• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Brasil ganha 3 mi de desempregados em um ano, de acordo com IBGE

Economia

Brasil ganha 3 mi de desempregados em um ano, de acordo com IBGE

Mercado tem 12 mi de pessoas sem trabalho. Em relação ao trimestre encerrado em junho deste ano, o mercado de trabalho brasileiro registrou um aumento de 437 mil desempregados

Os brasileiros com carteira assinada nas empresas particulares são 34,1 milhões de pessoas Foto: Agência Brasil

O Brasil ganhou 3 milhões de desempregados entre setembro de 2015 e o mesmo mês de 2016, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quinta-feira (27).

Esse número engloba tanto quem já tinha emprego e perdeu o trabalho como aqueles brasileiros que ingressaram no mercado e procuram o primeiro serviço.

Com isso, o total de desempregados no País permaneceu em 12 milhões de pessoas — mesmo nível de agosto — e a taxa de desocupação ficou em 11,8%, de acordo com a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio) Contínua. Trata-se da maior taxa registrada desde o início da série histórica, iniciada em janeiro de 2012.

Em relação ao trimestre encerrado em junho deste ano, o mercado de trabalho brasileiro registrou um aumento de 437 mil desempregados. Considerando somente a população ocupada, houve um corte de 2,3 milhões pessoas no último ano — uma queda de 2,4% de setembro de 2015 a setembro de 2016.

Os brasileiros com carteira assinada nas empresas particulares são 34,1 milhões de pessoas — queda de 0,9% em comparação com o trimestre encerrado em junho de 2016. São 314 mil pessoas a menos no mercado privado nesse período. Na comparação com igual trimestre do ano anterior, a redução foi de 3,7% — menos 1,3 milhão de pessoas.

Em relação ao salário, o brasileiro ganha, em média, R$ 2.015 considerando todos os tipos de trabalho do País. Isso representa uma queda de 0,9% em relação ao trimestre encerrado em junho de 2016  — quando estava em R$ 1.997. Já na comparação com setembro de 2015, a redução foi de R$ 44, uma vez que o rendimento real médio era de R$ 2.059.

Com o Portal R7!