Mandante do assassinato de colunista social é preso em Vitória

O empresário José Alayr Andreatta, 75 anos, mandante do assassinato da colunista social Maria Nilce, em 5 de julho de 1989, foi preso quando saía de um supermercado no bairro Jardim da Penha, em Vitória, por volta das 10 horas desta segunda-feira (04). Pelo crime, ele foi condenado a 13 anos de prisão. Segundo o delegado Danilo Bahiense, o processo transitou em julgado, ou seja, não cabe mais recurso. Com dois mandados de prisão em aberto, o acusado acabou preso.

Ainda de acordo com o delegado Danilo Bahiense, apesar de constar no processo endereço de Jardim Camburi, Andreatta estava morando em um quitinete em Jardim da Penha, bairro onde foi preso. Ele revelou ao delegado que está passando por dificuldades financeiras, sendo ajudado por um amigo. “O mais incrível é que o empresário vinha agindo como uma pessoa comum. Ele frequentava bares da região, andava pelas ruas normalmente, mesmo sabendo que estava condenado por um crime hediondo. Isso é acreditar demais na impunidade”, afirma.

No momento da prisão, o empresário não esboçou reação. Apenas reclamou de não ter sido avisado pelo advogado que estava sendo considerado foragido a Justiça. “O acusado me disse que atualmente não tem dinheiro, pois tudo que tinha gastou com advogados que o defenderam nesse processo. Mas o dinheiro acabou”, disse Danilo Bahiense.

Em junho do ano passado, 23 anos após o crime, o  ex-policial Cezar Narcizo, um dos executores de Maria Nilce, foi condenado a 19 anos de prisão por homicídio. O advogado Jorge Florentino recorreu da sentença e aguarda o julgamento do recurso pelo Tribunal de Justiça. O policial  civil aposentado Romualdo Eustáquio da Luz Faria, o Japonês, outro acusado de execução do crime, seria julgado no final do ano passado.

A defesa dele alegou que Japonês tem problema de insanidade mental e a perícia não tinha sido concluída. Maria Nilce foi assassinada quando chegava a uma academia, na Rua Aleixo Neto, na Praia do Canto, acompanhada de uma filha. Outros suspeitos envolvidos no crime acabaram morrendo de forma misteriosa ao longo dos anos.

(334Publicações)

Eduardo Santos é jornalista e radialista. Atua na cobertura policial a mais de 20 anos como apresentador de programas de rádio e editor de jornal impresso. Atualmente está no comando do programa Espírito Santo No Ar, na TV Vitória/Record.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *