Jogou a toalha

Além da alta impopularidade que o cerca, a iminente terceira denúncia da Procuradoria-Geral da República fez o presidente Michel Temer jogar a toalha e descartar de vez a hipótese de concorrer à reeleição. Fora do páreo, com a Polícia Federal no seu encalço e no de uma filha, Temer estreita os laços com o pré-candidato tucano Geraldo Alckmin. Ao passo que tenta costurar, ainda sem sucesso, aliança para fechar a chapa presidencial do ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que será o candidato oficial do Palácio.

Euuu!!?

Tanto Alckmin quanto Meirelles (MDB) refutam a sugestão de ser vice um do outro.

Foi bem

Marcela Temer fez um favor à carreira da oficial que foi dispensada por não pular no lago para salvar seu cãozinho. A missão de ‘babá’ é vista como baixo nível nas Forças.

Olho vivo

A Coluna já revelou que o presidente Michel Temer determina que apenas oficiais mulheres da Marinha ou Exército acompanhem a esposa.

Homem dos milhões

Nelson Pinheiro, empresário e banqueiro cearense, está mais uma suspeita de fraude financeira. Depois de ter o FPB Bank fechado pela Superintendência de Bancos do Panamá devido a operação irregular, Pinheiro usa a Brickell S.A. Crédito, Financiamento e Investimento, também sua, para repetir suas operações suspeitas.

Lá e cá

A instituição é regulada pelo Banco Central, mas até hoje o BC não se manifestou sobre o prejuízo milionário que a financeira vem provocando aos seus clientes. Caso do FBP Bank, fechado no Panamá, onde investidores procuram seus milhões investidos.

Hermano$

O Paraguai aguarda com ansiedade o que o doleiro foragido Dario Messer tem a dizer sobre o presidente Horacio Cartes, seu cliente e amigo. Aliás, causou estranheza a rapidez da Justiça paraguaia ao ordenar também a prisão do doleiro, procurado por lá.

Lista das reguladoras

A exemplo do processo de escolha de PGR, servidores de agências reguladoras vão apresentar ao presidente Temer lista tríplice para escolha de diretores ou conselheiros.  

Sem padrinhos

A medida foi aprovada pela direção da União Nacional dos Servidores de Carreira das Agências Reguladoras Federais para “limitar eventual interferência política”.

É só a primeira

Os créditos aprovados pelo Congresso na última semana para cobrir o calote dos governos da Venezuela e Moçambique junto ao BNDES podem ser apenas a primeira parcela do socorro do Governo à instituição financeira.

Ah, seu Guido

Entre 2006 e 2014, quando o Ministério da Fazenda estava sob o comando do petista Guido Mantega, o BNDES concedeu mais de 3 mil empréstimos e abriu financiamento para 20 obras no exterior tocadas por empresas enredadas na Lava Jato – como a Odebrecht, OAS e Andrade Gutierrez.

Blindagem bilionária

O valor de várias obras bem como o pagamento dos empréstimos – como o Projeto Bayovar (Peru) e Renovação da rede de gasodutos em Montevideo (Uruguai) – são mantidos sob sigilo. Tramita no Senado proposta que acaba com o segredo das transações. Mas o PL 7/2016 está parado na Comissão de Constituição e Justiça.

Sanidade

O deputado tucano Miguel Haddad (SP) defende a exigência de atestado mental e  certidões negativas de antecedentes criminais para pessoas que trabalham em creches e “instituições análogas”.

Memorial Janaúba

De acordo com o parlamentar, a proposta (PL 9260/17) visa evitar tragédias como a de Janaúba (MG), onde, em outubro passado, 9 crianças e uma professora morreram após um vigia atear fogo em uma creche do município.

(306Publicações)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *