De licenças, projetos e vencimentos

Pra “sair saindo”

O deputado licenciado e agora secretário de Trabalho e Assistência Social Bruno Lamas (PSB), saiu “causando” da Assembleia Legislativa. Antes de deixar o cargo, protocolou projeto de lei que proíbe a utilização de barragens de rejeitos no ES. A nota “dissonante” é que optou por continuar recebendo o salário de deputado (R$ 25,3 mil) em vez do de secretário (R$ 16,1 mil).

Pra “chegar ficando”

O suplente de Bruno Lamas é o correligionário Freitas, que manda avisar que vai defender o trâmite do projeto na Assembleia. Aliás, fonte da coluna afirma que Lamas foi alçado à condição de “melhor amigo” de Freitas, e que este vai torcer para que o colega seja eleito prefeito da Serra em 2020.

Expectativa amiga

É que, em caso de derrota, Lamas poderia reavaliar a condição de secretário – de olho na eleição seguinte, de 2024. E segue o barco da política e da amizade.

Suplência

O senador capixaba Marcos Do Val (PPS) é outro que “chegou chegando”. Já no primeiro mandato, entrou na Mesa Diretora do Senado, na condição de suplente da Secretaria da Mesa.

Caged e Linhares

Há cerca de 15 dias, o Cadastro Geral de Empregos (Caged) do Governo Federal divulgou os números da empregabilidade em todo o país. Nesta semana, a prefeitura de Linhares exulta as estatísticas locais, que, diluídas, não despertaram atenção.

Salto empregador

A cidade do norte do estado deu um “salto empregador”, passando da 72ª – em 2016 – para  a 5ª posição no ranking de empregos formais no ES (1.365 vagas abertas no mercado formal em 2018). Performance que relembra os bons tempos, quando os incentivos fiscais, a reserva hídrica e a proximidade com a BR 101 – e depois o petróleo – patrocinaram o boom desenvolvimentista dos anos 1990 e 2000.

Listinha

Já em Cachoeiro de Itapemirim, no sul, as últimas três décadas têm sido de diminuição de investimentos. O jeito é seguir a filosofia de “passar o pires”. Foi o que fez o secretário de Agricultura de lá, Robertson Valladão, ao receber a visita do diretor do DER, Luiz Maretto. Na “listinha” estão cerca de 20 km de melhorias em estradas vicinais e urbanas, além de duplicação de pontes, recuperação asfáltica, etc. etc.

Entre muitas

Valladão ainda fez questão de ressaltar que estas são algumas demandas dentre “inúmeras”, e que “estamos confiante no apoio”, necessário, segundo ele, para “alavancar o desenvolvimento de Cachoeiro e da região. Nada mais oportuno para colocar em prática o paradoxo da “ação com cautela” pregada pela gestão estadual.

Foto da Coluna: reprodução internet.

(316Publicações)

Alex Pandini é jornalista, tem 48 anos e mais de 25 de experiência em comunicação, com destaque para assessoria e consultoria política e telejornalismo. Atualmente, responde pelo quadro De Olho no Poder, no Jornal da TV Vitória/RecordTV, e desde julho assina a coluna Bastidores do Jornal Online Folha Vitória.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *