Jornal Online Folha Vitória
Vitória, 18 de
Dezembro de 2018
Compartihe:
Encontre no Folha:  
 
Classificados Geral Polícia Política Economia Vídeos Entretenimento Esportes Social
27/01/2008 às 09h09

Jucutuquara provoca apagão no Sambão e Novo Império brilha na avenida


Por Josué de Oliveira

Foto: Josué de Oliveira

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O último dia de desfiles das escolas de samba do Espírito Santo foi marcado pela chuva, falta de energia e pista esgorregadia. A expectativa era grande para a apresentação da Unidos de Jucutuquara, bicampeã do carnaval. No entanto, a escola entrou na avenida e mostrou um desfile técnico, feito exclusivamente para ganhar o título. O público que lotou as arquibancas não se animou com a evolução da agremiação e a euforia ficou mesmo para o desfile da Novo Império, que conseguiu levantar as arquibancadas e arrancar da multidão o grito de "É campeã". A chuva que caiu neste sábado atrapalhou a Rosas de Ouro, primeira a entrar no sambódromo. Com 21 minutos de atraso, a escola foi prejudicada também nas fantasias. Algumas delas ficaram danificadas.

Confira os detalhes de cada desfile:

Foto: Josué de Oliveira
 Clique e veja as fotos do desfile
Rosas de Ouro: A escola do bairro Serra Dourada 3, na Serra, chegou com atraso e algumas das suas alegorias prejudicadas, mas nem por isso se deixou abater. Com o enredo "Rosas de Ouro canta o grande amor à Natureza" e debaixo de muita chuva, a agremiação soltou o grito de protesto contra a destruição do meio ambiente. A comissão de frente deu um espetáculo a parte, evoluindo no sambódromo com cartazes que formavam o nome da escola e também a palavra Preservação. A coreografia abriu no meio da passarela um adereço onde simbolizava o planeta terra.

A bateria sob o comando de Clebinho Gadernal apresentou a tradicional paradinha e arrancou aplausos do público presente, que mesmo com a chuva, não desanimou de conferir o espetáculo na arquibancada. As fantasias, em sua maioria com as cores da escola, deram o recado de que é preciso uma conscientização para que haja um crescimento econômico aliado à sustentabilidade.

Clique aqui e veja mais fotos da Rodas de Ouro

Foto: Josué de Oliveira
 Clique e veja as fotos do desfile

Unidos de Barreiros: A chuva deu uma trégua quando a Unidos de Barreiros entrou na avenida para quebrar o preconceito contra os portadores de Síndrome de Down. O enredo "Sou Barreiros, sou Apae, especial no Carnaval" emocionou o público ao levar para o sambódromo várias pessoas com a deficiência. Destaque especial, sem querer aproveitar o trocadilho, para o casal de mestre-sala e porta-bandeira. A dupla deu um show e a platéia aplaudiu de pé a apresentação. O desfile da comunidade de São Cristóvão terminou com um carro onde os destaques eram alunos e funcionários da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais do Espírito Santo (Apae).

Clique aqui e veja mais fotos da Unidos de Barreiros

Foto: Josué de Oliveira
 Clique e veja as fotos do desfile

Jucutuquara: A bicampeã do carnaval veio para mostrar que estava disposta a conquistar o terceiro título. A agremiação abusou do luxo nas fantasias e também trouxe para o Sambão carros alegóricos grandiosos e cheios de movimentos. O amarelo e o dourado predominaram nas fantasias até a metade da apresentação. Em seguida, o vermelho, o verde e o branco, cores da escola, se espalharam por todo o sambódromo. Os aproximadamente 3,2 mil componentes cantaram na ponta da língua o enredo "De Vitória à Samotrácia: um canto de Vitórias" que contava as grandes conquistas da humanidade. Entre elas, a vitória do medo sobre o desconhecido. Quem garantiu um espetáculo a parte foi a rainha da bateria, Tatiana Paysan. Ao contrário das suas colegas de posto, ela pertence ao coração da escola. Durante sua evolução pela avenida, ela mostrou que além de samba no pé e simpatia, também sabe acompanhar o ritmo da bateria da qual reina absoluta.

Apesar do luxo das fantasias, a escola não empolgou o público, já que apresentou um desfile técnico para garantir o tricampeonato. Já na dispersão, o segundo carro, que simbolizava justamente a vitória do conhecimento humano, se chocou com fios de alta tensão e provocou um curto-circuito. O acidente deixou o sambódromo às escura e o apagão durou aproximadamente 15 minutos. Ninguém ficou ferido.

Clique e veja mais fotos da Unidos de Jucutuquara

Foto: Josué de Oliveira
 Clique e veja as fotos do desfile

Novo Império: Mesmo com parte das arquibancadas ainda às escuras, a Novo Império brilhou no Sambão durante a evolução do seu espetáculo que tinha como tema "As bodas de Aranã". Para contar a lenda da origem da pedra do Frade e da Freira, os foliões esbanjaram criatividade nas fantasias que retratavam a história de amor entre dois indígenas. Logo na entrada, duas imagens gigantes de índios abriram o espetáculo, recheado de plumas e penas em variadas cores. E os integrantes da comunidade do Morro dos Alagoanos conseguiram trazer para a avenida a lenda e levantar o público com a paradinha da bateria nota 10. Em um determinado momento, os ritmistas se viraram para as arquibancadas e reverenciaram os foliões. O público foi ao delírio e no encerramento do desfile, gritou "É campeã".

Clique aqui e veja mais fotos da Novo Império

Foto: Josué de Oliveira
 Clique e veja as fotos do desfile

Pega no Samba: Depois de conquistar o campeonato do grupo de acesso do ano passado, em 2008 a Pega no Samba veio embalada rumo ao título das melhores do Estado. A quinta escola a entrar na passarela contou sua própria trajetória e se comparou ao mito Fênix, uma ave que renasceu das cinzas. A agremiação, assim como Fênix, prometeu incendiar a avenida, no entanto, o público das arquibancadas não ficou empolgado com o desfile. As fantasias eram simples e o acabamento das alegorias talvez faça com que a escola perca alguns pontos importantes e volte para as cinzas, já que logo no abre-alas, as letras que formavam o nome da agremiação se desprenderam e foram seguradas com a mão pela equipe de apoio.

Clique aqui e veja mais fotos da Pega no Samba 

Foto: Josué de Oliveira
 Clique e veja as fotos do desfile

Andaraí: O Sambão do Povo virou um verdadeiro shopping Center a céu aberto para a Andaraí contar no enredo "Comprar, vender, viver e aprender" a história do comércio desde o início da colozonização até os dias atuais. O abre-alas chegou com muito luxo para retratar o Palácio Persa. As fantasias simbolizaram também as principais festas do País, época em que o comércio fica movimentado com as vendas. A escola trouxe uma ala cheia de Papais Noéis representando o Natal, dia em que os comerciantes faturam alto.

A ousadia ficou por conta dos carros alegóricos em que um deles mostrava uma serpente em movimento. O veneno, no entanto, ninguém sabe onde foi parar. O que se sabe é que a comunidade de Santa Marta prometeu durante o ano que vinha para brigar pelo título com a Unidos de Jucutuquara. No encerramento, o Sambão virou uma verdadeira feira livre, onde os integrantes da Verde e Rosa capixaba vendiam frutas e legumes para o folião que permanecia no local.

Clique aqui e veja mais fotos da Andaraí

Foto: Josué de Oliveira
 Clique e veja as fotos do desfile

Boa Vista: Com muitas pessoas nas arquibancadas e nos camarotes, a Independentes de Boa Vista fechou os desfiles do carnaval 2008. A escola de Cariacica mostrou a evolução da agricultura em diversas épocas e civilizações. O enredo "Cio da Terra" foi mostrado nas fantasias e alegorias. A ala das baianas, por exemplo, representou o trigo, simbolizando o pão nosso de cada dia. O prefeito de Cariacica, Hélder Salomão, estava entre os membros da comissão de frente. Já era dia quando a escola encerrou o desfile sob aplausos dos que resistiram ao cansaço.

Clique aqui e veja mais fotos da Independentes de Boa Vista

Se você não desfilou na avenida e preferiu curtir a festa no camarote, clique aqui e veja o que rolou durante o segundo dia de desfiles das escolas de samba do grupo especial.

Primeiro dia de desfile: MUG é a favorita para conquistar título do carnaval 2008. Confira a cobertura completa do primeiro dia de desfiles

Por Josué de Oliveira

Foto: Josué de Oliveira

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Desta vez não teve carro quebrado e a MUG espantou o fantasma do rebaixamento ao desfilar soberana no Sambão do Povo durante o primeiro dia do Carnaval de Vitória. A escola da comunidade da Glória, em Vila Velha, encerrou sua apresentação com gritos de "É campeã". A primeira a entrar na passarela do samba foi a Unidos de Piedade. A escola entrou antes mesmo da entrega das chaves da cidade pelo prefeito de Vitória, João Coser, ao Rei Momo.

