26/10/2012 às 14h16 - Atualizado em 26/10/2012 às 18h10

Mais de 50 detentos fogem de presídios capixabas de janeiro a setembro

TV Vitória
Redação Folha Vitória

Reprodução TV VitóriaO número foragidos da justiça aumenta a cada ano no Espírito Santo. Parte do problema está na segurança prisional e a outra no regime semi-aberto. Somente neste mês de outubro, dez detentos fugiram da Casa de Custódia de Vila Velha.

O Estado conta com 35 presídios para 14,6 mil internos. Dados da Secretaria de Estado da Justiça apontam que em 2010, 48 presos fugiram de presídios capixabas. Em 2011, foram 54 fugas. Neste ano, de janeiro a setembro, foram outras 52.

Para o subsecretário de Assuntos do Sistema Penal do Espírito Santo, as estatísticas são um reflexo do fascínio do homem por liberdade e do crescimento da população carcerária do Estado.

“Proporcionalmente, a população brasileira cresce 1,17% ao ano. Enquanto a população carcerária no estado do Espírito Santo tem um crescimento de 1,22% ao mês. Então, há um crescimento da população carcerária vertiginoso. Tendo mais gente, ocorrem mais tentativas de fugas, mais incidentes e mais fugas. Muitas vezes os detentos se deslocam para cumprir seu regime de trabalho e não retornam. Isso não deveria ser caracterizado como uma fuga. A fuga se caracteriza mais pelo rompimento de obstáculos. Nesse caso, o que temos é a evasão, a pessoa que sai da unidade e não retorna. Em geral, passado algum tempo, essas pessoas retornam voluntariamente a unidade prisional para dar reinício ao seu cumprimento de pena. Então, essa movimentação, essas tentativas de fuga, são um processo natural que, certamente, existe em todo sistema prisional do mundo”, disse  Sérgio Alves Pereira

Por mais que invista no sistema carcerário capixaba, o governo admite falhas que abrem caminho para as fugas e anuncia uma aposta na tecnologia para tentar evitar que os presos escapem. “Muitas vezes há uma falha humana, há uma falha na vigilância, mas outras vezes não. A Secretaria de Justiça tem adotado dispositivos para minimizar ao máximo a possibilidade de fuga. Os nossos agentes estão recebendo treinamento na Escola Penitenciária e temos investimentos em tecnologia em termos de monitoramento eletrônico nas unidades prisionais”, completou o subsecretário.

  

  

A Rede Vitória faz parte do
4Ps Todos os direitos reservados © 2007-2014