• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Balança comercial tem superávit de US$ 1,197 bilhão em novembro

Economia

Balança comercial tem superávit de US$ 1,197 bilhão em novembro

Brasília - A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 1,197 bilhão em novembro. No mês passado, as exportações somaram US$ 13,806 bilhões e as importações, US$ 12,609 bilhões. Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 1º de dezembro, pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

No acumulado do ano, o saldo comercial é positivo em US$ 13,442 bilhões. Nesse mesmo período de 2014, a balança acumulava déficit de US$ 4,348 bilhões.

Em novembro do ano passado, a balança havia registrado déficit de US$ 2,427 bilhões. Em relação a outubro deste ano, porém, novembro de 2015 indicou uma queda de 37% pela média diária.

As exportações em novembro somaram US$ 13,806 bilhões, valor 11,8% menor do que a média diária de novembro do ano passado e 9,7% menor do que em outubro deste ano. As importações totalizaram US$ 12,609 bilhões no mês passado, 30,2% menor do que no mesmo mês de 2015 e 5,8% menor do que em outubro.

O saldo comercial ficou praticamente em linha com a mediana da pesquisa do AE Projeções. O levantamento com 27 instituições projetou saldo comercial do penúltimo mês do ano positivo de US$ 900 milhões a US$ 2,500 bilhões, com mediana de US$ 1,100 bilhão.

Detalhamento

As exportações brasileiras de produtos básicos somaram US$ 5,864 bilhões, queda de 14,3%. Os manufaturados alcançaram US$ 5,572 bilhões (-7%) de exportações e os semimanufaturados, US$ 2,016 bilhões (-13,5%).

Entre os básicos, houve queda nas vendas de petróleo em bruto (-51,2%, para US$ 672 milhões), minério de ferro (-43,0%, para US$ 901 milhões), minério de cobre (-21,1%, para US$ 97 milhões), café em grão (-19,5%, para US$ 461 milhões), carne suína (-9,9%, para US$ 122 milhões), carne de frango (-9,5%, para US$ 514 milhões), fumo em folhas (-8,8%, para US$ 130 milhões), algodão em bruto (-7,9%, para US$ 161 milhões), farelo de soja (-7,4%, para US$ 436 milhões) e carne bovina (-1,2%, para US$ 436 milhões). Cresceram as vendas de soja em grão (+575,4%, para US$ 551 milhões) e milho em grão (+52,4%, para US$ 799 milhões).

Entre os manufaturados, destaque para o recuo nas vendas de máquinas para terraplanagem (-40,6%, para US$ 84 milhões), laminados planos (-26,8%, para US$ 138 milhões), autopeças (-21,4%, para US$ 166 milhões), aviões (-17,7%, para US$ 325 milhões) e polímeros plásticos (-15,8%, para US$ 131 milhões). No grupo dos semimanufaturados, caíram as vendas de semimanufaturados de ferro/aço (-52,8%, para US$ 135 milhões), ferro-ligas (-36,9%, para US$ 137 milhões), ferro fundido (-32,3%, para US$ 36 milhões) e couros e peles (-30,1%, para US$ 144 milhões).

Quanto às importações em novembro, houve queda nos segmentos de combustíveis e lubrificantes (-39,6%), bens de consumo (-33,6%), bens de capital (-32,3%) e matérias-primas e intermediários (-24,6%).