Jornal Online Folha Vitória
Vitória, 19 de
Abril de 2014
Compartihe:
Encontre no Folha:  
 
10/12/2008 às 14h16

Arives abre Feirão amanhã em Carapina


Foto: Divulgação
Com uma expectativa de vendas de R$ 18 milhões, será aberta nesta quinta-feira (11) no Parque de Exposições Floriano Varejão, em Carapina, o 34º Feirão Arives, a ser realizado até domingo, com cerca de 2 mil veículos em exposição. O feirão será a oportunidade de as revendas de veículos do Espírito Santo comercializarem parte de seus estoques, já que nos últimos meses houve uma retração de vendas de unidades, novas e seminovas. Segundo o presidente da Arives, Antônio Carlos Vieira da Silva Filho, cerca de 55 revendas de veículos participam do evento, com a possibilidade de comercialização de 45 por cento do estoque, o que significa cerca de 900 veículos vendidos durante os quatro dias de duração da feira. O 34º Feirão da Arives será realizado no Parque de Exposições Floriano Varejão, em Carapina, em stands das revendas, distribuídos por toda a estrutura de feira do local. De amanhã até sábado o horário de funcionamento irá das 09 às 19 horas. No domingo, dia do encerramento, das 09 às 18 horas.

Rodosol continua

Foto: Josué de Oliveira
O secretário Estadual de Transporte, Ricardo Ferraço, anunciou, nesta terça-feira (9), o resultado de um estudo encomendado à Fundação Getúlio Vargas (FGV) sobre a possibilidade de retomada da concessão da Terceira Ponte pelo Governo do Estado. Devido aos custos da quebra do contrato, a concessão vai continuar sob o comando da Rodosol. Ao todo, foram oito meses de estudos entre os técnicos da Fundação. De acordo com os dados apresentados, caso o governo resolvesse retomar a concessão, o Estado teria que pagar à concessionária R$ 428 milhões, o que segundo Ferraço, seria um prêmio, já que esse montante é mais do que o lucro que a empresa teria no final do contrato. A previsão é de que até 2023 a Rosodol acumule valor de R$ 353 milhões.

Com o avanço das negociações entre o Congresso norte-americano e a Casa Branca em torno do pacote de resgate das montadoras, a Bolsa de Valores de São Paulo abriu em alta. Às 11h11, o principal índice do mercado paulista - o Ibovespa - avançava 2,31%, aos 38.846 pontos, influenciado pela valorização dos futuros de ações em Nova York. Lá, eles sobem mais de 1% enquanto esperam uma decisão sobre a ajuda a GM, Ford e Chrysler. Segundo o economista da Infra Asset, Fausto Gouveia, a provável aprovação do socorro emergencial às três montadoras é benéfica para a Bolsa brasileira, que tem forte participação do setor de siderurgia - ele responde pelo quarto maior peso da carteira teórica do Ibovespa, com participação de 10,6%, atrás dos bancos (11,5%), Vale (15,9%) e Petrobras (18,2%).

55 milhões de litros de vinho

A Conab vai subvencionar a venda de mais 55 milhões de litros de vinho. Dois leilões Prêmios de Escoamento do Produto (PEP) estão programados para esta quinta-feira (11) para apoiar cooperativas e indústrias de vinho gaúchas. O prêmio pode chegar à R$ 323,7 para cada mil litros da bebida transportada para fora do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Nos cinco leilões realizados até agora, a estatal investiu R$ 16 milhões no mercado vinicultor. Foram comercializados aproximadamente 17 milhões de litros de vinho. Prêmio - O PEP é uma subvenção econômica oferecida pelo governo em leilões para apoiar a venda de produtos de origem agrícola. O arrematante do benefício se compromete a adquirir o produto diretamente do agricultor ou de sua cooperativa, pagando o preço de referência definido pelo governo, e a escoá-lo para uma região de consumo previamente estabelecida. 
 
Empréstimo pessoal

As instituições financeiras continuam apertando o crédito e a taxa de juros para empréstimo pessoal em dezembro já é a mais elevada desde 1999. De acordo com pesquisa da Fundação Procon de São Paulo (Procon-SP) divulgada hoje, a taxa média cobrada pelos principais bancos para a modalidade ficou em 6,25% ao mês (107,06% ao ano), igualando-se à marca registrada em abril de 1999 e representando a maior taxa média desde março do mesmo ano, quando os juros eram de 6,77% ao mês. Em relação a novembro, a alta corresponde a 0,10 ponto porcentual. No caso do cheque especial, os juros médios ficaram em 9,33% ao mês (191,75% ao ano), a maior taxa desde junho de 2003, quando os bancos cobravam 9,43%. Na comparação com o mês anterior, o acréscimo foi de 0,09 ponto porcentual.



 

Publicado por Comente






RSS
Cadastrar RSS desta coluna




%midia_super_banner%

4Ps Agência Digital agência digital 2007 - FOLHA VITÓRIA - Todos os direitos reservados - Anuncie - Expediente - Cadastro - Fale Conosco - Política de Privacidade - RSS