• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Idade mínima para aposentadorias parece oportuna, diz Levy

Economia

Idade mínima para aposentadorias parece oportuna, diz Levy

Levy também voltou a bater na tecla da simplificação tributária. Ele afirmou que o governo vai enviar "brevemente" ao Congresso o projeto de reforma do PIS/Cofins

Levy comentou sobre idade mínima para aposentadoria Foto: Agência Brasil

Brasília - O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, defendeu nesta quarta-feira, 4, a implementação da idade mínima para aposentadorias. Ao comentar sugestões feitas para a economia brasileira pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o ministro disse que a adoção do sistema "parece oportuno" e que o "governo tem urgência em analisar".

Levy também voltou a bater na tecla da simplificação tributária. Ele afirmou que o governo vai enviar "brevemente" ao Congresso o projeto de reforma do PIS/Cofins. Defendeu também a importância da simplificação do ICMS. "No Brasil, os impostos indiretos são maiores que em outros lugares, proporcionalmente", disse. "Questão de simplificação não é de agora, é histórica, mas continua na linha de frente", ressaltou.

"Simplificação da tributação, junto com maior aceso ao crédito são caminhos para desconcentrar a economia e a aumentar a concorrência", disse. O ministro afirmou que é importante uma maior abertura da economia brasileira. "Só quando a gente abre para novas empresas e iniciativas que a gente cresce", disse, destacando que isso precisa vir com previsibilidade fiscal.

Levy afirmou ainda que há entendimento da importância de se fazer a desvinculação das receitas da União, de maneira de dar mais liberdade de o governo organizar o orçamento.

México

O ministro da Fazenda disse também que espera um tratado de livre comércio mais amplo com o México, que compreenda mais produtos e serviços. Em comentário sobre abertura de mercado, o ministro não deu detalhes sobre o andamento das negociações nem os tipos de produtos.

"A discussão que temos com o México é um tratado de livre comércio mais amplo. Temos a expectativa de cobrir uma gama bastante variada de produtos e serviços. Isso faz a diferença, coloca o Brasil em outro patamar", comentou.