17/6/2013 às 13h52 - Atualizado em 17/6/2013 às 14h55

Homem é preso suspeito de agredir e ameaçar de morte a própria mãe de 87 anos na Serra

TV Vitória
Redação Folha Vitória

Reprodução TV VitóriaUm homem foi preso suspeito de agredir a própria mãe, uma idosa de 87 anos. A violência teria acontecido na casa do homem, onde a aposentada passou o final de semana. A vítima disse que espancada e ameaçada de morte pelo filho de 61 anos.

A aposentada ficou com marcas da agressão pelo corpo. “Ele me bateu bastante com um negócio que ele tem no quarto. O meu corpo está de um jeito que eu não posso nem ficar de pé. Ele deu muito pontapé no meu corpo inteirinho”, relatou Rosa Gomes Sardinha.

No DPJ da Serra, em Laranjeiras, o acusado foi irônico com a equipe de reportagem.  “Tanto crime para vocês filmarem, tem que filmar briga de família? Foi uma discussão, uma briga verbal. Ela comete coisas que são terríveis para mim. Coisas que causam constrangimento. Pedir dinheiro emprestado para você ou comprar alguma coisa de você e não pagar, coisas assim”, disse Antônio Henrique Gomes Sardinha.

A neta da vítima disse que a família está revoltada. “Com certeza ele bateu e não foi a primeira vez. É a segunda vez que ele bate. Na primeira vez ela veio com o rosto todo roxo. Dessa vez, ela teve mais hematomas nos braços porque ele bateu nela com cinto. A família está transtornada. Ontem eu fiquei até quase 22 horas procurando ela de delegacia em delegacia e em hospital. A preocupação é dele fazer mais alguma coisa contra ela porque ele é bem vingativo”, comentou Giovanessa Gomes.

A idosa disse que além de ter sido espancada e ameaçada, chegou a ter uma faca apontada para o pescoço. Foram vizinhos que socorreram a vítima. “Ouvi uma gritaria, coisas quebrando e ele xingando muito. Ele falava: ‘sua desgraçada, sua peste’. Ele costumava fazer isso sozinho e eu parei para ouvir se tinha alguém com ele. Ouvi a voz da senhora falando: ‘Socorro. Você vai me matar. Alguém me ajuda’. Ela também falava: ‘Ai, ai, ai’. Liguei para o 190 e reuni alguns moradores para me ajudar porque a gente tinha que fazer alguma coisa, não podia deixar a senhora apanhar tanto. Os moradores vieram todos revoltados, todos ligando para a polícia. Quando a polícia chegou, ele se trancou. Veio outra pessoa, que se disse primo dele, entrou, conseguiu tirar a senhora e para fingir que nada tinha acontecido, levou para o apartamento dele, passou pomada no machucado dela e chamou um taxi para levá-la embora”, contou uma moradora que não quis se identificar.  

A polícia definiu uma fiança de R$ 10 mil para o suspeito. A mãe disse que perdoa o filho. “Eu não desejo nenhum mal ao meu filho. Mesmo ele agredindo, eu perdoo o que ele fez ontem, mas pelo amor de Deus, que não aconteça mais. Tive medo de ele me matar. Tive medo de morrer. Pedi para Deus que não deixasse ele me fazer nenhum mal. Deus me protegeu. Espero que ele seja uma pessoa boa e que o demônio nunca mais toque nele porque aquilo foi coisa do diabo, não foi coisa de Deus não”, afirmou dona Rosa.

O filho pediu perdão. “Gostaria de dizer para ela que, mesmo ela sendo 100% errada, e eu 100% certo, eu gostaria de pedir perdão a ela”, disse.

O acusado da agressão teria dito na delegacia que sua profissão é a de arquiteto, no entanto, a assessoria do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Espírito Santo (CAU/ES) nega que ele tenha o registro no órgão.

A Rede Vitória faz parte do
4Ps Todos os direitos reservados © 2007-2014