O que é o transtorno Borderline, do qual a peoa Raissa Barbosa sofre

Edu Coutinho

Consultor de Estilo e Administrador

Um assunto vem tomando conta das redes sociais. A dançarina Raissa, participante da décima segunda edição de A Fazenda despertou preocupação no públcio. Você já ouviu falar em transtorno Borderline ? A coluna pediu para o psicólogo Frank Leal falar o que é , sobre o tratamento e sobre detalhes desta síndrome.

Ao ser votada por oito colegas de confinamento, a peoa teve uma crise. Porém, antes, aqui fora, sua família e equipe que administra suas redes sociais revelaram seu problema. Muitos questionaram o motivo dela estar no reality, só que a produção do programa não sabia do que se passava com a peoa e vem acompanhando todas as suas ações. Então, vamos mergulhar no assunto e sanar dúvidas.


A nossa personalidade é formada ao longo de nossa vida,
mais especificamente no período da infância e adolescência, influenciada por fatores neurobiológicos, genéticos, cognitivos, experiênciassocioculturais e familiares. Todos esses fatores induzem na formação da nossa personalidade, nos atribuindo a forma como lidamos com outras pessoas, como reagimos as adversidades. Ou seja, cada sujeito desenvolve a sua personalidade de acordo com duas vivências e experiências, existindode fato, uma personalidade formada no final da adolescência início da vida adulta.

 

O psicólogo Franck Leal, relata como o transtorno acontece e explica tratamento e cuidados.


Existem
padrões de personalidade inflexíveis erígido demais, os quais podem trazer determinados prejuízos a uma pessoa, como nas relações de trabalho, vida afetiva, relações sociais e familiares, causando uma série danos e sofrimento, acarretando também dor nos que estão a sua volta.Tais padrões disfuncionais de personalidade existem em vários níveis de gravidade, e, quando mais acentuados desenvolve-se o que chamamos na saúde mental de transtornos de personalidade, tendo este, algumas subdivisões, porém hoje será abordado o Transtorno de Personalidade Borderline (TPB), também conhecida como Síndrome Borderline.

 

 

De acordo com o CID10 (F60. 3), é um transtorno mental grave caracterizado por um padrão de instabilidade contínua no humor, comportamentoauto imagem e funcionamento. Esse transtorno se inicia na adolescência e começa a se manifestar na idade adulta, no qual essa pessoa denota dificuldades de controlar sua raiva, muitas vezes se tornando inadequados e intensamente irritados.  Após a explosão, eles sentem vergonha e culpa, sobretudo, no momento da ira faz com que todos a sua volta sintam-se culpados, sempre se mantendo no lugar de vítima em todas as situações de sua vida que traz sentimentos de fúria, angústia, dor. A pessoa que desenvolve esse tipo de transtorno ela obtém um poder característico de manipulação intenso, as vezes inconsciente e outras intencionais, dificilmente identificar quando é um sofrimento verdadeiro e quando é um sofrimento simbólico. Vale ressaltar, que em seus momentos de desestabilidade, essa pessoa não sabe distinguir realidade de fantasia, já que o Borderline transita entre tantas outras comorbidades, incluindo todos os outros transtornos de personalidade existentes.

Geralmente pessoas que tem essa síndrome,embora evitem o abandono e rejeição, acabam fazendo esforços desgovernados para evitar essas situações, colocando tudo a perder, como uma forma de autossabotagem, dificultando a permanência de vínculos duradouros. Outro fator característico é a instabilidade em seu fluxo de vida, profissional, amoroso, afetivo e social. Passa o tempo todo mudando e se reajustando não tendo uma estabilidade em nada que se propõem.

Os sinais de uma pessoa que sofre da síndrome borderline são: Agressão, automutilação, comportamento antissocial e autodestrutivo, hostilidade, impulsividade, irritabilidade, ansiedade e mudanças de humor constantes, oscilando rapidamente de raiva a tristeza em picos muito altos e baixos, trazendo grande sofrimento.

 

A cantora Amy Winehouse sofria com a síndrome borderline.

 

Tratamento

O tratamento para o transtorno de personalidadeborderline é multiprofissional, englobando os profissionais de psicologia e psiquiatria. O tratamento psiquiátrico é fundamental, uma vez que é necessário para a estabilidade desse paciente a prescrição de medicamentos adequados para a melhoria dos sintomas instáveis como humor, impulsividades, emoções e ansiedade. Mas o acompanhamento psicólogo não fica atrás em sua essencialidade, esse profissional por meio da psicoterapia vai buscar desenvolver primeiramente um vínculo profissional para com este paciente, uma vez que uma outra   característica importante no borderline é presentear e demonstrar uma paixão intensa para àqueles que te dão atenção, muitas vezes confundindo qual o tipo de relação criada, e, diante dessa confusão, o paciente abandona o tratamento.

 

É preciso criar uma maturidade emocional, contribuindo nas mudanças importantes com vista à superação dos desafios trazidos pelo transtorno, ajudando o paciente a ampliar sua autoconsciência, modificando comportamentos, a fim de contribuir positivamente em todos os campos de sua vida, aumentando assim o potencial criativo e transformador da pessoa.

 

 

É muito importante saber que não é possível fazer o auto diagnóstico da síndrome de borderline,ressaltando que se percebido algum sintoma, deve-se procurar um profissional qualificado para que seja feito a devida avaliação. E se você conhece alguém com esse transtorno, diagnosticado corretamente,incentive-o a permanecer em tratamento, oferecendo o apoio emocional, compreensão e paciência, e,aprendendo a lidar com as situações difíceis e instabilidades que geram crises à pessoa.

 

 

Franck Leal é bacharel em Psicologia, pelo Centro Universitário Faesa.

CRP 16/7064

Deixe sua resenha!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As informações/opiniões aqui escritas são de cunho pessoal e não necessariamente refletem os posicionamentos do Folha Vitória