Audi conecta em rede seus veículos com semáforos na Europa

Audi é a primeira montadora no mundo a conectar em rede seus modelos com os semáforos nas cidades

A partir de julho a Audi vai integrar em rede novos modelos com os semáforos em Ingolstadt, na Alemanha, com a tecnologia Audi Traffic Light Information. Outras cidades europeias farão parte do projeto depois de 2020. Com a nova tecnologia, os veículos poderão capturar uma “onda verde” na cidade: os motoristas de Audi verão no painel qual velocidade é necessária para chegar ao próximo semáforo no verde. Se isto não for possível dentro do limite de velocidade permitido, aparecerá uma contagem para a próxima fase verde. Assim, dirigir nas cidades será mais relaxante e eficiente. Nos EUA, os clientes da Audi já vêm usando este serviço desde o final de 2016. A Audi é a primeira montadora no mundo a conectar em rede seu s modelos com os semáforos nas cidades.

 

Nos EUA, os clientes da Audi já vêm usando a função “Tempo Até o Verde” há dois anos: se o motorista atingir um semáforo vermelho, uma contagem no Audi virtual cockpit ou head-up display conta os segundos até o próximo semáforo verde. Agora este serviço está disponível em mais de 5.000 cruzamentos nos EUA, por exemplo, em cidades que incluem Denver, Houston, Las Vegas, Los Angeles, Portland e Washington (capital). Só na capital cerca de 1.000 cruzamentos estão conectados à função Audi Traffic Light Information.

Desde fevereiro de 2019 a Audi oferece outra função na América do Norte. A finalidade é permitir especialmente a condução na “onda verde”. “Green Light Optimized Speed Advisory” (GLOSA) (Aviso de Velocidade Otimizada para o Semáforo Verde) mostra ao motorista a velocidade ideal para chegar ao próximo semáforo verde.

Tanto o “Tempo Até o Verde” como o GLOSA serão ativados para início de funcionamento em Ingolstadt em modelos Audi selecionados. Eles incluem todos os modelos e-tron da Audi e o A4, A6, A7, A8, Q3, Q7 e Q8 que serão produzidos a partir da metade de julho. O pré-requisito é o pacote “Audi connect Navigation & Infotainment” e o opcional “reconhecimento da sinalização do tráfego baseado em câmera”.

Neste projeto, a Audi está trabalhando com Traffic Technology Services (TTS) (Serviços de Tecnologia do Tráfego). O TTS prepara os dados brutos dos centros de gestão de tráfego de cidade e os transmite aos servidores da Audi. A partir daqui, a informação atinge o veículo por uma conexão rápida de internet.

A Audi está trabalhando para oferecer a Audi Traffic Light Information em outras cidades da Alemanha, Europa, Canadá e EUA nos próximos anos. Na grande cidade oriental da China, Wuxi, Audi e parceiros estão testando redes entre os veículos e os sistemas de semáforos no contexto de um projeto em desenvolvimento.

No futuro, os clientes da Audi poderão se beneficiar de funções adicionais, por exemplo, quando as “ondas verdes” forem incorporadas ao planejamento do roteiro ideal. Também se pode conceber que os modelos e-tron da Audi, ao cruzar por um semáforo vermelho, usarão cada vez mais a energia de frenagem para carregar as baterias. Acoplado ao controle de cruzeiro adaptativo preditivo, os veículos podem até frear automaticamente em semáforos vermelhos.

Em longo prazo, o tráfego urbano será beneficiado. Quando os veículos enviarem dados anônimos à cidade, os semáforos poderão ser operados com mais flexibilidade. Todos os motoristas conhecem a seguinte situação: à noite você espera em um semáforo vermelho – enquanto nenhum outro veículo é visto nas proximidades. Semáforos em rede poderão reagir de acordo com a demanda. Motoristas de outros veículos da concorrência também aproveitarão esse trabalho de desenvolvimento encabeçado pela Audi com a Audi Traffic Light Information – uma boa novidade para as cidades, que dependem dos dados anônimos de grandes frotas para obter a gestão m ais eficiente do tráfego.

Futuramente, tecnologias V2I (veículo para infraestrutura) como a Audi Traffic Light Information facilitarão a condução automatizada. “Uma cidade é um dos ambientes mais complexos para os veículos autônomos. Apesar disso, o veículo deve poder administrar a situação, mesmo na chuva e neve. A troca de dados com a infraestrutura de tráfego pode ser altamente relevante nesta situação, diz Hainzlmaier.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *