| 1/7/2011 às 17h42 - Atualizado em 4/7/2011 às 18h44

Casagrande mantém aprovação de quase 70% dos capixabas após seis meses de Governo

Redação Folha Vitória
Redação Folha Vitória

Foto: Folha Vitória
Após seis meses de mandato, o governador Renato Casagrande manteve os índices de aprovação de quase 70% da população. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Flexconsult e divulgada em parceria com a Rede Vitoria no mês de junho revela que 67,80% dos capixabas aprovam o trabalho realizado pelo chefe do executivo.

O número representa um aumento de 1,6% em relação à pesquisa anterior, divulgada em abril. O desempenho do governador é avaliado como Bom e Ótimo por 47,20% da população e como Ruim e Péssimo por 11,6% dos capixabas.

Segundo o cientista político Fernando Pignaton, o resultado satisfatório se deve ao fato de o governo conseguir manter a expectativa de continuidade de crescimento do Espírito Santo. "Casagrande usou a sensibilidade e revelou amadurecimento da capacidade de gestão. A expectativa é positiva em relação ao futuro e bem maior do que a aprovação do momento atual", comentou.

A pesquisa revelou que o governador possui uma avaliação de 47,20% entre os entrevistados que o consideram Ótimo e Bom. Por outro lado, a expectativa para o futuro chega a 64,80%.

Quando comparado com o governo anterior, 50,20% da população respondeu que o desempenho de Casagrande até o final do mandato deve ser igual ao do governador Paulo Hartung. Além disso, 22,60% dos capixabas acreditam que o atual governo será melhor do que o passado.

"O governador não tem o perfil de uma pessoa que tenha atuado em uma máquina administrativa como essa. No entanto, ele foi submetido a uma série pesada de testes e foi aprovado. Nessas ocasiões, ele transmitiu segurança e serenidade e isso fez com que ele até aumentasse a aprovação", argumentou Pignaton.

O cientista político destacou que o atual governo enfrentou muitas crises nos últimos meses, como a da saúde, a da Assembleia Legislativa, protestos de estudantes, desocupação em Aracruz e demissão de delegados e policiais militares. 

"No caso dos estudantes, ele suspendeu a repressão da polícia e promoveu o diálogo, blindando-se do desgaste que o movimento poderia lhe causar", esclareceu ainda. 

Ao todo, foram realizadas 1 mil entrevistas. A margem de erro é de 3,1% e tem índice de 95% de confiança, com plano de amostragem baseado nos dados do IBGE 2000 e TSE 2010.

A Rede Vitória faz parte do
4Ps Todos os direitos reservados © 2007-2014