A entrada do Rei, da Rainha e da Princesa sofreu um atraso e para não prejudicar a escola, a abertura oficial ficou para depois do primeiro desfile. Fontes extraoficiais dizem que o imprevisto foi causado por uma das fantasias da realeza. O biquini da rainha teria ficado pequeno demais e houve trabalho para ajustar o modelito. No entado, a secretária de Cultura de Vitória, Maria Helena Signorelli, desmentiu a informação e garantiu que o atraso foi provocado pelo congestionamento no trânsito.

Confira os detalhes de cada desfile:

Foto: Josué de Oliveira
Unidos de Piedade:
A primeira escola a pisar na avenida entrou cheia de gás e conseguiu levantar o público que já lotava as arquibancadas. Com o enredo "Os trabalhadores pedem passagem. A Piedade se encanta e canta o jubileu de prata da CUT", a agremiação espalhou o vermelho pelo sambódromo e uma ala dedicada exclusivamente à Central dos Trabalhadores chamou atenção dos foliões. O ritmo da bateria era embalado por integrantes experientes, mas as crianças da comunidade também fizeram bonito na avenida, mostrando que a futura geração de ritmistas está bem representada. Com samba no pé, a Piedade esbanjou colorido nas fantasias e o verde, branco e vermelho tomou conta dos foliões que defendiam o título para a escola.

Clique e veja mais fotos da Unidos de Piedade

Foto: Josué de Oliveira
Tradição Serrana:
Depois que o bloco dos garis assumiu o posto na avenida, a escola de samba Tradição Serrana entrou na passarela disposta a conquistar o título do grupo de acesso. Logo no início, a agremiação mostou a que veio e inovou ao apresentar uma comissão de frente coreografada composta por 11 índios. A escola não chegou a empolgar o público, mas nem por isso a animação dos integrantes foi deixada de lado. A rainha da bateria, Mirian de Almeida, chamou para si a responsabilidade e, sob o comando dos ritmistas, a arquibancada começou a ficar mais empolgada. Com o enredo Enredo: “Serra terra de encantos mistérios e paixão. Aqui cheguei, gostei e fiquei!", a Tradição Serrana cantou o amor pelo município do Estado. As fantasias mostraram um acabamento mais caprixado e, mesmo sem muitos recursos, a escola soube usar a criativida na composição das alegorias.

Clique aqui e veja mais fotos da Tradição Serrana

Foto: Josué de Oliveira
MUG:
Antes mesmo da Mocidade Unida da Glória (MUG) entrar na avenida, já havia uma expectativa em torno da apresentação da escola de Vila Velha. Rebaixada no ano passado depois que um dos seus carros quebrou, a agremiação vermelha e branca esbanjou luxo nas fantasias e impressionou pela ousadia de trazer para o sambódromo carros alegóricos grandes e com movimentos. Contando a "Amazônia: lendas e cobiça”, a MUG levantou o público das arquibancadas e dos camarotes e os foliões cantaram o samba na ponta da língua.

Logo no início do espetáculo, a agremiação trouxe na comissão de frente a coreografia de 27 índias guerreiras que abriram o desfile e pediam a preservação da Amazônia. O ponto mais emocionante, no entanto, foi a paradinha da bateria. Sob o comando do mestre Renatinho, os ritmistas e a rainha da bateria, Fernanda Figueiredo, provocaram arrepios durante a apresentação no sambódromo.

Apesar do desfile impecável, a MUG sofreu um susto logo após um dos seus carros alegóricos passarem em frente aos jurados. Uma das onças que vinham no segundo carro-alegórico despencou na avenida, mas rapidamente foi retirada pelos membros da diretoria. Mesmo com o incidente, a agremiação fez um verdadeiro passeio no Sambão e reinou soberana no primeiro dia do espetáculo. A escola se despediu do público aplaudida de pé e debaixo de gritos de "É campea!". A MUG cumpriu a promessa de fazer uma auê na avenida.

Clique aqui e veja mais fotos da MUG

Foto: Josué de Oliveira
Indepentendes de São Torquato:
Guerreiras negras tomaram conta do sambódromo logo na entrada da escola de samba Independentes de São Torquato. A agremiação cantou durante os 70 minutos o enredo “As guerreiras negras, sonhos, encantos e liberdade”. E o que não faltou foi a beleza negra das mulatas da comunidade de Vila Velha. Apesar de vir com fantasias simples, a empolgação dos foliões foi compensada e a escola acreditou de verdade que o título poderia estar próximo. As crianças também mostraram que são boas de samba e deram um show a parte durante a apresentação. Alguns buracos foram formados durante a passagem pelo sambódromo, o que pode tirar alguns pontos da Independentes de São Torquato no quesito harmonia.

Clique aqui e veja mais fotos da Independentes de São Torquato

Foto: Josué de Oliveira
Imperatriz do Forte:
A escola de samba trouxe do sul do Estado a inspiração para tentar brigar pelo título do grupo de acesso. Com o enredo “Presidente Kennedy – De Portugal a batalha ecoam os tambores da Imperatriz, onde o Eldorado se espalha”, a Imperatriz do Forte coloriu de verde e Rosa a avenida. A penúltima escola a entrar no sambódromo trouxe um pouco da história da cidade logo na sua comissão de frente. Os integrantes representaram a colonização com a batalha entre índios e jesuítas. O que não faltou foram penas e plumas durante o espetáculo. As alegorias simples, mas bem acabadas, trouxeram todo um colorido especial para o sambódromo. O Tio Sam, símbolo da colonização americana e que deu nome ao município, veio representado na fantasia da bateria. No encerramento do desfile, o carro "O El Dourado é aqui",  chamou atenção ao equilibrar bailarinos fazendo malabarismo nas estruturas da alegoria.

Clique aqui e veja mais fotos da Imperatriz do Forte

Foto: Josué de Oliveira
Chegou o que Faltava:
Logo no início do desfile, a Chegou o que Faltava teve problemas com o som e demorou para os componetes fecharem o primeiro dia do carnaval de Vitória. O problema foi superado e a agremiação trouxe para o sambódromo um casamento de pomeranos e italianos. A mistura de cultura encontrada na região de Domingos Martins foi cantada no enredo “Chegou o que Faltava no Paraíso das Montanhas Encantadas”. Poucas pessoas ficaram até o final do desfile, o que talvez tenha contribuido para o desânimo que visivelmente era obervado no rostos dos foliões.

Clique e veja mais fotos da Chegou o que Faltava

E durantes os desfiles, os camarotes do Sambão do Povo se transformaram em verdadeiros points de curtição. Um dos mais movimentados era o da Rede Vitória de Comunicação. Alguns espaços, entre uma escola e outras, viravam boate e muitos resolveram investir na decoração e no conforto para seus convidados.

Clique aqui e veja as fotos do agito que rolou dentro dos camarotes



 

Publicado por Folha Vitória 7 Comentários



29/01 - Carla Pereira e Tatyana Paysan são as rainhas que se destacaram na avenida
29/01 - Para leitores do Folha, Novo Império leva título do Carnaval
28/01 - Eleição de melhor musa ou rainha de bateria
27/01 - Jucutuquara provoca apagão no Sambão e Novo Império brilha na avenida
27/01 - Cobertura do segundo dia - Grupo Especial
26/01 - Resumo do primeiro dia de desfiles
26/01 - MUG é a favorita para conquistar título do carnaval 2008. Confira a cobertura completa do primeiro dia de desfiles
25/01 - Cobertura do primeiro dia - Grupo de Acesso
24/01 - Andaraí vai contar a história do comércio na passarela do samba
24/01 - Domingos Martins entra na avenida junto com a Chegou o que Faltava
24/01 - Tradição Serrana leva para o sambódromo a paixão pelo município da Serra
23/01 - Piedade abre desfile das escolas de samba contando a luta dos trabalhadores
22/01 - Escola de São Torquato briga como guerreira negras para voltar ao grupo especial
21/01 - Imperatriz do Forte conta com apoio de comunidade para voltar ao grupo especial
19/01 - Rosas de Ouro canta a importância da preservação do meio ambiente
18/01 - MUG protesta contra desmatamento da Amazônia
18/01 - Independentes de Boa Vista traz profissionais cariocas para faturar título 2008
17/01 - O amor indígena será contado na avenida pela Novo Império
16/01 - Unidos de Barreiros leva a simpatia de portadores de Síndrome de Down
15/01 - Fênix: Pega no Samba renasce das cinzas e promete brilhar na avenida
    (1) 2




Histórico


- Janeiro de 2008




%midia_super_banner%

4Ps Agência Digital agência digital 2007 - FOLHA VITÓRIA - Todos os direitos reservados - Anuncie - Expediente - Cadastro - Fale Conosco - Política de Privacidade - RSS