvido quatro disparos e viu um homem correndo em direção a Carapina Grande. Dentro da mochila do soldado estavam a farda, a arma e outros pertences. Há suspeita de que ele tenha se identificado como policial e pode ter reagido ao assalto.

Daniel foi atingido por um tiro no abdome e perdeu muito sangue. Ele chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Jayme dos Santos Neves, mas morreu por volta das 3h30 da madrugada desta terça-feira (25). O corpo do policial está sendo velado no Quartel do Comando Geral (QCG) da Polícia Militar, em Maruípe. O sepultamento será no Cemitério Parque da Paz, em Vila Velha. O secretário André Garcia deve conceder uma entrevista coletiva nesta quarta-feira (26) para falar sobre a prisão do suspeito e o andamento das investigações.

Compartilhe com seus amigos: Permalink:
11 nov 2014

Polícia prende mais dois suspeitos do assassinato de técnica em enfermagem em Vargem Alta

Publicado às 22:52 | Postado por eduardo.santos

Dois suspeitos de participação no assassinato da técnica em enfermagem, Mareilta Anjos dos Santos, 32 anos, assassinada em junho do ano passado, em Vargem Alta, na Região Serrana do Estado, foram presos em uma operação da Polícia Civil realizada em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo, e Campos, no Norte do Rio de Janeiro. A prisão dos suspeitos, de 41 e 54 anos, foi em cumprimento a mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça.

Os dois detidos têm estreita relação com a mandante do crime, uma enfermeira de 38 anos, presa desde julho de 2013, que seria ex-patroa e também teria trabalhado com a vítima. Eles teriam contratado um pistoleiro para matar Mareilta. Uma arma apreendida há cerca de um mês levou a polícia aos suspeitos. O exame de balística comprovou que o revólver calibre 38 foi o mesmo usado no assassinato da técnica em enfermagem.

O delegado José Rafael Machado lembra que o crime foi motivado por ciúmes e vingança. Além da enfermeira, o irmão dela também foi preso por envolvimento no crime. Ele foi detido na cidade de Nova Venécia, no Noroeste do Estado, e aguarda o andamento do processo no Centro de Detenção Provisória de São mateus. O pistoleiro contratado para matar Mareilta também foi preso. Apontado como um criminosos de alta periculosidade, o assassino era procurado pela Justiça dos estados do Sudeste.

Mareilta morava em uma propriedade rural na localidade de Canudal, em Vargem de Alta. Ela ficou cerca de 15 dias desaparecida, até o corpo ser encontrado em um córrego, no Bairro Pombal. De acordo com as investigações da equipe comandada pelo delegado José Rafael, a ex-patroa foi à residência da vítima acompanhada do pistoleiro e de outro comparsa. Eles obrigaram a vítima a tomar um remédio, colocaram-na dentro de um carro e na estrada mataram Mareilta com dois tiros na cabeça. Depois desovaram o corpo.

A enfermeira acusada de ser a mandante do crime não se conformava com a ascensão de Mareilta, sua ex-empregada por seis anos, que com o salário que ganhava custeou o curso de técnica em enfermagem. Além da ascensão social, a suspeita do assassinato tinha ciúmes do marido da vítima. “Ela dizia que Marilta não era mulher para ele. Ela sim, era a pessoa ideal para casar com o marido da ex-empregada”, explica o delegado José Rafael. Depois que Mareilta passou a trabalhar no mesmo hospital que a ex-patroa, ela pediu a um irmão para contratar um pistoleiro e executar o crime.

Compartilhe com seus amigos: Permalink:
29 out 2014

Ataque à ônibus em Vila Velha é represália à ação da PM

Publicado às 12:36 | Postado por eduardo.santos

O incêndio criminoso ao ônibus do sistema Transcol, às 6 horas desta quarta-feira (29), expõe, mais uma vez, a insegurança no trasporte coletivo da Grande Vitória. Os criminosos não se intimidam com as ações da Polícia Militar, que precisa agir com rigor para a situação não fugir do controle. Este é o quarto ataque ao sistema nos últimos dois meses. E as ordens sempre partem de traficantes, em represália à prisão de comparsas ou às ações policiais de combate à criminalidade.

Reféns do medo, os passageiros não têm o que fazer, a não ser obedecer às ordens dos bandidos sempre que atacam os coletivos. Desta vez, o ataque foi praticado por quatro suspeitos armados que usaram a estratégia de estarem bem vestidos, como estivessem indo para o trabalho. O primeiro deles deu sinal, na Avenida Carlos Lindenberg, na altura do Bairro Cobi, coincidentemente, no mesmo local onde ocorreu um dos crimes mais chocantes e de grande repercussão no final de 1989: o assassinato do padre francês Gabriel Maire, ligado à luta social por moradia para os mais necessitados.

Depois, outros três apareceram, também armados, de posse de um galão de gasolina. Eles deram ordens para os 70 passageiros, o motorista e o trocador descerem. Ainda tiveram tempo de insultar e mandar recado à PM, que na noite desta terça-feira (28) trocou tiros com bandidos na região e prendeu um suspeito de tráfico. A ação criminosa foi em represália, como sempre acontece, ao trabalho da polícia.

Assim como nos ataques ocorridos em setembro, no Bairro Marcílio de Noronha, em Viana, e no Bairro São Conrado, em Cariacica, os traficantes dão a entender que não querem ser incomodados pela polícia. Mas a resposta deve vir com rigor, com a identificação e prisão dos responsáveis, mesmo que seja por um curto período de tempo causado pelas leis vigentes no País, que não punem com rigor os criminosos. Em tempo: ninguém ficou ferido, a não ser o traficante preso na noite anterior com uma pistola, que teria caído e se ferido ao fugir dos policiais militares.

Compartilhe com seus amigos: Permalink:
9 out 2014

Secretário nega mistério sobre inquérito da morte de PM

Publicado às 12:52 | Postado por eduardo.santos

“Não existe mistério nenhum. O caso está sendo conduzido com rigor pela Polícia Civil. É preciso deixar o delegado trabalhar para apontar o autor da morte do soldado Feu. Essa boataria não ajuda em nada. Temos que preservar as famílias dos envolvidos nesse caso”. Foi assim que reagiu o secretário de Segurança Pública André Garcia a respeito das informações, ainda não confirmadas, que o PM Dayclom Feu foi morto por um disparo acidental dado por um colega de farda dentro da viatura do Batalhão de Missões Especiais (BME), no dia 7 de setembro, durante uma suposta troca de tiros com bandidos, no Bairro Padre Gabriel, em Cariacica.

Pela primeira vez, Garcia falou sobre o assunto a um órgão de imprensa. A entrevista por telefone foi concedida ao jornal Espírito Santo No Ar, na TV Vitória, na manhã desta quinta-feira (09). Segundo o secretário, os laudos relacionados à morte do soldado Feu ainda não foram concluídos. Um adolescente de 17 anos e Iaclison Cajazeira, 25, foram presos e apontados como suspeitos do crime. Eles negam o assassinato, mas confirmam ter atirado contra a viatura da Tropa de Choque da PM.

“Mesmo assim, eles não podem ser considerados inocentes porque atiraram contra um carro da polícia. Isso fica caracterizado como quádrupla tentativa de homicídio”, disse André Garcia. Um policial militar está internado no Hospital da Polícia Militar (HPM), em tratamento psicológico. Nas redes sociais, alguns militares postaram a informações que a intrenação teria ligação com a morte do colega.

O presidente da Associação de Cabos e Soldados (ACS) da Polícia Militar, Flávio Gava, confirma a internação, mas diz que é por abalo psicológico, sem entrar em detalhes. Por sua vez, o delegado João Paulo Pinto Dezouzart, em entrevista recente à imprensa, garante que a hipótese do tiro que matou o soldado Feu ter partido de dentro da própria viatura do BME não será descartada. Os PMs que estavam na viatura ainda não prestaram depoimento à Polícia Civil.

O soldado Feu foi morto com um tiro na cabeça em suposta troca de tiros com bandidos no Bairro Padre Gabriel, em Cariacica. Dois suspeitos do crime foram presos, mas negam ter atirado no policial. A vítima chegou a ser socorrida, mas não resistiu. A polícia já sabe que um terceiro suspeito estava na cena do crime, mas ele ainda não foi localizado.

Compartilhe com seus amigos: Permalink:
7 out 2014

Delegado abre inquérito para apurar morte de bebê em banheiro de hospital

Publicado às 12:21 | Postado por eduardo.santos

O delegado Walter Emiliano abriu inquérito para apurar o caso de um parto dentro do banheiro do Hospital Rio Doce, em Linhares, no Norte do Estado. A dona de casa Cláudia Aparecida, 43 anos, mãe de cinco filhos, deu à luz bebê ao ir ao banheiro. A família reclama de negligência médica. A administração do hospital, no entanto, informa que a mulher estava em procedimento para ter o bebê e ao ir ao banheiro, fez força a ganhou o filho.

