Pragmatismo no plenário

Com a tentativa de votação da Reforma da Previdência adiada para fevereiro, o Governo investe no Plano B de trabalhar no recesso em interlocução com os indecisos – como a Coluna antecipou. Mas os deputados não esperaram. Um membro da executiva do PSDB confirma que, ainda que o apoio seja sem ressalvas e que o partido não exija nada em troca, o objetivo é conversar com o relator da PEC, deputado Arthur Maia, para chegar a um “texto mais justo para a transição do modelo antigo para o atual”. Mas Atrhur Maia diz que tudo dependerá de quantos votos o PSDB vai entregar.

Bate ponto

Nem tomou posse como novo ministro da Articulação Política do Palácio, o deputado Carlos Marun foi tratado ontem como ministro pelos pares. E atuou como tal.

Ruas travadas

A Reforma foi adiada, mas sindicatos de rodoviários garantem paralisação nacional na terça (19). Querem tirar do trabalho 2 milhões de profissionais. E deixar você a pé.

Novo$ tempo$

Robson de Andrade, presidente da CNI, tem citado aos pares os avanços do Airbnb – que pressionou hotéis a reverem tarifas – e do Uber, que destronou os taxistas.

Balança, e mal

A ministra dos Direitos Salariais, ops!, dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, se apegou ao cargo. Saiu do PSDB para manter-se ministra – enquanto tucanos deixam o Governo. Mas a situação não está boa para ela no gabinete presidencial. Tem pedido audiências ao presidente Michel Temer nas últimas semanas, e nada.

No radar

Quem entrou no radar da Lava Jato foi o diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo Décio Oddone. Em 2010 ele foi indicado pela Petrobras para ser vice-presidente de Investimentos da petroquímica Braskem, controlada pela Odebrecht e pela estatal. Foi o responsável pelos aportes e investimentos de mais de R$ 4 bilhões feitos pelo BNDES.

Ah, Lula..

Em palanque, Lula da Silva já foi melhor com o povo. Causou surpresa a descompostura que passou na plateia de catadores de lixo em ‘ato público’ (eufemismo para comício) em Brasília há dias. Reclamou enquanto discursava, ao ver a maioria gravando vídeo por celular. “falta de respeito!”, soltou.

Desfile

Um lustrado Rolls Royce desfilou pela Asa Sul ontem e parou na porta do Restaurante Piantella. Era Nelson Piquet – comedido ao volante – que entrou para almoçar.

Xerifes

Entidades civis e de policiais discutem nas capitais nomes para disputar Governos. No Distrito Federal, é deputado Alberto Fraga (DEM). Em SP, Major Olímpio. E há mais.

Ex-amigo

Porta-voz das gestões do pai Sérgio Cabral, hoje preso, no Governo do Rio, o deputado Marco Antônio Cabral está revoltado com estudo da Firjan, do presidente Eduardo Eugênio, que sempre elogiou Cabral, mas agora vê maquiagem nos números em estudo.

Fogo cruzado

“O Governo de Cabral foi o que mais trouxe indústrias e emprego para o Estado. Ganhou dois graus de investimento de Agências de Risco. Gostaria de saber quando vão fazer estudo de como ficar 24 anos à frente da Firjan”, provoca o deputado, em referência à gestão de Eugênio.

Cenário de guerra

A CNI pegou pesado ao traçar cenários para 2018 no último informe conjuntural. Sobre eleições, concluiu que o debate vai contaminar o ambiente econômico, e que “candidaturas populistas” vão promover um quadro de instabilidade. A entidade indica, entrelinhas, o candidato que apoiará: quem propor continuar as reformas estruturantes.

Só um golinho

O adiamento da Reforma da Previdência ajudou o desjejum da turma que fez greve de fome por 9 dias num corredor da Câmara. Eles anunciaram o fim do protesto ontem. Mas foram vistos várias vezes com chimarrão na mão durante a semana.

Mão de obra

A prefeitura de Maricá (RJ) e a DTA Engenharia fecharam protocolo de intenções para priorizar o treinamento e contratação de moradores da cidade para trabalharem no projeto do porto de Ponta Negra, informa o secretário de Indústria, Igor Sardinha.

(451Publicações)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *