4/5/2010 às 12h5 - Atualizado em 4/5/2010 às 12h15

Coser reafirma apoio à Casagrande em favor de Dilma durante entrevista à Rádio Vitória

Folha Vitória
Redação Folha Vitória

O prefeito de Vitória, João Coser, voltou a afirmar que apóia a candidatura de Renato Casagrande ao Governo do Estado, em entrevista concedida ao programa Balança Vitória, da Rádio Vitória (640).

Convidado para a estreia da atração na tarde desta segunda-feira, Coser confirmou que a candidatura de Casagrande é um projeto nacional, que inclui a candidatura de Dilma Rousseff à presidência do Brasil. Sobre Ricardo Ferraço, o prefeito afirmou que vai apoiar a candidatura dele ao Senado, assim como o Partido dos Trabalhadores.

Além do tema eleições, Coser respondeu questões que envolvem a capital do Espírito Santo, além de escutar as reclamações levantadas por ouvintes da rádio. Leia as principais respostas do prefeito.

Desafios
Na verdade temos muitos desafios. A cidade de Vitória, por ser uma ilha, tem algumas coisas bastante complexas. A primeira delas é a questão da mobilidade urbana, porque o cidadão para circular de Serra para Vitória e também de Cariacica e Vila Velha para Vitória, tem que passar pelas pontes. Então nosso grande desafio é como chegar no centro de Vitória, já que durante o dia as pessoas vêm trabalhar, fazer negócios, buscar hospitais, universidades... E a tarde, voltam para suas cidades.

Depois da mobilidade urbana, um tema que eu considero difícil e depende muito da comunidade, que não tem uma grande compreensão, é a questão da limpeza pública. Nós precisamos melhorar nosso comportamento. Nós gastamos quase R$ 60 milhões por ano só de coleta de lixo e entulho. O dinheiro que poderia voltar para saúde, assistência, mesmo para cultura e lazer, acaba indo para manutenção da cidade. Nós somos uma cidade que tem coleta diária; são poucas no Brasil que tem coleta diária. Mesmo assim, nós temos mais de 150 pontos viciados de lixo, além de entulho.

A terceira causa, que é desafiadora para qualquer prefeito, é a população de rua. Não é fácil a convivência com catador de lixo, população que por alguma razão está morando debaixo das pontes. É triste e a legislação hoje inibe muito a gente de atuar porque nós não podemos tocar nas pessoas. Estes três pontos são grandes desafios.

Aeroporto
Tenho conversado com o presidente da Infraero, Dr. Murilo, e também, com nosso Governo Federal. Não é problema de recursos e nem tem problema de governo. O problema é da Infraero, que é uma empresa. Infelizmente a administração foi contestada. Eu recebi os representantes do exército que já desenvolveram os projetos técnicos e agora vêm, a partir de maio, para iniciar a parte da pista pela engenharia do Exército Brasileiro. Para uma segunda etapa, que é a estação de embarque e os equipamentos, vamos fazer uma nova licitação. Portanto, se não tivermos nenhuma outra surpresa, nós teríamos no próximo semestre o início das obras da pista, da torre de controle, da área de bombeiro, e nós teríamos a partir daí uma nova licitação para a estação de embarque e equipamentos.

Obras nas ruas
Esse projeto, feito parte pela Prefeitura, parte pela Cesan, é um dos melhores projetos. Nós vamos ter 100% do nosso esgoto canalizado. Mas ele é um grande incômodo porque nós estamos tendo que passar, em dois anos, por todas as ruas de Vitória, abrindo buracos. É um suplício.  A nossa previsão é que o grosso seja construído em 2010, ficando poucas intervenções para 2011. Depois de pronto, vamos fazer um trabalho de recapeamento, fazer faixas novas, mas a expectativa é que o sofrimento maior seja até o final deste ano, antes de dezembro. Quero pedir a compreensão da população porque é incômodo, mas Vitória será a primeira cidade brasileira que terá todos os esgotos canalizados. Vitória quer se transformar em um atrativo de turismo de negócio e de lazer.

Enchentes
Nós somos uma cidade no nível do mar e com algumas regiões abaixo do mar. Estamos trabalhando hoje um conjunto de projetos de drenagem. Um grande trabalho na região de Bairro República, Mata da Praia e Morada de Camburi. Investimentos de mais de R$ 35 milhões. Estamos fazendo uma estação de bombeamento importante da região da Cândido Portinário. Ano que vem, vamos reduzir o alagamento na Leitão da Silva e em Itararé. Agora, é um projeto caro que estamos desenvolvendo aos poucos. Tem alguns desafios, mas, comparado com outras cidades, Vitória vai sim dar conta. Eu vou terminar meu mandato em 2012 com muitas ações e muita coisa resolvida. Mas não todas. Nós ainda teremos quatro ou cinco pontos com alagamentos.

Servidores na Justiça por 44%
Há uma ação que alguns servidores têm na justiça, há 20 anos, se não me falha a memória, do plano Collor ainda. Está na justiça tramitando no Brasil inteiro e está também na cidade de Vitória. A Prefeitura não concorda com o pagamento porque isso já foi incorporado em um período em que foi dado 55,12%, pelo ex-prefeito Vitor Buaiz e foi considerado pago. Hoje, não há condições; 40% fecham a prefeitura de Vitória. Nossa folha de pagamento são R$ 430 milhões. Se eu colocar 40% leva todo recurso de investimento, fecha inclusive algumas escolas. É impossível fazer isso. Já estamos gastando 56% na folha de pagamento. A lei exige no máximo 60%. Tem um acordo coletivo, tem um documento.

