• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Banco Mundial reduz previsão para economia mundial, mas vê aceleração ante 2014

Economia

Banco Mundial reduz previsão para economia mundial, mas vê aceleração ante 2014

Nova York - O Banco Mundial reduziu as previsões de crescimento para a economia mundial, mas ainda espera que o Produto Interno Bruto (PIB) global acelere este ano ante 2014, de acordo com o relatório "Perspectiva Econômica Global", divulgado nesta terça-feira, 13. O documento faz um alerta de que os riscos para o cenário "continuam inclinados para o lado negativo" e os preços do petróleo devem continuar baixos este ano. Uma recuperação maior da commodity só deve ocorrer em 2016.

Depois de números decepcionantes dos últimos dois anos, a economia mundial deve crescer 3% em 2015 e 3,3% no ano que vem, ambos acima do nível de 2,6% de 2014, mostram as novas projeções do Banco Mundial. As estimativas, porém, são menores do que as feitas em junho, quando a instituição divulgou o relatório anterior com perspectivas para a economia mundial. Naquele mês, a aposta era de expansão de 3,4% em 2015 e 3,5% no ano que vem.

Os Estados Unidos devem ser o destaque de expansão, com crescimento esperado de 3,2% este ano, enquanto a zona do euro (1,1%) e Japão (1,2%) ainda podem ter nova rodada de números decepcionantes. Os EUA, aliás, foram um dos poucos países com previsões melhoradas. Em junho, a aposta do Banco Mundial era de que o crescimento este ano fosse ficar em 3%.

Os baixos preços do petróleo e a recuperação mais forte dos Estados Unidos devem contribuir para estimular o crescimento global, embora os economistas da instituição ressaltem que os países exportadores da commodity podem ser prejudicados. A Rússia deve encolher 2,9%, um dos piores desempenhos previstos para 2015, e só se recuperar em 2016.

A China deve seguir com a trajetória de desaceleração gradual, segundo as projeções do Banco Mundial. De uma expansão de 7,4% em 2014, o PIB deve avançar 7,1% este ano, 7% em 2016 e 6,9% no ano seguinte.

Apesar da expectativa de melhora, o Banco Mundial cita quatro riscos que podem prejudicar a recuperação da atividade global. O primeiro é o comércio global continuar "persistentemente fraco". O segundo é a possibilidade de aumento forte da volatilidade em meio ao processo de elevação dos juros nos EUA. O terceiro risco envolve o comportamento dos países exportadores de petróleo se o impacto da queda da commodity for pior que o esperado. Por fim, o relatório fala ainda do temor de uma "persistente" fraqueza na zona do euro e Japão.

"Os riscos para a economia global são significativos. Os países com quadro político mais confiável e agenda orientada para reformas estarão em melhor posição para lidar com os desafios em 2015", afirma a principal autora do relatório, a economista Franziska Ohnsorge.