• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Maciel: parcial de viagens internacionais em abril até dia 17 soma US$ 683 mi

  • COMPARTILHE
Economia

Maciel: parcial de viagens internacionais em abril até dia 17 soma US$ 683 mi

Brasília - As despesas com viagens internacionais em abril até o dia 17 somam US$ 683 milhões. A parcial foi divulgada nesta quarta-feira, 22, pelo chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Túlio Maciel. Ele destacou que essas despesas estão desacelerando em relação ao ano passado influenciadas pela alta do dólar frente ao real, que tornou mais caras essas viagens para os brasileiros. Maciel destacou a queda de 13% nas despesas de viagens no primeiro trimestre, que somaram US$ 3,595 bilhões ante US$ 4,125 bilhões no ano passado.

A previsão de déficit de viagens para o ano caiu de US$ 17,5 bilhões para US$ 16 bilhões. O chefe do Depec destacou que a conta de serviços está se arrefecendo, com previsão de fechar com déficit de US$ 46 bilhões ante saldo negativo de US$ 48,293 bilhões em 2014.

Maciel também ressaltou a redução "significativa" de remessas de lucros e dividendos em 2015 em relação a 2014. Esse movimento se deve à mudança no câmbio e menor ritmo de atividade econômica, que reduz o lucro das empresas no Pais.

O chefe do Depec informou também que a parcial de aplicação de estrangeiros em títulos de renda fixa em abril até 17 é de US$ 2,066 bilhões. Já para aplicações em ações no período é de 3,036 bilhões. A parcial para taxa de rolagem é de 93%.

IDP

Ainda de acordo com Maciel, a parcial para ingresso de Investimento Direto no País (IDP) é de US$ 2,6 bilhões até 17 de abril. Segundo ele, a previsão para o mês é de que essa conta some US$ 4,2 bilhões até o fim do mês.

Maciel argumentou que essa rubrica sofrerá influencia de lucros reinvestidos e, por isso, pode crescer. "As empresas que aqui se instalaram obtiveram lucros, esses lucros eram remetidos para o exterior, mas não tínhamos o que ele optou por manter. Isso entra, agora, nas nossas contas", disse.