A criança caiu no chão, os médicos tentaram reanimá-la, mas não resistiu. Os médicos informaram ainda que Cláudia é hipertensa e diabética. O corpo do menino, que se chamaria Mateus, foi encaminhado para o Departamento Médico Legal (DML) de Vitória. O delegado Walter Emiliano informou que já abriu inquérito policial para apurar as responsabilidades do caso.

“Ainda é prematuro afirmar se houve negligência. Nós precisamos de laudo de um obstetra e analisar a ficha médica da paciente. Nós já estamos tomando todas as providências, já ouvimos o depoimento de testemunhas e vamos ouvir a médica que estava no plantão” afirmou o delegado Walter Emiliano, em entrevista por telefone do jornal Espírito Santo No Ar.

Compartilhe com seus amigos: Permalink:
2 out 2014

Polícia procura suspeito de estuprar menina de 14 anos no interior

Publicado às 12:23 | Postado por eduardo.santos

A polícia está tentando localizar um maníaco que estuprou uma adolescente de 14 anos, em Água Doce do Norte, no Noroeste do Espírito Santo. O suspeito já foi identificado. Segundo informações dos policiais militares que trabalham no município, a menina teria ido a um distrito buscar algumas peças de roupa, de carona como o acusado. Ele teria desviado o caminho levando a garota até a localidade de Prata dos Baianos.

Armado com um canivete, ele fez várias ameaças, inclusive de morte, à menina. Depois, a vítima foi abandonada. A adolescente contou para uma amiga sobre o crime. A Polícia Militar foi acionada, fez várias buscas na região, mas o maníaco não foi encontrado. A Polícia Civil abriu o inquérito para apurar o crime. O suspeito poderá ser indiciado por estupro. Por ser um município pequeno, com pouco mais de 11 mil habitantes, segundo dados do IBGE com base no Censo de 2010, os policiais acreditam que o suspeito será preso nos próximos dias.

Compartilhe com seus amigos: Permalink:
23 set 2014

Prefeitura de Vitória vai aumentar número de Botão do Pânico para vítimas da violência doméstica

Publicado às 14:33 | Postado por eduardo.santos

Ainda sem data para acontecer, A Prefeitura de Vitória planeja abrir licitação para aumentar o número de mulheres beneficiadas com o Botão do Pânico. O equipamento foi testado com cerca de 100 mulheres desde o dia 15 de abril de 2013, e o resultado foi positivo. Elas receberam proteção da Guarda Municipal contra seus agressores. O dispositivo foi liberado para as vítimas de violência doméstica, com base na análise da Justiça.

“Estamos contratando uma empresa porque os 100 equipamentos que estão disponíveis foram cedidos por uma empresa como uma espécie de cortesia ao Poder Judiciário e ao Executivo. Vamos abrir licitação para adquirir novos equipamentos e com isso aumentarmos a oferta. O teste já foi consolidado”, revelou o secretário Frônzio Calheiras, em entrevista ao jornal Espírito Santo No Ar, na TV Vitória. Desde que foi implantado na Capital, o Botão do Pânico já foi acionado 17 vezes. Deste total, 10 agressores acabaram presos e sete conseguiram fugir, antes da chegada da Guarda Municipal.

“Nosso tempo resposta é de até 10 minutos. Os equipamentos são monitorados via GPS passando a posição onde a vítima se encontra. Quando acionado, a equipe mais próxima sai para atender o chamado. O funcionamento é 24 horas por dia”, garante o secretário. O dispositivo foi acionado pela primeira vez, no Espírito Santo, no dia quatro de maio de 2013. A vítima estava na Rua da Lama, em Jardim da Penha, e sofreu agressões verbais do ex-namorado.

Em apenas oito minutos, uma viatura da Guarda Municipal chegou ao local, mas o suspeito já tinha fugido. A mulher foi levada para casa em uma viatura. O Botão de Pânico é eficaz no combate à violência doméstica. Ele ajuda a Justiça a fiscalizar o cumprimento das medidas protetivas de urgência. O equipamento deve ser acionado toda vez que o agressor se aproximar da vítima.

Compartilhe com seus amigos: Permalink:
4Ps Todos os direitos reservados © 2007-2013