16/6/2008 às 16h55 - Atualizado em 16/6/2008 às 17h2

Assalto ao carro-forte: Acusado vem ao Estado para festa e acaba na cadeia

Redação Folha Vitória
Redação Folha Vitória

Foto: Reprodução TV Vitória
Em exatos três meses e meio de investigações a polícia conseguiu prender um dos estrategistas do assalto ao carro forte, que ocorreu no último dia três de março. Até o momento, dez homens são acusados de participação no crime. Outras duas pessoas foram presas por acaso. O foragido Elton Ferreira da Costa, conhecido como Nojento, foi preso neste final de semana quando veio de São Paulo para o Estado visitar sua mãe em Cariacica, já que era aniversário dela. Para despistar a polícia o acusado estava com identidade, carteira de motorista, CPF e conta em banco falsos, em nome de Marcelo Ferreira Dornela.

Momentos antes do churrasco de aniversário começar, a polícia recebeu a informação privilegiada de que Elton retornaria ao Espírito Santo. Investigações foram feitas pela polícia que conseguiram descobrir o endereço de sua irmã, em Vila Velha, e de sua mãe, em Cariacica. Viaturas da polícia se dirigiram aos locais e identificaram que o acusado estava na casa de sua mãe.

“Como o evento estava cada vez mais cheio de convidados e, principalmente, de crianças, invadimos a casa e detivemos Elton”, afirmou o delegado do caso, André Cunha.

A polícia fez um levantamento da ficha criminal de Elton e identificou pelo menos 16 ocorrências. Ele é acusado de cometer assaltos em Minas Gerais, Rondônia, Maranhão e no Espírito Santo.

Nojento e mais dois comparsas, Paulo César Miguez, conhecido como PC, e o “véio”, seriam os responsáveis pela parte operacional no crime. “Elton foi apontado pelos próprios integrantes da quadrilha como um dos estrategistas do assalto”, disse o delegado.

O assalto ao carro-forte foi realizado em frente à agência do Unibanco, em Vila Velha. Na ocasião, uma cliente da agência, de 75 anos, morreu atingida por uma bala de fuzil e outros dois correntistas, que utilizavam caixas eletrônicos, foram atingidos por estilhaços. Cerca de R$1,4 milhão foram roubados.

O chefe operacional é um homem identificado apenas como "véio", que está foragido. Os outros oito acusados são Leandro Stocco, que dirigiu o veículo no assalto, e que também está preso, além de Elton. Washington Oliveira, Iran Ferreira da Silva e Fábio Moreira Santos, chegaram a ser presos, mas foram soltos pela justiça. Outros dois permanecem foragidos.

De acordo com o delegado do caso, André Cunha, Giovano e Leandro eram funcionários da Prosegur. Washington, Iran e Fábio, ex-funcionários da empresa.

Outros dois presos durante a operação

De acordo com o delegado do caso, André Cunha, as investigações sobre o assalto já renderam outras 80 prisões com a detenção de outros criminosos que não fizeram parte do assalto ao carro-forte como o cunhado de Elton Ferreira da Costa, Ronaldo Francisco Becaris, que também era fugitivo da polícia, e se apresentava com documentos falsos no nome de Ronaldo Francisco de Souza e seu colega, Vitor Hugo Albuquerque Júnior, que estava usando o documento falso no nome de Douglas Pompermayer.

Ronaldo é fugitivo do Pará e foi preso em 2001, com armamento restrito. “O acusado utilizou um veículo para transportar as armas em um fundo falso”. Já Vitor Hugo, condenado por assalto a mão armada, é fugitivo da prisão de Ribeirão das Neves, em Minas Gerais, juntamente com Elton. Ambos se conheceram no presídio. Segundo o delegado, a quadrilha é responsável por uma série de assaltos a caixas eletrônicos e a bancos do país.

A Rede Vitória faz parte do
4Ps Todos os direitos reservados © 2007-2014