Ciclovias
É outro desafio da nossa ilha. Ela tem poucos espaços. Nós iniciamos uma ciclovia saindo da ponte Florentino Avidos; temos o desejo de passar em frente ao galpão do porto. Não conseguimos uma autorização do FTU para fazer o calçadão até chegar a Praça do Papa. Nosso desejo é fazer uma circulação. Agora, ciclovia no estilo tradicional, nós estamos fazendo obras novas, tipo a Fernando Ferrari, a Praia de Camburi, agora a Adalberto Simon Nader... Tudo o que a prefeitura fizer de novo, nós incorporaremos a ciclovia. Mas realmente o centro de Vitória é um grande desafio. Passar em frente ao palácio hoje, nós não conseguimos alternativa.

Animais na rua
Essa sensação de que o prefeito resolve tudo... Isto é uma questão de comportamento. Nós temos condições de colher os animas que estão abandonados, temos um período de oferta para que a população busque os animais, mas não podemos ficar acumulando cachorro, gato... Nem temos espaço para isso. Agora, por exemplo, tem uma ação contra a prefeitura porque a prefeitura não tem outra coisa a fazer e sacrifica. Agora não estamos nem colhendo porque tem uma proibição. É um problema que depende da ajuda da comunidade.

Projeto Terra Mais Igual
Iniciamos no Forte e no Romão, a primeira etapa. Fazemos reforma de casa. Telhado, pintura e em alguns casos fazemos inclusive a substituição do barraco por uma casa de alvenaria.

Reciclagem de material
Nós temos um processo de coleta e distribuição através das cooperativas, mas o ambiente para funcionar tem que ter alguns critérios. A cidade de Vitória não chega a comercializar e aproveitar 3% do lixo. Nossa meta é chegar a 20%. Nós estamos jogando muito lixo bom fora. Isso significa papel, plástico, coisa que poderia ser reaproveitada. Nosso esforço junto a Secretaria de Serviço é aumentar o trabalho de reciclagem de materiais.

Pontos de táxi da capital e táxis de outros municípios
Não é possível que tenha um taxi de Cariacica e Vila Velha que queira fazer ponto no Shopping Vitória, no aeroporto... De fato, cada um tem que ficar estacionado no seu ponto. Agora, você pode trazer e levar um passageiro naturalmente.

Outras cidades, como Cariacica, acabam liberando taxi acima da média. Então tem táxi demais, ponto de menos e movimento de menos. Eu fiz licitação para 100 placas. Vamos fazer 10 táxis adaptados para portadores de necessidades especiais. Nossos taxistas têm um cadastro e a prefeitura responde pelo comportamento deles.

Aluguel social para casa condenadas
Se for uma pessoa mais carente a Defesa Civil de Vitória identifica e a nossa área de assistência social faz um levantamento. Existem casos em que removemos a família, colocamos em aluguel social e vamos buscar uma habitação. Depende da condição do cidadão, porque nós podemos dar assistência até um nível de renda familiar. A partir daí, o cidadão tem que ele mesmo resolver seus problemas.

O cidadão tem que ir à Secretaria de Habitação de Vitória, identificando o problema dele, para ver se a prefeitura tem de fato obrigação. Nós temos hoje mais de 300 pessoas que fizemos a remoção. Nós também temos um programa de assentamento, mas Vitória tem pouco terreno, tem dificuldade para construir casas.

Saúde Vitória - Faltam profissionais?
Comparado a outras cidades, Vitória sofre um pouco menos. Os médicos de Vitória têm um trabalho na cidade, tem um trabalho no hospital particular e acabam ficando mais em Vitória. A renda começa baixa, mas temos carreira, portanto alguns médicos recebem salário por quatro horas razoável. Mas em algumas áreas temos dificuldades. Em pediatria temos dificuldade.

Ônibus - fiscalização de pontos
Nós temos fiscalização. Daqui a pouco vai estar na internet, no celular... Você vai saber quanto tempo demora o seu ônibus a chegar. Agora, a sociedade tem um comportamento que prejudica que é colar todo tipo de cartaz nos pontos de ônibus. Isso gera um gasto para a Prefeitura.

Duplicação da Fernando Ferrari
Estamos terminando o processo de desapropriação do trecho que vai da antiga colchoaria Paris até a pracinha de Goiabeiras e administramos com o governador e a Secretaria de Obras do Governo do Estado o início daquela etapa. A parte da Prefeitura está ficando pronta. Nós faremos remoção dos postes e vamos em junho reiniciar as obras. Nossa expectativa é termos toda a publicação da Fernando Ferrari pronta, fazendo passarela na ponte da passagem. Está engatilhado e daqui a pouco estará pronto.

Ufes
Eu assumi o compromisso de 14 obras para a Universidade Federal como prefeito de Vitória. Algumas delas já entregues e outras em fase de construção. Todas serão honradas, mas de fato duas empresas abandonaram e vamos ter que contratar outra empresa para terminar. Nós estamos retomando todos os compromissos. Aquilo ali é de fato uma dívida.

Eleições 2010
Continuo mobilizado na candidatura do Renato Casagrande; é um projeto nacional. De fato, me dediquei muito ao Ricardo, que foi muito leal comigo. Se for candidato ao Senado terá integralmente o meu apoio e o do Partido dos Trabalhadores, mas nós vamos trabalhar para o bem do Estado do Espírito Santo. Esse projeto se dá também em função da candidatura da ministra Dilma à presidência da república e eu tenho a obrigação de fazer com que o maior número de partidos entre nessa coligação.

A Rede Vitória faz parte do
4Ps Todos os direitos reservados © 2007-2014