• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Kátia Abreu é reeleita presidente da CNA até 2017

Economia

Kátia Abreu é reeleita presidente da CNA até 2017

Ribeirão Preto - Após conseguir um novo mandato para o Senado Federal pelo PMDB de Tocantins, a presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Kátia Abreu, foi reeleita nesta quarta-feira, 15, para a presidência da entidade, no triênio 2014/2017. A chapa única liderada por ela recebeu o apoio de 21 dos 22 participantes da eleição realizada por voto secreto, com um voto em branco. Outros cinco representantes de federações ligadas à CNA não votaram.

Além da presidente, foram escolhidos nove membros da diretoria executiva e seis integrantes do conselho fiscal da CNA. A primeira vice-presidência seguirá com o atual presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb), João Martins da Silva Júnior. Ele presidiu a CNA interinamente durante o período de licença de Kátia Abreu para a campanha eleitoral.

O novo vice-presidente executivo é Roberto Simões, de Minas Gerais, o vice-presidente secretário é José Zeferino Pedrozo, de Santa Catarina, e o vice-presidente de finanças é Eduardo Riedel, presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul). Os cinco vice-presidentes diretores são José Mário Schreiner (GO), Carlos Sperotto (RS), Júlio Rocha Júnior (ES), Assuero Veronez (AC) e Mário Borba (PB).

Também foram eleitos os três titulares do Conselho Fiscal: Álvaro Almeida (AL), Raimundo Coelho de Sousa (MA) e Renato Simplício (DF). Para as três suplências foram definidos José Vieira (RN), Luiz Iraçu Colares (AP) e Eduardo Sobral (SE).

A eleição na CNA deveria ser realizada nesta terça-feira, 14, mas foi suspensa na semana passada por liminar obtida pela Federação da Agricultura do Paraná (Faep), que apontava irregularidades no processo eleitoral, entre eles o fato de Silva Júnior ter coordenado o processo eleitoral no comando da CNA. Nesta terça, a confederação conseguiu uma nova liminar garantindo a votação.