TRF, Lula e Moro

A aposta de parlamentares – da base e oposição – e investigadores (não da Lava Jato) consultados pela Coluna sobre o julgamento do recurso do ex-presidente Lula da Silva no TRF da 4ª Região, dia 24 de janeiro em Porto Alegre: O tribunal vai endossar a condenação do petista em primeira instância e o deixa inelegível. Diante do clamor da militância e possível início de tumulto nas capitais, o juiz Sérgio Moro decreta sua prisão domiciliar, para que não faça atos públicos e infle os seguidores nas ruas.

Mas..

.. obviamente Lula também pode ser inocentado pela maioria dos desembargadores que julgarão o caso. Experientes advogados apontam falhas no processo.

Enquanto isso

A classe política vai pressionar ministros do STF para derrubar ou flexibilizar a Lei da Ficha Limpa até junho, na tentativa de Lula se candidatar. E outros enrolados também.

Battisti na mira

O ministro do STF Luiz Fux negou recurso do italiano Cesare Battisti de acesso a cópias de documentos, de posse do Ministério da Justiça, do seu processo de asilo.

Bagagem & Caneta

O deputado Carlos Marun (PMDB-MS) assume hoje a articulação política do Palácio do Planalto com bagagem: ao colocar a cara a tapa por mais de ano para defender Eduardo Cunha e Michel Temer, ganhou a confiança do Governo. Ao circular diariamente no Congresso por conta disso, com pragmatismo, conquistou a lealdade de muitos da base e oposição. Agora fica o desafio de mostrar se é bom com a caneta.

Cautela

A denúncia recebida pela 10ª Vara Federal contra Rodrigo Rocha Loures foi acolhida no Palácio “com naturalidade”, diz aliado do presidente Temer. Mas os pedidos de suspensão dos processos feitos por Temer ao STF não escondem o temor de que algo esbarre nele e nos ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco.

Superssegredos

A CPI para investigar os “supersalários” dos servidores púbicos foi criada em outubro e, até o momento, nenhum partido indicou membros para a comissão. Há dedo do Palácio nesse freio. O idealizador da CPI foi Renan Calheiros, adversário figadal de Temer, e ninguém no Governo quer holofotes para ele.

‘Musa’

Uma bela loura circulou ontem pelas dependências do Congresso – e chegou a entrar no plenário da Câmara – com um shortinho bem curto. A regra do vestuário não permite.

Novo chefe

Geraldo Alckmin determinou ao deputado Carlos Sampaio, diretor jurídico do partido, que encampe discurso com base jurídica para a bancada votar a reforma.

Mal explicado..

O líder do Governo no Senado, Romero Jucá, disse que houve acordo entre os presidentes da Câmara e do Senado para adiar para fevereiro a votação da reforma da Previdência. Só que a maioria dos deputados e gente do Palácio não sabia disso.

.. e bem irritado

Maior entusiasta pelo esforço de se aprovar o texto, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, ficou irritado com a fala de Jucá, que alegou ser a aprovação do Orçamento a peça prioritária agora. Só que todo ano, após votar Orçamento, a turma pula fora.

MST na rede

Senadores terão que discutir a criminalização do MST, do MTST e de outros movimentos sociais. Uma cidadã propôs a ideia no site do Senado e, diante dos 20 mil cliques favoráveis, a proposta passou a ser Sugestão Legislativa e terá que ser debatida.

Pirataria, não

Chega a Porto Alegre o Movimento Legalidade, união de prefeituras e sociedade para o combate ao mercado ilegal. Em apenas três meses já são 4 cidades que aderiram ao projeto capitaneado pela Frente Nacional de Prefeitos. Ano que vem devem ser 30.

BolsoData

Meio a brinca, meio a sério, Jair Bolsonaro, que disputará o Planalto pelo Patriotas, soltou no plenário ontem: “nem minha mulher vai votar em mim”.

(362Publicações)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *