• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Focus melhora previsão para a balança comercial em 2015

Economia

Focus melhora previsão para a balança comercial em 2015

Brasília - O mercado financeiro promoveu algumas mudanças nas estimativas para o superávit da balança comercial em 2015 e 2016 no Relatório de Mercado Focus divulgado nesta segunda-feira, 22, pelo Banco Central. A mediana das previsões para este subiu de US$ 3,00 bilhões, onde já estava há quatro semanas, para US$ 3,10 bilhões. Para 2016, o ponto central da pesquisa foi ampliado de US$ 10,35 bilhões para US$ 11,00 bilhões de uma semana para outra - um mês antes estava em US$ 10 bilhões.

No caso das previsões para a conta corrente, o mercado financeiro ampliou a expectativa de um déficit de US$ 84,00 bilhões para US$ 84,50 bilhões. Quatro semanas atrás, a projeção era de déficit de US$ 83,80 bilhões. Já para 2016, a perspectiva de saldo negativo foi diminuída de US$ 76,35 bilhões para US$ 76,00 bilhões, mesmo nível visto há um mês. Ainda nesta manhã, o BC apresentará suas projeções atualizadas para o setor externo.

Os analistas consultados semanalmente pelo BC estimam que o ingresso de investimentos para o setor produtivo será insuficiente para cobrir esse resultado deficitário em 2015 e também no ano que vem. De qualquer forma, até a expectativa mais otimista com a atratividade do Brasil em captar recursos que vinha sendo verificada se esgotou. Essa melhora, dizem participantes, podia ser atribuída fundamentalmente à mudança de metodologia da nota do setor externo, que o BC promoveu há pouco mais de dois meses.

A mediana das previsões para o novo Investimento Direto no País (IDP) passou de US$ 67,00 bilhões para US$ 66,50 bilhões em 2015, US$ 1 bilhão a mais do que o previsto há um mês. Para 2016, permaneceu em US$ 65 bilhões pela quarta semana consecutiva.

IGP-DI

O relatório do BC revelou mais uma vez pessimismo generalizado em relação à inflação. O IGP-DI de 2015, por exemplo, deve encerrar em 7,31%, e não mais em 7,08%, como os analistas aguardavam na semana passada ou em 7,03%, como há um mês.

Da mesma forma, houve incremento das previsões para o IGP-M deste ano, de 6,94% para 7,00% ante projeção de quatro semanas atrás de 6,97%. Para 2016, a perspectiva de alta de 5,50% segue pela 46ª semana consecutiva tanto para o IGP-M quanto para o IGP-DI.

Sobre o IPC-Fipe, que mede a inflação para as famílias de São Paulo, a estimativa para 2015 passou de 8,39% para 8,45%. Um mês antes, a mediana das projeções do mercado para o IPC era de 8,33%. Para 2016, a previsão para a inflação de São Paulo passou de 5,25% para 5,30% de uma semana para outra. Há quatro semanas estava em 5,10%.