Educação no olho do furacão

De olho no MEC

Depois das trapalhadas do ex-ministro Ricardo Vèlez e de um início pouco promissor do atual, Abraham Weintraub, a manifestação nacional agendada para esta quarta (15) revela os primeiros sinais de enfrentamento ao projeto educacional do governo Bolsonaro. Os cortes no Ensino Superior e no Fundeb parecem ter sido a gota d’água. Além do setor de ensino, há descontentamento também nos Legislativos Federais.

ComexMec

Na Câmara dos Deputados, o deputado federal Felipe Rigoni (PSB/ES) é representante da bancada capixaba na ComexMec (Comissão Externa de Acompanhamento do MEC), lançada nesta terça (14), justamente para marcar a posição da Câmara nas polêmicas envolvendo a Educação.

Em boa hora

O acordo de unificação do Parque das Baleias é um reforço e tanto para o caixa do Governo do Estado. Além dos R$ 1,4 bilhão a serem recebidos como valor retroativo – sendo que R$ 614 bi já foram pagos à vista -, nesta terça (14) a secretaria estadual da Fazenda (Sefaz) anunciou aumento no repasse da Participação Especial (PE) que é paga trimestralmente. O valor total foi de R$ 355 milhões (R$ 165 milhões a mais do que o previsto antes do acordo).

Patrick do Gás

A Câmara de Viana vai viver uma situação inusitada nesta quarta (15). É que o vereador Patrick do Gás (PDT) – preso por condenação em 2ª instância num caso de rachid – foi autorizado pelo juiz Robson Luiz Albanez a participar da sessão ordinária. A decisão é de 26 de abril, mas só foi publicada na última segunda (13). A Câmara já tinha até convocado o suplente, Idomar Passamai (PSDB).

Livre para legislar

Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado (TJES), Albanez entende que o afastamento só deve ser aplicado após o julgamento do recurso do vereador no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Mas o STJ já indeferiu o recurso, só que a decisão ainda não foi comunicada oficialmente à defesa. Enquanto isso, o suplente tem que esperar. E o vereador preso está livre para legislar e fiscalizar a prefeitura.

Reflexo social

Em Anchieta, um dos reflexos da paralisação da Samarco é o aumento no número de moradores de rua. A presença deles no bairro Porto de cima, em frente ao mercado de peixes, incomoda há bastante tempo, mas agora surgiu a primeira iniciativa visando “enquadrar” os excluídos.

Despachando

O vereador Alexandre Assad (REPUBLICANOS) fez projeto de indicação à secretaria municipal de Assistência Social, para que uma “equipe multidisciplinar” faça “atendimento e avaliação” deles. Mas o objetivo mesmo é levantar os lugares de origem dos moradores de rua e mandar de volta quem não é natural do município. 

Foto da coluna: reprodução internet.

(285Publicações)

Alex Pandini é jornalista, tem 48 anos e mais de 25 de experiência em comunicação, com destaque para assessoria e consultoria política e telejornalismo. Atualmente, responde pelo quadro De Olho no Poder, no Jornal da TV Vitória/RecordTV, e desde julho assina a coluna Bastidores do Jornal Online Folha Vitória.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *