| 27/5/2011 às 12h58 - Atualizado em 27/5/2011 às 17h45

Secretários da prefeitura de Fundão são presos e prefeito pode ser afastado por suspeita de desvio de verbas

TV Vitória
Redação Folha Vitória

Foto: Reprodução TV Vitória
Uma operação policial realizada na manhã desta sexta-feira (27) prendeu uma controladora e seis secretários do município de Fundão por suspeita de participação em um esquema de desvio de recursos de royaltes de petróleo.

A prefeitura da cidade foi fechada. Computadores, malotes contendo documentos da controladoria e do gabinete do prefeito foram apreendidos. A controladora do município, Maria Aparecida Carreta, foi levada para a delegacia da cidade assim como seis secretários das pastas de saúde, educação, turismo, ação social, obras e agricultura.

Todos os suspeitos negaram envolvimento no esquema. "O dia que alguem falar que eu desviei um centavo dos cofres públicos de qualquer repartição, eu vou embora da cidade", disse o secretário de Educação, Uelington Tonini. Outro secretário disse desconhecer o motivo das prisões. "Eu quero saber primeiro porque nós estamos aqui", questionou o responsável pela pasta de Saúde, Saulo Faclheto.
 
Segundo o promotor de justiça, Fábio Ribeiro, os detidos estariam arrecadando R$ 900 mil por mês em desvio de recursos dos royaltes do petróleo. "São diversas fraudes em procedimentos licitatórios e foi montada uma verdadeira organização criminosa no município de Fundão. Esse dinheiro é basicamente do desvio do dinheiro dos royaltes do petróleo, que a prefeitura recebe cerca de R$ 900 mil por mês. Esse é o alvo da investigação do Ministério Público.
 
O Ministério Público também pediu o afastamento do prefeito da cidade, Marcos Fernando Moraes do PDT, e do vice, Ademir Loureiro de Almeida, do PSC. Eles seriam os cabeças do esquema que já vinha sendo investigado há cerca de dois meses pelo Grupo Especial de Trabalho Investigativo.

Além deles, outros dois vereadores de fundão foram detidos. Ailson Abreu Ramos do PSC  e Eloísio Tadeu Rodrigues Fraga do PRB. "Comigo não existe esquema nenhum, não tenho rabo preso com ninguém", alegou Eloísio Fraga.

A pequena cidade, que faz parte da Gande Vitória, parou para acompanhar o trabalho da polícia. Muitos moradores ficaram indignados com o que ficaram sabendo. "Os homens não estão prestando serviço. Cadê os serviços do município? O prefeito entrou e até hoje não fez nada", comentou Edmar Santos.

Segundo a moradora Terezinha de Jesus, ninguém na cidade sabe para onde está indo o dinheiro público. "O dinheiro entra por uma porta e sai por outra. Está tudo péssimo aqui. No lugar que tinha dez médicos agora tem só um. Só Deus", disse a aposentada.

A Rede Vitória faz parte do
4Ps Todos os direitos reservados © 2007-2014