Confira os romances mais marcantes da história do cinema

Gustavo Fernando

Jornalista e Cinéfilo

Casablanca, E o Vento Levou, Ghost, Nasce uma Estrela...Como é difícil escolher o mais importante, ou marcante, romance que já vimos né? Então, para facilitar, elaborei uma lista com algumas obras obrigatórias. Espero que goste!

Olá, cinéfilos!

Quem não gosta de uma boa história de amor, não é mesmo. E quando unimos um casal espetacular e a sétima arte, grandes filmes me vem à mente. Já começo adiantando que nem todos os meus filmes prediletos, e indicações, terminam em “happy end”, tá! Acho que fugir do óbvio é um importante passo que alguns diretores e roteiristas dão para que o filme se tornar marcante e entre para história. Nesse sentido, invoco dois dos maiores clássicos da história do cinema: …E o Vento Levou (1939), que conquistou(e ainda conquista) plateias de todo mundo, com a épica história de amor (e ódio) entre Scarlett O´Hara (em uma atuação soberba de Vivien Leigh) e Rhett Butler (Clark Gable); e Casablanca (1942), com a famosa canção ‘As Times Goes By’, sem dúvida alguma, um dos meus 10 filmes prediletos em todos os tempos.

Que outras obras não posso deixar de fora da resenha de hoje? Deixa eu pensar…Temos o recente, mas outras vezes já levado às telas, Nasce uma Estrela (2018), que gostei muito. Para quem gosta de obras mais leves, P.S, Eu te Amo (2008) também é uma boa pedida. E o ‘new classic’ Ghost: Do Outro Lado da Vida (1990), que até hoje faz muita gente chorar? Ah, lembrei de um dos meus prediletos. Pode parecer clichê, mas me amarro no O Guarda-Costas (1992), com Kevin Costner e Whitney Houston (amo aquele final).

 

Lembrei de outro que é um dos meus Top 10 do gênero: As Pontes de Madison (1995), com Clint Eastwood e Meryl Streep (o final é uma coisa de outro mundo, prepare-se para chorar). Quem também sempre está na minha lista de predileções é o moderno musical Moulin Rouge (2001), engraçado, sensível e hipnótico. E o que falar do doce e comovente Meu Primeiro Amor (1991), do inesquecível e premiado Titanic (1997), do amado Uma Linda Mulher (1990), e do elaborado e obrigatório Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças (2004), com Jim Carrey e Kate Wislet?

Tenho vários outros para indicar, como Cidade dos Anjos (1998), com Nicolas Cage e Meg Ryan; Meu Querido Intruso (1991), aposto que você nunca viu, mas não deixe de descobrir; O Paciente Inglês (1996), Oscar de Melhor Filme; O Carteiro e o Poeta (1994), o reprisado A Lagoa Azul (1980); Antes do Amanhecer (1995); o marcante Tarde Demais Para Esquecer (1957), com Cary Grant e Deborah Kerr (o filme predileto da minha mãe) e Sabrina, que na verdade gosto muito das duas versões, a de 1957, dirigida por Billy Wilder, com Audrey Hepburn, Humphrey Bogart e William Holden, e a de 1995, dirigido por Sydney Pollack, com Harrison Ford e Julia Ormond.

Lembrei de mais um. Na última semana, durante minha garimpagem pelos anos 1980, vi pela primeira vez o filme A Mulher do Tenente Francês, com Jeremy Irons e Meryl Streep, muito, muito bom.

Gente, ainda temos as comédias românticas, né? Mas agora só na próxima sexta-feira. Até lá, vá conferindo essa relação de filmes românticos, me siga nas redes sociais para conferir dicas diárias e deixe nos cometários qual é o seu predileto, pode ser? Até breve!

Deixe sua resenha!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *