• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Retrospectiva Folha Vitória: Após dois anos de recessão, Brasil e ES começam apresentam melhoras na economia

Economia

Retrospectiva Folha Vitória: Após dois anos de recessão, Brasil e ES começam apresentam melhoras na economia

Retrospectiva do Folha Vitória traz balanço econômico do ano. Do fim da crise no começo do ano até a leve melhora nos últimos meses. Acompanhe!

As economias capixabas e brasileiras viveram um ano de altos e baixos durante 2017, mas é possível afirmar que o saldo final é levemente positivo. Depois de dois anos seguidos com polêmicas na política e vivendo uma grave recessão econômica, o ano terminará com boas notícias - e melhores índices em vários setores brasileiros.

Dividindo o ano em duas metades, temos um primeiro semestre ainda com índices negativos e uma melhora significativa nos seis últimos meses do ano. A princípio, é possível destacar a recuperação da economia e o crescimento, ainda que modesto, do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e capixaba.

Algumas atitudes tomadas pelo governo durante o ano também ajudaram a aumentar a arrecadação e movimentar a economia. A primeira delas, tomada ainda no fim de 2016, mas que começou a valer efetivamente neste ano, foi o saque do FGTS de contas inativas que, segundo o Ministério do Planejamento,  injetou R$ 44 bilhões na economia e beneficiou 25,9 milhões de trabalhadores. 

O saque de contas do PIS/Pasep liberado para homens a partir de 65 anos e mulheres a partir de 62 anos também foi benéfico. Pelos cálculos do governo, a liberação injetou cerca de R$ 16 bilhões na economia, o que representa 0,25% do PIB. Vale ressaltar também a aprovação da Reforma Trabalhista, que alterou mais de 100 pontos da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).

No Espírito Santo

No começo do ano, crise, recessão econômica e ajuste fiscal eram palavras bastante utilizadas pelo governador Paulo Hartung (MDB) em seus discursos. Segundo Hartung, era necessário fazer um "ajuste fiscal duríssimo" e os principais problemas dos Estados eram as folhas de pagamento e a questão da Previdência.

O que parecia um presságio se tornou realidade poucos dias depois, com o início da greve da Polícia Militar - solicitando reajuste, a categoria cruzou os braços o que causou a maior crise na segurança pública vivida pelo Estado. 

Hartung, no entanto, não cedeu e, além de não conceder reajuste, criticou a greve e convocou as Forças Armadas para auxiliar na segurança do Estado.

"Estão manchando a imagem de uma instituição mais que secular. São atitudes grotescas. Quero olhar no branco do olho desses policiais e pedir que respeitem essa instituição, respeitem nosso Estado do Espírito Santo, respeitem o cidadão capixaba. Quem paga essa conta é o cidadão capixaba", diz Paulo Hartung.

Passado o período de terror, as reformas estruturais vieram a pauta, com elogios de Hartung e novas 4 mil vagas de emprego no Estado.

A Eco-101, concessionária que administra a BR-101, também apontou a crise com uma das responsáveis por não cumprir com os prazos de duplicação da rodovia. Em agosto, a concessionária enviou à Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT) um pedido de repactuação do contrato de concessão da rodovia, que precisa ser toda duplicada em 25 anos, prazo final do contrato de concessão.

A melhora

A partir de setembro, as notícias (e a economia) do Estado começaram a melhorar. Sete meses após a greve e a afirmação que não tinha dinheiro na época, o Governo do Estado anuncia novos concursos para a Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros do Espírito Santo.

Logo depois, veio a confirmação de que um orçamento 4,19% maior do que o fixado para 2017, no valor total de R$ 16,871 bilhões, foi encaminhado à Assembleia Legislativa, fatos que foram bastante celebrados por Paulo Hartung neste fim de ano.

“No Espírito Santo fizemos um bom caminho. Atravessamos o pior desta crise de maneira organizada. Em plena crise, de baixo da maior chuva ácida que já administrei na minha vida pública, conseguimos implantar políticas públicas transformadoras. Temos uma boa equipe do Governo para cuidar das contas do Estado, e também para cuidar das pessoas”.

O Espírito Santo também vai receber recursos de suas áreas offshore, afinal 10 blocos localizados na Bacia do Espírito Santo foram arrematados durante a 14ª Rodada de Licitações realizada pela Agência Nacional de Petróleo (ANP). A volta das atividades da Samarco, responsável por uma parcela importante do PIB capixaba, também foi discutida e deve acontecer no primeiro trimestre de 2018.

Fim do ano

Com os números levemente melhores, o Governo do Estado se permitiu um pouco mais nesta reta final de 2017. Já começando a programação de 2018, Hartung anunciou um pacotão com mais de R$ 1 bilhão em investimentos para o ES.

No total, 62 promessas foram feitas com recursos para as áreas de educação, ciência e tecnologia; saúde; segurança, justiça, defesa social e ocupação social; meio ambiente e agricultura; cultura, turismo e esporte; infraestrutura logística e mobilidade; e desenvolvimento urbano e regional. 

Pela primeira vez neste mandato, Hartung também deu abono natalino, no valor de R$ 1 mil. Ao todo, cerca de 90 mil servidores receberão o benefício, que contemplará ativos e inativos. 

Em visita ao Estado neste fim do ano, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, também anunciou R$ 100 milhões em investimentos, sendo a maior parte deles para a construção do Hospital Geral de Cariacica

Para encerrar, um balanço de todo o ano feito pelo próprio governador.