“Flecha de Prata” Mercedes-Benz W 196 R alcança preço recorde de US$ 31,6 milhões em leilão

Carro que venceu corridas em 1954, pilotado por Juan Manuel Fangio, foi vendido

 
A grande atração do leilão realizado no Festival de Velocidade de Goodwood, promovido pela casa britânica Bonhams, foi o lote número 320: um Mercedes-Benz tipo W 196 R Grand Prix de competição – o carro originalmente pilotado por Juan Manuel Fangio em 1954 e, até o momento, único dos Flechas de Prata do período pós-guerra nas mãos de um colecionador particular. O lance vencedor foi de 17,5 milhões de libras esterlinas, preço recorde para vendas de carros em leilão. O comprador, até agora não identificado, arrematou o carro por telefone e pagará um total de 20.896.800 libras (cerca de US$ 31,6 milhões ou aproximadamente R$ 72,7 milhões), incluindo as taxas regulamentares.

 “O resultado do leilão mostra o excepcional nível de respeito dos colecionadores em relação aos veículos históricos da Mercedes-Benz”, declarou Michael Bock, diretor da Mercedes-Benz Classic. “Nós queremos parabenizar o comprador e ficaremos felizes em darmos apoio a ele – caso deseje – nos próximos passos de sua aquisição.”

No total, das 14 unidades do W 196 R originalmente construídas, apenas 10 ainda existem: seis delas pertencem à coleção da Mercedes-Benz Classic e outros três estão em museus em Turim, na Itália, Viena, na Áustria e Indianápolis, nos Estados Unidos. O carro restante é o que foi leiloado em Goodwood, que tem o chassi número 006/54.

Foi pilotando o Mercedes-Benz Flecha de Prata tipo W 196 R com o chassi número 006/54 que o piloto argentino Juan Manuel Fangio venceu os Grandes Prêmios da Alemanha e da Suíça em 1954. Com essas vitórias, Fangio estabeleceu a base de seu primeiro título de Campeão Mundial de Fórmula 1 pela Mercedes-Benz. Foi também com o W 196 R que, em 1954, a marca de Stuttgart retornou às competições de Grand Prix.

Antes do leilão, especialistas da Mercedes-Benz fizeram uma minuciosa inspeção no Flecha de Prata. Em 1973, o carro foi doado pela então Daimler-Benz AG para o National Motor Museum de Beaulieu, na Inglaterra, que o revendeu em 1980. Baseados na detalhada vistoria e na documentação reunida pela Mercedes-Benz Classic, os historiadores da marca fizeram um completo dossiê confirmando a originalidade e autenticidade do veículo. “O atestado de nossos especialistas significa que o novo dono não terá qualquer dúvida ou incerteza sobre este carro de corrida”, disse Michael Bock. “Ele confirma total e inequivocamente a história e a originalidade do veículo.” Este alto nível de expertise disponibilizado pela Mercedes-Benz Classic para os colecionadores e fãs dos carros históricos da marca contribui para o crescente valor dos veículos clássicos da Mercedes-Benz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *