Mulheres e negócios: A força do empreendedorismo feminino

Hoje nossa conversa não é técnica. Mas o que da técnica nos trouxe até aqui para falar de resultados, empresas e negócios e de mulheres de negócios.

Eu  quero falar sobre Kamala Harris, a primeira vice presidente mulher eleita nos EUA. Também quero falar de Luiza Helena Trajano, Dona de uma das maiores redes de varejo do país. O que elas tem em comum?

Vejamos:

Kamala Devi Harris (OaklandCalifórnia20 de outubro de 1964) é uma advogada e política norte-americanavice-presidente eleita dos Estados Unidos, com posse prevista para 20 de janeiro de 2021. Filiada ao Partido Democrata, é senadora dos Estados Unidos pela Califórnia desde 3 de janeiro de 2017. Anteriormente, foi a procuradora-geral da Califórnia desde 2011, tendo sido a primeira mulher procuradora-geral do estado. Foi ainda a primeira senadora de origem indiana e afro-americana.

Filha de uma indiana e de um jamaicano, Harris graduou-se com um bacharelado em artes pela Universidade Howard e em direito pela Faculdade de Direito Hastings da Universidade da Califórnia. Nos anos 1990, trabalhou no escritório do procurador-geral do distrito e da cidade de São Francisco. Em 2004, foi eleita procuradora-geral de São Francisco.

Harris foi eleita procuradora-geral da Califórnia em 2010, reelegendo-se em 2014. Em 2016, elegeu-se senadora pela Califórnia, mantendo no Senado uma postura crítica em relação ao governo Trump e sendo rotineiramente mencionada como uma potencial candidata à nomeação democrata para a eleição presidencial de 2020. Em janeiro de 2019, formalizou sua candidatura à presidência, porém encerrou sua campanha em dezembro do mesmo ano. Em agosto de 2020, foi escolhida por Joe Biden como sua companheira de chapa e, em novembro, derrotaram Trump e Mike Pence.

Luiza Helena Trajano Inácio Rodrigues (Franca9 de outubro de 1951)[2][nota 1] é uma empresária brasileira que comanda a rede de lojas de varejo Magazine Luiza e outras empresas integradas a sua holding.[3] Em 2020, possuía uma fortuna de US$ 4,9 bilhões, de acordo com estimativa da Forbes.[1]

Formada em Direito pela Faculdade de Direito de Franca, em 1972, conseguiu transformar uma rede de lojas localizadas em Franca, interior de São Paulo, em uma rede suficientemente forte para brigar com gigantes do segmento como Casas Bahia e Ponto Frio. Passou por diversos setores, como cobrança e vendas, antes de se tornar diretora-superintendente do Magazine Luiza.[4]

Luiza fez sucesso nas redes sociais[5] após participar de uma entrevista no programa Manhattan Connection, onde rebateu críticas feitas pelo apresentador Diogo Mainardi.[6] Mainardi afirmou que o varejo brasileiro estava em crise, Trajano rebate dizendo que o Brasil estaria vivendo a “década do varejo” e que enviaria ao apresentador os dados corretos.

Ela também lidera o Grupo Mulheres do Brasil, formado em 2012 por cinquenta mulheres atuantes em diversos segmentos da economia, que se uniram por um objetivo em comum: melhorar o país. Hoje, elas são mais de quatro mil e se encontram todo mês para discutir e propor ações ligadas a educação, empreendedorismo, projetos sociais e cotas para mulheres.[7]Ela integrou o Conselho Público Olímpico (CPO), órgão que supervisionou os preparativos para os Jogos Olímpicos Rio 2016.

Kamala Harris, acaba de ser anunciada como a primeira  mulher a assumir um cargo na presidência do país como maior poderio econômico do mundo. Ja Luiza Trajano, divulgou que sua empresa acaba de encerrar o terceiro trimestre de um dos piores anos ja visto neste país com salto de 70% em seus lucros e vai a R$216 milhões.

O mais comum em suas histórias é a garra e a persistência e apesar de serem de diferentes idades, foram reconhecidas como grandes mulheres, hoje. Não importa quando isso aconteça, e sim, que aconteça. Certamente, tiveram uma vida como muitas mulheres que lutam em casa, no trabalho durante uma vida inteira. Não sabemos o que realmente sentiram e o que vivenciaram nesta trajetória. Mas como a nossa, a delas não deve ter sido fácil. E não será daqui em diante, porque para elas não é o fim, é uma continuidade de um plantio que neste momento teve o seu tempo de colheita.

Ja caminho para o fim deste texto, quero deixar o que Harris disse em seu discurso: “Vocês escolheram a esperança”.  Kamala Harris e Luiza Trajano, deixam em sua essência uma mensagem, a de acreditar nas próprias mulheres e em si mesma.

Penso que não é sobre ideologia, racismo, machismo, feminismo e nem política. É sobre a conquista de uma Mulher. É sobre a luta de chegar em um lugar de “sucesso” sendo Mulher. É sim, sobre esperança…

É sobre esperança daquelas mulheres que lutam pela justiça, pela saúde, pela fé, pelo compliance, pela economia, pela contabilidade, pela tecnologia, pela comida dos filhos, pelo lar de um ou vários indivíduos desta nação.

Eu sou Tamires Endringer, mãe, empresária, professora, mulher, autora da página ‘Faz a conta”,  incentivo e oriento o trabalho e os negócios dos leitores que acordam a cada manhã com um novo desafio para sobreviver neste país. Então, desejo que vocês mulheres tenham a esperança de dias melhores a cada manhã, que jamais deixem de acreditar nesta força, que sejam vistas e reconhecidas em todos os lugares que passarem e que sejam sempre mulheres que levantam outras mulheres, onde quer que estejam.

Até nosso próximo encontro, aqui, no Faz a conta.

 

 

4 Respostas para “Mulheres e negócios: A força do empreendedorismo feminino

  1. As mulheres são sempre poderosas, mas uma mulher decidida e focada em um objetivo é uma força que não há como parar.

    Parabéns pela matéria. 👏🏼👏🏼👏🏼🥰😘
    Orgulho em ser sua funcionária. 🤗

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *